31 de julho de 2011

Fim de semana a dois!

Como algumas pessoas me disseram, o meu filho não estranhou nada a nossa ausência durante estas 24 horas em que nos ausentámos para irmos a uma festa. Ficou com a avó e não chorou muito nem perguntou por nós. A hora de ir para a cama foi a mais complicada, mas não foi dramática. A nossa festa foi óptima, ficámos num hotel com uma vista fantástica para a praia, mas tivemos imensas saudades do nosso piolho. Nunca tínhamos ido passear sem ele e é estranho não o levar no banco de trás do carro e não ter a companhia dele. Por outro lado pudemos adormecer na praia e estar sentados, tranquilamente, numa esplanada sem termos de estar sempre a correr atrás dele. Foi bom, mas, resumidamente, tivemos nós mais saudades dele que ele nossas, mas quando nos viu chegar... Foi a loucura! Abraçou-nos, gritava mãe e pai, apertava-nos bem forte e no carro queria que lhe dessemos a mão. Agora, já dorme, pois amanhã é um dia importante... É o primeiro dia na creche onde vai passar o mês de Agosto... E eu também vou para a cama que isto de fazer quase 600 quilómetros para ir bombar para uma festa, em saltos altos, deixa as suas marcas.

29 de julho de 2011

Carta da segurança social

Duvido que queiram saber como é que foram as minhas férias ou me queiram desejar um bom fim de semana... Até tremo só de pensar que tenho de ir levantar uma carta da segurança social aos correios...

Explicações

Hoje comecei o dia a explicar ao meu filho que a Carla (auxiliar da sala dele) ia de férias. Ele lá ia repetindo a palavra Carla e férias... Eu disse que ela ia para a praia comer bolas de berlim, o meu filho sorriu e anuiu com a cabeça, e eu expliquei-lhe que por isso ia ficar uns dias sem a ver e que a escola dele ia fechar. Ele ouvia-me muito atento e ia acenando com a cabeça, mas eu não sei se percebeu a dimensão da coisa toda. Disse ainda que enquanto a Carla ia de férias ele ia para a escola nova onde temos ido brincar à tarde. Ele disse sim e o assunto ficou arrumado, pelo menos para ele...

Eu sei que ele vai ter muitas saudades desta auxiliar, mais próxima dele que a própria educadora. É uma rapariga nova, com um grande sorriso e muito meiga e disponível. O meu filho adora-a e aprendeu a dizer o nome dela, que nem é fácil... Quando transitar de sala não vai com ela, que fica com os meninos do berçário. Isto porque volta a anterior auxiliar da sala dele que foi de baixa no início do ano anterior para ter o 8º filho! Como é que esta mulher vai ter paciência para o meu filho e para o resto da sala quando tem 8 filhos em casa?! Que disponibilidade mental é que ela tem? A minha sogra também teve 8 filhos, mas não trabalhava fora de casa e tinha ajudas. Hoje perguntei porque é que a Carla não seguia com a turma do meu filho e explicaram-me que esta auxiliar traz a bebé dela e não pode ser educadora da filha. Faz sentido, mas tenho pena...

28 de julho de 2011

É tão bom!

Poder ir com o meu marido e o meu filho ao fim da tarde ao parque infantil! É maravilhoso vê-lo, cada vez com mais destreza, a subir sozinho para o balancé, a subir as escadas e a descer o escorrega sozinho... Eu, às vezes, tenho tendência para o ajudar, mas o meu marido impede-me e quer que ele faça as coisas sozinho para ganhar autonomia e sentir o prazer de ser capaz de fazer as coisas sem ajuda. Que belo fim de tarde!

"Mãe... Mãe... óh, mãe..."

É a primeira vez que vou para fora sem levar o meu piolho besnico que eu amo. Até agora, a única vez que nos separámos, foi quando o meu pai morreu e ele ficou com uma das minhas cunhadas, mas ele tinha 7 meses e ainda não estranhava nada nem tinha tanta noção das coisas. Só espero que ele não fique muito zangado connosco. A avó vai tratar muito bem dele e vai mimá-lo até à exaustão. Mas já o estou a imaginar quando acorda a chamar: "Mãe... Mãe... óh, mãe..."

A educação dos filhos...

