20 de agosto de 2018

Em modo filha única

Domingo fomos deixar os manos no primeiro campo de férias da vida deles. Da deles e da nossa. Uma semana longe de casa a viver novas aventuras, novas experiências, a conhecer novas pessoas, novas regras... sem a mãe, sem o pai... O Afonso, com 5 anos, é o mais novo. Espero que o irmão olhe por ele. Enquanto os manos estão fora do ninho, espero eu que super divertidos e felizes, a nossa princesa tem privilégios de filha única. Estranha a ausência dos irmãos, pergunta por eles várias vezes... compensamos com mimo e atenção exclusiva, com direito a ir aos baloiços depois do jantar, aproveitando o calor destas noites de verão!




Tróia

Adoro a praia de Tróia. Gosto daquele mar, daquela areia, daquela paisagem. Todos os anos lá vamos, passagem obrigatória. Este ano até nos despedimos de 2017 por aquelas bandas. É um pequeno paraíso, mesmo às portas de Lisboa.


17 de agosto de 2018

As minhas leituras

Depois de ter lido "Guia para um Final Feliz", requisitado na biblioteca, fui buscar "A Soma dos Dias", de Isabel Allende. É incrível como quando andava no liceu e no início da faculdade esta era uma das minhas escritoras preferidas, li tudo dela! Depois devo ter feito uma pausa de mais de uma década, muito mais... Voltei a ela com "O Amante Japonês", que também requisitei na Rede de Bibliotecas de Lisboa, e adorei, e voltei a requisitar mais este. E já tenho outro em trânsito. Gostei de voltar às palavras dela, à sua maneira tão própria de escrever...


16 de agosto de 2018

Já fomos e já voltámos!

Fomos de férias! 

As melhores dos últimos anos, já sem bebés a acordar a meio da noite, sem fraldas... Já não tinha um verão sem fraldas desde que não tinha filhos... Tão bom! Foram 17 dias sem trabalhar, sem ligar computador, sem ver blogs... Foi mesmo uma limpeza mental, que estava mesmo a precisar. Tempo de sonho, fins de tarde maravilhosos, noites quentes, petiscos, amigos, primos, sem horas... A pele bronzeada dos miúdos, os beijos a saber a mar. O crescimento deles nestas semanas connosco. Foram mesmo férias a valer! O filho mais velho até perdeu dois dentes! Foram perfeitas. Já fui e já vim há uns dias. Vim antes do marido e dos filhos, que tiveram mais 4 dias de férias e atravessaram o Algarve até à outra ponta para casa dos tios. Tive a casa e a cama só para mim. Só comi sopa e fruta. Trabalhei muito e dormi ainda mais. Acordava e saía de casa em 15 minutos. Já nem sabia o que isto era. Não houve jantares, nem refeições nem horas. Voltei ao ginásio. Foi bom. Tivemos todos saudades uns dos outros. Eles já chegaram. Sãos e salvos e felizes e ainda com mais aventuras para contar. Já estamos todos em casa. Os meus filhos continuam de férias. Já voltei ao trabalho. Sou uma sortuda. Adoro a profissão que escolhi e adoro os projetos profissionais que tenho em mãos neste momento. E é isto. As semanas mais doces do ano já passaram. Venham todas as outras, onde também somos felizes! 

26 de julho de 2018

Enquanto não vamos todos de férias, há atividades bem giras para ir gozando o verão!


E este ano o mais velho voltou às aulas de vela! Está feliz, a adorar, ainda para mais porque tem com ele os dois melhores amigos e um primo que ele adora! Está feita a festa. Já esteve no CAF da escola, na Praia / Campo da Junta de Freguesia e agora está a ter aulas de vela! Tão bom. Novas aprendizagens, novas regras, novas amizades e conhecimentos... É bom poder proporcionar-lhe estas semanas diferentes! Estava eu mergulhada num guião quando recebo esta fotografia de uma das mães, deu lá um saltinho na hora de almoço, é a mãe que os leva de manhã, eu apanho-os à tarde, carro cheio de gargalhadas e histórias. O Afonso já pediu para ir para o ano... ele está sempre a ver o mano grande a ir e a vir de atividades e ele continua no dia a dia de sempre no jardim de infância, que continua aberto, e pago, e que por isso não me faz sentido estar a inscrevê-lo noutro lado, até porque só tem 5 anos, mas para o ano já está prometido uma semana de iniciação à Vela e duas semanas Praia / Campo da Junta de Freguesia com o mano mais velho!

