16 de janeiro de 2018

Super Nanny

Ontem depois de deitar os meus filhos fui ver o programa da Sic Super Nanny para saber do que se falava e escrevia. 


A minha querida amiga Ursa, que é psicóloga, escreveu um post fantástico e bem alargado sobre o assunto. A Magda, que eu admiro imenso como formadora e especialista em parentalidade positiva também escreveu aqui um texto fantástico.A mim, deu-me pena ver a filha, tive pena da mãe, incomodou-me o sofrimento daquela família, que de facto precisa de ajuda, mas não num programa de televisão... Irritou-me logo a Nanny entrar a pedir beijinhos à Margarida e depois dizer para agirem naturalmente como se ela não estivesse ali. Como se fosse possível!!! Não é!! Não é só a Nanny que ali está... entre operadores de câmara, iluminadores, técnicos e outros profissionais estarão lá dentro mais de 10 pessoas, holofotes... Eu já tive a tv dentro de casa e pensei bastante na questão da exposição pública, minha e dos meus filhos... É preciso proteger e defender as crianças... E se me incomodou ver a vida da Margarida no seu pior lado - a chorar, a fazer birras... - exposta daquela maneira, também me incomodava ver crianças de 3 anos vestidas de P-u-t-a-s à la Madona no Chuva de Estrelas! A Sic deve estar feliz com este buzz que se criou à volta do programa. A CPCJ (Comissão de protecção de crianças e jovens) já está a analisar a questão, a ordem dos psicólogos também já falou sobre o assunto, mas provavelmente não vão cancelar o programa... Enquanto houver quem queira participar e houver quem quiser ver os programas de baixo nível e má qualidade vão continuar a existir!

15 de janeiro de 2018

Um jogo muito giro!

A Kika recebeu este puzzle nos anos e é muito giro. Eu não conhecia, mas gostei muito. E os manos mais velhos também, em especial o Afonso. E é um treino muito bom. Com os mais pequeninos como a Kika há que ter cuidado porque as peças são de tamanho reduzido.


E hoje saiu mais um bolinho para a Kika

Fui cantar os parabéns à creche! Eu e o Afonso. E a Kika estava tão contente, mas quando começaram a cantar enroscou-se no meu colo cheia de vergonha. E assim ficou. Não comeu bolo, mas distribuiu pelos amigos toda orgulhosa e despachada! 

A receita que usei foi do bolo de iogurte e estava muito bom! Antes de ser mãe era uma azelha a fazer bolos, mas, felizmente para os meus filhos e amigos deles, estão cada vez mais deliciosos!! Muito simples, mas fofos e saborosos! Quem me viu e quem me vê! 

Mais ideias de boas receitas!

Obrigada ao Clube do Autor por mais este presente! O frango assado desta semana já é uma receita deste livro!


Não é fácil ter ideias de receitas para todos os dias, semana após semana... Somos uma família de cinco, com três crianças, e é preciso diversificar, preparar alimentos saudáveis, mas também saborosos e equilibrados. Por isso, sempre que me surge um livro com receitas novas e saborosas, ainda por cima baixas em calorias, fico contente porque é uma ajuda na preparação dos menus semanais. A muitos destes pratos juntarei arroz, massa ou batata para os miúdos comerem como acompanhamento. De há um ano para cá a massa é praticamente sempre integral, mas o arroz só de vez em quando porque tenho sempre muitas reclamações... Agora é ir experimentando e adaptando receitas!

Ementa Semanal

Bom dia e boa semana! Aqui ficam algumas sugestões de receitas para esta semana. Nunca ponho a sopa, mas todas as refeições lá em casa começam com sopa e terminam com fruta. Salvo raras excepções ao fim de semana.

2ª feira
Jantar: Lasanha de frango, cogumelos, espinafres e alho francês com salada verde.

3ª feira
Jantar: Frango assado no forno com legumes. Acompanha com feijão verde.

4ª feira
Jantar: Massada de peixe

5ª feira
Jantar: Esparguete integral carbonara

6ª feira
Jantar: Empadão de bacalhau

Sábado e domingo
Nunca tenho nada muito planeado, há sempre sobras no frigorífico que ganham nova vida, ovos e leguminosas.

Domingo foi dia de trabalhos de casa

O meu filho mais velho tinha bastantes trabalhos de casa para fazer este fim de semana. Como sábado foi a festa da mana, deixámos tudo para domingo. A manhã foi de brincadeira com o primo que dormiu em nossa casa, mas depois era preciso trabalhar. Para a casa ficar mais tranquila decidimos que o Afonso ia passar a tarde a casa do primo e foi o drama! Claro. Quem quer fazer trabalhos de casa sabendo que o irmão vai com o primo preferido brincar a tarde toda?! Houve choro e drama, mas lá foi acalmado e fazendo os trabalhos... E chegámos  um exercício em que ele tinha de escrever o fim de uma história no caderno, mas também a computador. E foi a festa! Nunca tinha feito. Fui buscar o meu portátil, tive de lhe colar etiquetas com as letras que faltam (gasto sempre muito as teclas) e lá o deixei a escrever ao computador. Depois foi imprimir e já está! E trabalhar ao computador foi uma motivação extra! 