Andam por aí uns post na net sobre supostas crianças mal educadas que salpicam outras à beira e posts originados por este e na minha opinião é fácil criticar os filhos dos outros e a educação que os pais lhes dão. Odeio crianças mal educadas e faço, todos os dias, por educar bem o filho, ensinando-o a respeitar os outros, a não ser brusco, a partilhar, a cumprimentar, a não gritar, a não atirar coisas e por aí fora, mas os miúdos não são máquinas, têm imensa energia, vivem em mundos pequenos (creches, casas sem jardim, etc) e quando se apanham na praia é a loucura total. Já relatei aqui alguns dos episódios que vivemos na praia quando estivemos 15 dias de férias com o meu filho em que ele só queria andar, descobrir, estar à vontade... No meio disto tudo, atirou areia aos primos e foi repreendido, mas a verdade é que houve um dia em que ele estava obstinado em atirar areia e por mais que lhe ralhássemos e o sentássemos de castigo, ele parecia que estava possuído; tirou bolachas da mão de outras crianças que não conhecia de lado nenhum; destruiu castelos de areia alheios e outras malandrices... Ninguém o fulminou com o olhar e já era a coqueluche da praia, pois com é um rapazito super simpático que cativa toda a gente com a simpatia e beleza, mas a verdade é que há pessoas que não acham graça a criancinhas... Elas fazem barulho, salpicam água e atiram areia. Conseguem ser cansativas? Muito. Mas são a melhor coisa do mundo...

Bom dia!

Desde que cheguei de férias os meus dias têm sido alucinantes em termos de trabalho. Estou quase a ficar maluquinha, mas está tudo a correr bem e o projecto começa a ganhar forma. Mas esta semana, no meio de milhentas questões de trabalho, ainda tenho de ir arranjar um vestido para uma festa (de trabalho que temos no sábado), preparar mala para irmos para fora (o maridão vai acompanhar-me à tal festa), organizar as coisas do A. para ficar na Avó (vai ser uma estreia, vamos ver como corre) e preparar tudo para ele ir para a creche de Agosto na segunda feira de manhã...  Apesar da loucura tuda, BOM DIA!

27 de julho de 2011

62 anos de casados!!

Parabéns, meus queridos AVÓS do coração que fazem hoje 62 anos de casados! Que inspiração, que exemplo, que vida maravilhosa... Que Deus vos continue a abençoar por muitos anos e que a vossa vida a dois, de partilha, de entrega, de bons e maus momentos seja um exemplo para todos nós! Até logo, avozinhos.

26 de julho de 2011

Mio Mao - E Esta música que não me sai da cabeça....

Dia dos AVÓS

Amo os meus queridos avós, Eduarda e Zé, pais da minha mãe. Infelizmente, já não conheci a minha avó paterna e não tenho quase memória do meu avô paterno. Os meus avós maternos foram e ainda são fundamentais na minha vida. Um pilar. Imprescindíveis. Tão diferentes um do outro, mas duas almas boas e que são um exemplo de vida. A minha avó mais racional, mulher pragmática e sem medos. Uma força da natureza. O meu avô, mais calmo e arrastado, que ficava (e ainda fica) a chorar nas despedidas. O meu avô que me liga todos os dias para ouvir a minha voz. Fui a primeira neta e fui e ainda sou, muito amada por eles. Cada um à sua maneira. Lembro-me de ficar em casa dos meus avozinhos longas temporadas, das histórias que o meu avô me contava antes de dormir, do vick vapoRub, da minha avó a coçar-me as costas, de ir assistir às aulas que o meu avô dava e de me sentar na primeira fila a desenhar... Tive e ainda tenho a sorte de ter os meus avós comigo. Sinto uma alegria imensa por conhecerem e se deliciarem com o bisneto A. e peço a Deus que os conserve os anos que ainda for possível connosco, bem como ainda estão. 

A minha mãe é uma super avó, completamente babada e rendida ao seu novo papel! Trata do meu piolho todos os dias, com muito amor e alegria. Vai buscá-lo à creche e brinca com eles antes de nós o podermos ir buscar. O meu filhote gosta muito dela e eu espero que eles possam viver muitos e muitos anos na companhia um do outro. Os avós são fundamentais e fantástico quando os pequenotes podem usufruir da presença e dos ensinamentos que só avós, com a sua disponibilidade e saber, lhes podem dar. O meu filhote já só tem duas avós. O meu pai ainda se deliciou com o papel de avô durante seis meses, mas foi só... O meu sogro, infelizmente, não conheceu nenhum neto...

Um grande beijo para todos os avós!!
  


Receios...