24 de julho de 2018

Como é que há educadoras que gritam com as crianças?

Como é possível que uma educadora não adore crianças, não as acarinhe, não lhes inspire ternura... Como é possível que ao fim do ano a maioria do grupo não corra para a educadora, não procurem o colo dela, não lhe dêem beijinhos por livre vontade... Como é que é possível que uma educadora descrimine os seus meninos, não os trate a todos com carinho? Como é que é possível que uma educadora humilhe crianças? Como é que é possível que uma educadora grite com crianças quando surgem pequeninos acidentes durante o desfralde, aos 2 anos, e as castigue pondo novamente as fraldas? Como é que é possível que uma educadora tenha inveja do carinho que os pequeninos sentem pelas auxiliares e as maltrate?! Como é que é possível que tudo isto aconteça há anos e anos e não se consiga provar que esta pessoa é tudo menos uma educadora válida?! Revolta-me. Revolta-me muito. E quem não fala e quem não denuncia é conivente!

23 de julho de 2018

Com rendas assim, mais vale comprar!

E no meio desta loucura da subida das rendas atirámo-nos juntos, de cabeça, e de coração e hoje começámos o dia a comprar uma casa! Vamos voltar à loucura das obras, mas vamos voltar a fazer uma casa à medida... desta vez, já somos 5! É muito mais pequena do que a nossa, mas será nossa, e ao nosso gosto, e privilegiámos o bairro, que adoramos, mantendo-nos na zona que adoramos, nas rotinas, nas nossas referências, nos sítios do costume, mantemos os miúdos junto dos amigos, das escolas e de todas as atividades... Uma casa mais pequena, destralhada, sem coisas que já ninguém usa e que podem dar tanto jeito a outros... Uma amiga dizia-me no outro dia que temos de encarar a vida como uma viagem e nenhuma viagem se faz bem e a aproveitar e apreciar com peso a mais. E achei tão verdade. Já andamos há algum tempo bom a reduzir o consumo só porque sim, a dar o que não usamos, a comprar menos, a não nos deixar levar pelo materialismo e consumismo e acho que estamos a fazer o nosso caminho, sem extremismos, com todo o equilíbrio e conforto... E connosco segue apenas o essencial, numa casa com um bom astral e energia positiva. Cheia de sol! A primeira que vimos. A que escolhemos, ou que nos escolheu a nós... 

20 de julho de 2018

Atenção à caça à multa!

Radares novos, escondidos... Eu no último mês recebi duas multas por excesso de velocidade, uma delas completamente irreal... um radar móvel, escondido, na Av. Lusíada, que liga o Colombo a Santa Maria, onde não há passagens, não há peões, mas a velocidade máxima é de 50 Km/h! Tenho imenso cuidado a conduzir, até porque sou a motorista oficial dos meus filhos, e ando quase sempre com eles, levando e trazendo... mas está mesmo aberta a caça à multa. Eu ando sempre a correr, entre o trabalho, casa, atividades e afins... e tenho de ter cuidado porque não posso mesmo ficar sem carta! Mas é incrível que haja incentivo à multa... podem ler aqui, eu já tinha visto nas notícias.

O que eles aprendem nas escolas, campos de férias e afins!


Todos cantam isto cá em casa. O mais velho faz a coreografia, os outros imitam e um deles pergunta: o que  é que é a cosita?! E tu não sabes se hás-de rir ou de chorar. 

Odeio injustiças!

Sempre gostei mesmo muito da IPSS onde andam os mais novos e onde andou o mais velho, mas não gosto da educadora da Kika e soube há pouco tempo que não vão renovar o contrato da auxiliar da sala da Kika por causa da idade... É uma mulher incrível (até já a tinha contratado para vir dar uma mão cá em casa com os miúdos), querida, bem disposta, super doce e brincalhona... e fica a mona da educadora, que é seca, fria, péssima... nunca a minha filha fala dela, já das auxiliares, fala todos os dias quando eu pergunto com quem brincou... É tão triste, tão revoltante! Claro que vamos assinar uma carta e fazer barulho, mas é mais para a auxiliar saber que a adoramos e que valorizamos todo o mimo, colo e amor que dá aos nossos filhos do que para fazer a direção mudar de ideias. É triste.