9 de setembro de 2015

A maternidade obrigou-me a ser mais organizada

Há uma M. antes de ser mãe e uma M. depois de ser mãe. Claro que há coisas em que sou mesma, na minha essência, mas muita coisa mudou. E já nem estou a falar das emoções, das lágrimas mais fáceis ao ver alguma imagem de uma criança em apuros, de me sentir mais alerta e mais desperta para certas causas, de me ter adocicado e ter descoberto a verdadeira essência do amor maior. Este post é sobre coisas práticas. Depois de ser mãe tive de me começar a organizar melhor. Já não era só eu e o meu marido, que felizmente somos crescidos e sabemos tomar conta de nós, mas havia a logística de ter um bebé. E era preciso conciliar a maternidade com a vida doméstica e com a vida profissional, mas com um era simples e não mudou assim grande coisa. Mas depois, quando este deixou de ser bebé arranjámos outro bebé. E com dois a ginástica começou a ser maior e eu tive de me reorganizar com o trabalho, com os filhos, com a casa. Porque depois chegaram as actividades extra-curriculares e eles cresceram e cada vez precisam mais de mim. E foi por esta altura, e para eu não me trocar toda e para não esquecer aquele passeio especial com a escola ou o dia da natação que me organizei. Tem sido um processo evolutivo, mas que tem funcionado muito bem e que está cada vez mais afinado. Vou deixar-vos alguns exemplos de pequenos comportamentos que adoptei e que me facilitam imenso. Funcionam comigo e com a minha família e não quer dizer que funcionem com vocês, mas podem ser uma boa dica.

  1. Tenho um quadro em íman no frigorífico com o esquema da semana toda onde aponto: Ementa do dia (Assim, de véspera, sei o que é preciso descongelar), Actividade extra-curricular e respectivo horário (Assim, de véspera, sei que é preciso preparar a mochila do futebol ou da natação ou levar a pauta do piano) e alguma consulta médica ou outro aspecto relevante que aconteça essa semana. O quadro funciona com caneta de acetato e, por isso, todos os domingos à noite apago com álcool e organizo a semana que vai entrar.
  2. Jantamos muito cedo - regra geral às 19h30 - para depois ainda terem tempo de brincar e irem para a cama cedo, às 21h.
  3. Convites para festas de anos são afixados no frigorífico e automaticamente anotados na agenda digital. Eu e o meu marido partilhamos um calendário do google, acessível no telemóvel e no computador, e temos as agendas cruzadas, o que faz com que saibamos sempre o que é que está previsto para aquele dia e, assim, não sobrepomos eventos.
  4. Ao sábado, ou sexta se estou de folga nesse dia, preparo a ementa semanal com o que tenho na dispensa e congelado. Vejo o que é preciso comprar e faço uma lista. Não compro nem mais nem menos do que está na lista e do que preciso para confeccionar os pratos da semana. (Se por acaso surge o convite para irmos fora ou outra alteração de plano, este prato transita para a ementa da semana passada. Tenho alguns livros de receitas, mas a maioria das minhas receitas são impressas da net, muitas delas tiradas do blog As Minhas Receitas, e estão arquivadas num dossier onde me inspiro para fazer as ementas).
  5. A roupa dos miúdos é preparada de véspera, assim como as mochilas e brinquedos que vão sair connosco de manhã. A roupa do mais velho fica na sala porque ele acorda muito cedo e, mal chega à sala e antes de começar a ver bonecos, veste-se sozinho. Quando acordamos já está ele pronto e com pelo menos meia hora de bonecos.
  6. A mesa do pequeno almoço fica pronta de véspera.
  7. Organizo as actividade para que sejam perto de casa e da escola. A que era considerada a melhor escola de piano iria obrigar-me a atravessar a cidade a hora de ponta para me enfiar no caos. Como também havia uma escola muito boa, com óptimas referências e frequentada por meninos da escola do meu filho, fui ver, gostei imenso, e foi lá que o inscrevi. Fica entre a escola e a nossa casa, num percurso de menos de 1km. Temos de nos poupar e ser amigas de nós próprias.
  8. Os banhos dos miúdos são ao final da tarde, como em quase todas as casas com crianças, e, no Inverno, por debaixo do pijama, vestem uma t-shirt de manga comprida, lavadinha, e que vão usar no dia seguinte para a escola. Assim, de manhã, com o frio, não guincham por lhes estar a vestir roupa fria. É uma espécie de camisola interior que já fica de véspera e que facilita.
  9. Pedir ajuda! A minha mãe adora ver os miúdos durante a semana e ofereceu-se logo para ajudar no leva e trás das actividades extra-curriculares. Por isso, um dia por semana a minha mãe vai buscar o mais velho à escola, leva-o ao piano, e depois vai com ele para nossa casa, jantando connosco. E eu tenho uma tarde de filho único com o mais pequeno. Outras vezes, trocamos, e vai ela buscar o mais pequeno e eu vou acompanhar o meu filho mais velho à actividade, dando-lhe exclusividade!
  10. Além disso, e, acima de tudo, tenho a sorte de ter casado não só com um homem maravilhoso, que é também um pai do outro mundo, e que sempre foi super organizado. Por isso, foi muito fácil adoptarmos estas medidas, que surgiram naturalmente à medida das nossas necessidades, que nos facilitam o dia a dia e que permitem que não haja caos e que as coisas corram bem, sem sermos engolido pelas solicitações do dia a dia. Claro que depois os imprevistos acontecem e com vários filhos há sempre rebuliço e stress, mas quando está tudo mais organizado e planeado é mais fácil lidar com os imprevistos.

4 comentários:

  1. Será que me pode dizer onde comprou/arranjou o iman da organização semanal? Tem alguma imagem dele? Obrigada e um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tenho aqui, mas em casa tiro uma fotografia. Comprei na loja workshop (https://www.facebook.com/LojaWorkShopDesign) na rua Duque de Loulé com a Gomes Freire, em Lisboa. Bjs

      Eliminar

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!