Às vezes tenho receio de não conseguir ser a melhor mãe para o meu filho, tenho medo de falhar, tenho medo que os meus actos (mais ou menos permissivos) comprometam a felicidade dele quando for mais crescido. É uma missão tão difícil... Os nossos filhos dependem de nós, nós vamos determinar (em grande parte) as pessoas que eles vão ser no futuro... Ai, às vezes dá-me assim um nervoso miudinho. Sei que as minhas falhas vão ter repercussões na vida, na felicidade e no equilíbrio do meu filho e o que eu mais quero é que ele seja um bom Homem e muito feliz.

25 de julho de 2011

Que calor!

Andava tudo a refilar contra o frio e o vento, mas eu andava toda contente. Se não gosto de calor? ADORO! mas é na praia, nas férias e à beira de uma piscina. Para andar na correria de Lisboa e para trabalhar preferia aqueles dias menos quentes...

24 de julho de 2011

Filho papagaio

O meu filho agora repete tudo o que lhe dizemos tal e qual um papagaio. Há pouco o pai ralhava para ele tirar as mãos engorduradas do cabelo e ele só repetia "tira, tira!". Nós com uma vontade de nos rirmos e a tentar manter a cara séria para ele não pensar que o ralhete era brincadeira, mas às vezes é mesmo difícil... Difícil também está a ser vesti-lo, despi-lo, mudar a fralda, tirar da banheira, acabar com a lavagem dos dentes e por aí fora. Parece que estamos na fase "não" que, neste momento, parece ser a palavra favorita do piolho mais fofo do mundo.

Zoo

Íamos ao fim da tarde ao Zoo, mas como lá chegámos perto das 18h30 já não valeu a pena entrarmos. 46 euros dois adultos e já não havia espectáculos nenhuns aquela hora. Ficámos cá fora, o Cucas viu os macaquinhos da entrada, os patos do lago, andou no Carrossel ganhou o "Livro da Selva" e adorou a tarde. Para ir ao zoo temos de ir de manhã para aproveitar bem, ver os golfinhos, dar comida aos leões marinhos, andar de teleférico e ver os animais com calma. Fiquei um pouco chocada com os preços dos bilhetes e pensei que muitos pais nunca poderão ir com os seus filhotes passar um dia ao Zoo.

Odeio motas!

Um dos meus cunhados veio buscar o meu marido para irem tratar de um assunto e veio de vespa. Lá foram os dois, tipo putos, todos contentes na vespa. Ele anda há uns anos a insistir que tem saudades de ter mota, mas eu tenho sido contra e, até agora, tenho conseguido impedir que ele compre uma mota. Sei que ele conduz bem, que é cauteloso e que nunca teve nenhum acidente, mas tenho pavor de motas e dos perigos que elas representam. A minha cunhada ofereceu a vespa de presente de anos ao marido e ele anda todo contente com a sua vespa e já sei que depois do passeio de hoje vou ter o meu marido a falar das maravilhas das duas rodas...Vão com cuidado, please!

23 de julho de 2011

Verniz de gel

Alguém já experimentou o verniz de gel? Pelo que me explicaram é um verniz que se aplica e que tem de cozer como se fossem unhas de gel, mas é apenas um verniz. Disseram-me que não danifica as unhas e que dura 3 semanas. Eu gosto de unhas curtas, simples, mas bem arranjadas e sempre pintadas e se isto funcionar parece-me uma alternativa mais simples. Nunca tive jeito para arranjar as mãos e ir ao cabeleireiro também é uma forma de terapia e estar ali meia hora sem fazer nada. Mas se tivesse de lá ir apenas uma vez por mês não me parecia mal. Partilhem a vossa experiência comigo. Obrigada.

Bom dia, Sábado!

O fim de semana não podia ter começado melhor. Eu e o meu maridão, em date, num jantar a dois num restaurante que adoramos no Príncipe Real e com um café bebido no 26º andar do hotel Sheraton em Lisboa, que tem um bar panorâmico com uma vista de cortar a respiração.
Cá em casa, a festa era grande e o meu filho delirava com os primos de 10 e 13 que resolveram abrir a mesa da sala de jantar, colocar uma rede de pingue pongue e jogar. Sentaram-no na cadeira dele e ali ficou a delirar e a gritar golo. A minha cunhada só o conseguiu meter na cama deixando-o levar com ele a bola de pingue pongue. 
Hoje de manhã mal acordou foi directo à mesa de jantar e ficou muito triste e sem perceber porque é que já não estava lá a rede. O meu marido improvisou uma mesa de pingue pongue e lá jogaram. Depois, foram para a ginástica do A. e para um momento de pai e filho. O A. está muito mamã, só me quer a mim e é importante que tenha programas exclusivos com o pai. Momentos que sejam só deles. O meu marido é o melhor pai que o meu filho poderia ter e parte-me o coração ver como ele fica triste quando o nosso piolho não lhe dá atenção e prefere o meu colo ao dele. Isto tem acontecido ao longo dos últimos 18 meses com fases em que a mamãzite se torna mais aguda... 