No final do dia foi buscar o mano a casa do primo e ainda conseguiu brincar um bocadinho!

2 anos da nossa querida Kika!!!

13 de Janeiro. Estava tão feliz a minha Patanisca mais linda! Estava ansiosa com o dia de anos, cantava à maneira dela os parabéns a você... De manhã cedo, no sábado, saí a comprar o bolo - já temos a tradição que o bolo do pequeno-almoço dos anos é de limão, de compra, o único que eu não faço... E quando todos acordaram chegou o grande momento! E foi tão bom! Ela estava tão feliz!!
(foto da manhã, ainda em pijama)


Ao lanche, reunimos a família chegada (tios, cunhados, primos, avós) e família da madrinha (é muito giro porque uma das madrinhas da Kika é filha do querido compadre padrinho do Alexandre e são como família) para um lanche de festa! A Kika estava feliz, completamente encantada com a festa, os balões, a atenção... Foi um lanche ajantarado, como já é tradição, que acabou perto da uma da manhã... Deitámos as crianças (mais um sobrinho que ficou a dormir) e ainda ficámos alguns cunhados a petiscar e na conversa... Foi um dia cheio de amor! 💓

12 de janeiro de 2018

Aquele momento em que estaciono o carro para ir ao ginásio limpar a cabeça...

... E percebo que não trouxe o saco com o equipamento.

Esmagada pelos acontecimentos dos últimos dias

Não é suposto abraçarmos amigos no velório da filha de 3 anos... Não é suposto despedirmo-nos de uma criança porque ela morreu... Não é suposto vermos um pequeno caixão cheio de desenhos das irmãs, dos amigos... Apesar da doença prolongada, apesar do sofrimento em que a pequenina C. estava há sempre esperança... Não sei como reconfortar os meus amigos, não sei o que dizer... Não tive praticamente palavras, só lágrimas profundas e um nó na garganta e no peito que teima em não sair... É como se estivesse anestesiada... 

10 de janeiro de 2018

Ontem à noite o céu ganhou uma estrelinha...

Acabou-se o sofrimento da pequena C. que ontem foi para o céu. 3 anos e meio de menina... Há pouco, ao olhar para a minha Kika, que tem a idade que a C. tinha quando lhe foi diagnosticado o maldito cancro e senti um aperto no peito. A C. foi uma guerreira, uma lutadora e os pais dela, meus amigos, uns heróis... as manas, nem consigo escrever nem pensar... As lágrimas caem... Fui encomendar uma coroa de flores amarelas, a cor preferida da princesa, e a senhora da florista não conteve as lágrimas, quando soube que a coroa era para uma menina de 3 anos... É demasiado duro, não é suposto vermos os filhos dos nossos amigos morrerem, crianças da idade dos nossos filhos... E, infelizmente, é a minha terceira amiga a enterrar uma filha... Até me falta o ar ao imaginar o sofrimento destes pais, destas irmãs... Que os meus amigos encontrem paz para continuar, que voltem os 4 a ser felizes, com a C. no coração... Eles fizeram tudo, deram tudo, a C. não poderia ter tido melhor família... E partiu em casa, com os pais e as irmãs... 

9 de janeiro de 2018

Voltámos à rotina e às semana completas

E hoje vi grande evolução no meu filho Afonso, que já não parece um prego, conseguindo nadar um pouco debaixo de água. 
Eles às vezes estão cansados e sem vontade de vir e eu também, mas não digo nada e mostro entusiasmo. A natação é muito importante a vários níveis e, para mim, é fundamental que eles saibam nadar. E depois de uma pausa nas férias de Natal, regressámos!! 

E a semana começou com uma virose: A Kika apanhou o síndrome mão - pé- boca

É uma virose tão chata! Dá dó olhar para a Francisca. Apanhou na creche a síndrome mão-pé-boca e é uma infecção viral contagiosa muito comum em crianças, que é caracterizada por pequenas feridas na boca, aftas nos lábios e erupções nas mãos e nos pés. Não teve febre, apesar de ser muito comum, mas está cheia de comichões e com a boca cheia de aftas e borbulhas. Tem dores e está muito incomodada. Não tem muito apetite e não consegue dormir. Ontem fiquei com ela e foi vista pelo pediatra. Hoje está a minha mãe com ela... Amanhã não sei como será que me vou organizar. O importante é que ela fique boa depressa. Nada custa mais que ver um filho a chorar com dores e não poder aliviar... Para ajudar, damos brufen e atarax para as comichões. Podem ler mais aqui ou aqui.

8 de janeiro de 2018

Voltei a andar de bicicleta

Atrevo-me a dizer que há uns 30 anos que não andava de bicicleta... Porque achava que já não sabia, porque tinha medo de cair, porque não queria fazer figuras tristes... Enfim, um sem número de razões... Mas ontem enchi-me de coragem! Agarrei na bicicleta do meu filho mais velho ( oferecemos-lhe uma BMX nos anos), o meu marido pôs o banco à minha altura, ajudou-me ao início... E lá fui eu!! Os meus filhos, radiantes, batiam-me palmas! O Afonso pedalava ao meu lado. Eu em grande stress, mas a adorar a sensação! E lá fui! Agora o meu marido vai-me comprar uma bicicleta!