22 de julho de 2011

Fim de semana!

Yupi! Sexta feira! Esta semana de regresso até correu bem, felizmente ADORO o meu trabalho, mas foi bastante cansativa, com trabalho extra e uma equipa para motivar, pois está tudo em esforço por um dos elementos estar em férias.

Hoje eu e o meu maridão vamos sair para jantar fora e para namorar! Mas antes vamos passar na escola onde o meu filho vai estar no mês de Agosto e, apesar de já termos tomado a decisão e de termos chegado à conclusão que era melhor solução que podíamos ter arranjado, ainda me parte o coração saber que o vou deixar num sítio estranho onde não conhece ninguém. Eu sei que ele é mais do que hiper sociável e que nunca estranha ninguém, mas noto que também já sabe bem muito quem são as pessoas, quem conhece ou não. Ele é destemido e aventureiro, mas sabe que nós estamos por perto e isso faz toda a diferença e receio que ele sinta alguma estranheza... Coração de mãe sofre.

Manhã Parte 2

Sei que os 2 anos são conhecidos pelas birras dos mais pequenos e pelas medidas de forças. O meu filho ainda só tem um ano e meio, mas parece que já está mais dado a birras. Quando não quer fazer alguma coisa e eu o agarro faz aquele corpo mole e esperneia. Felizmente, acontece raramente e já percebi que a melhor maneira é ignorar e falar-lhe de outra coisa que ele adore ou, então, dar-lhe uma tarefa. Hoje de manhã para o tirar do quarto disse que tínhamos de ir lavar a cara. Ficou feliz e e saiu logo muito bem comportadinho. Na casa de banho subiu para um banco corrido que temos e ficou ali, de pé, a lavar a cara. Adora! É preciso estarmos muito atentos para ele não tomar banho completo, pois ele agarra-se à torneira e fica empoleirado com a cara debaixo do esguicho da água. É uma festa!

Manhã Parte 1

Estava hoje de manhã a vestir o meu filho e quando lhe ia calçar os ténis ele disse que não. Saiu do meu colo e foi buscar a crocs. Ia-lhe tirar as meias, mas ele queria era as crocs com meias... Eu só tinha vontade de me rir, mas lá lhe consegui tirar as meias para ele não sair de casa a parecer um turista holandês! Nunca imaginei que um piolho de 18 meses escolhesse os sapatos que quer calçar de manhã... Eles crescem tão depressa. É incrível o que já quer, o que já sabe que quer, as convicções...

21 de julho de 2011

Gosto...





Cobertor Salva Vidas

Que ideia fantástica, descobri eu num blogue. Um cobertor criado para ajudar os pais de recém-nascidos, em países subdesenvolvidos, a cuidar dos seus filhos, podendo desta forma impedir a morte dos seus bebés. Devemos todos apoiar!

Extreme Makeover Home Edition

Este programa da Sic Mulher, traduzido para reconstrução total, faz-me chorar copiosamente baba e ranho. Há muito tempo que não chorava tanto em frente da televisão. Pareço tonta, mas ao ver aquelas famílias atingidas pela tragédia de mortes de filhos, de pais, de irmãos... Nem nos apercebemos da dádiva que é termos os que amamos por perto, nem consigo imaginar o que é perder um filho, acho desumano, um horror, um golpe demasiado duro e que ninguém deveria viver... Fico com o coração tão apertado, choro sem parar, fico com os olhos inchados e vou a correr beijar o meu filho que dorme descansado na sua caminha. Eu sei que é um programa de TV, que é feito mesmo para apelar à lágrima, mas imaginar o sofrimento daquelas famílias, e de outras tantas e tantas a que a televisão não dá rosto, faz-me um nó ne garganta. Sempre fui de lágrima fácil, sempre chorei nos filmes e nas reportagens, mas desde que fui mãe estou mais sensível e nem consigo sequer imaginar a dor que muitos pais sentem quando os que mais amam, os que deveriam ver crescer, partem...

20 de julho de 2011

Obrigada, maridão!

Por não te teres esquecido da tua mulher gulosa e me teres presenteado com uma broa de mel maravilhosa, recheada com frutos, que é uma delícia, e outras coisas boas que trouxeste da tua viagem de hoje. Gosto dos teus miminhos, sabias? Mas ainda gosto mais de ti!! Amo-te. E amanhã vou preparar um belo pequeno-almoço com todas as iguarias que trouxeste para teres energia para mais uma viagem.

E boa viagem, amanhã!

Fim de tarde gostoso...

Quando o meu marido vai para fora em trabalho fico eu com o carro e sou eu que vou buscar o meu filho. Foi isso que aconteceu hoje e é sempre bom, pois consigo aproveitar os fins de tarde com o meu piolho. Ainda por cima, hoje tive a sorte da minha mãe nos ter feito o jantar e, por isso, sem pressas fomos para o parque infantil antes do regresso a casa. É por isto que eu adoro o Verão (apesar destes dias estarem manhosos). É dia até tarde, ganhamos mais horas de brincadeira e de luz. Parece que o tempo estica. Dá para brincar e passear ao ar livre. Gosto tanto! E o meu filho também!


Sonhos...

Eu sonho muito, mas mesmo muito. Há alturas em que acordo cansada de tanto sonhar. Uns sonhos têm nexo, outros nem tanto, numas noites sonho com pessoas que não vejo há muito, outras noites passo os sonhos a viajar... Esta noite fui de Nova Iorque ao Brasil num pulinho... Uma viagem de carro como quem vai daqui à Caparica... Mas, em quase todas as noites, sonho com o meu pai que me aparece... É tão real, a voz dele, as conversas, até os ralhetes e as discussões são as nossas. É tão estranho... Para onde é que vamos quando sonhamos? Que realidade é esta? Eu sonho a cores e de uma forma tão intensa, já resolvi questões a dormir...


18 de julho de 2011

Saudades do meu filho

Estou cheia de saudades do meu filho que está à espera que o pai o vá buscar. Se há coisa boa, mas mesmo boa nas férias, é poder estar o dia todo com o meu piolho mais querido e poder beijá-lo, apertá-lo, agarrá-lo e tudo e tudo e tudo a toda a hora!

17 de julho de 2011

Chegámos!

As férias foram magníficas! Perfeitas! Adorámos. Agora é altura de retomar a rotina, regressar ao quotidiano... Para já, vou ali fazer umas máquinas de roupa.

16 de julho de 2011

E agora...

É hora de fazer as malas. Aproveitar a sesta dos meus homens para arrumar tudo para ainda irmos dar um mergulho à praia antes de voltarmos para casa. É assim, tudo o que é bom acaba. O meu filho é que não sabe que as férias estão mesmo a chegar ao fim... Acho que lhe vai custar muito. Habituado a esta liberdade, às corridas na praia, às brincadeiras, a ter os pais a tempo inteiro vai sentir quando na segunda feira ficar na creche, limitado ao espaço da sua salinha, que é cada vez mais limitada para ele. Nestas férias o meu pequenote desenvolveu-se imenso tanto a nível motor (ninguém o agarra) como a nível cognitivo. De repente, fala tudo e mais alguma coisa e até se despede com um até logo!

Em jeito de despedida...




15 de julho de 2011

Aproveitar, aproveitar, aproveitar!

As nossas magníficas férias estão a chegar ao fim. Tem sido tão bom, tão perfeito... Não apetece deixar esta praia boa, esta vida familiar, estes dias compridos, as brincadeiras, os mergulhos, este ritmo maravilhoso... Só nos resta aproveitar as horas que ainda temos amanhã para desfrutar e dizer... "Até Breve".

O que o meu filho gosta dos chuveirinhos da saída da praia...

14 de julho de 2011

Livro infantil

E não é que nestas férias me surgiu a ideia de escrever um livro infantil? Vamos ver o que sai daqui...

Encanto total...

... Quando o meu pirralho ouviu o senhor das bolas de Berlim, levantou o braço e gritou "inhôre, inhôre". Todas as pessoas à nossa volta se enterneceram com aquele piolho lingrinhas que estava numa ânsia por comer um pedaço (do interior) da dita bola.

Confesso que sou uma mãe babada até mais não, 
mas o miúdo é tão, mas tão engraçado, 
tão divertido e patusco 
que não dá para ser de outra maneira...

13 de julho de 2011

Peixe

O meu filho adora as imagens e os brinquedos em forma de peixinhos. Diz logo "Péi". Por isso, ontem comprei-lhe uma tolha colorida e cheia de peixes... Ele descobriu logo um de olhos fechados e disse "péi óó".

Férias

O meu filho ainda não sabe o significado da palavra férias, mas já percebeu que estes dias no Algarve são muito especiais. Estamos numa casa diferente em que basta atravessar a rua para chegarmos ao maravilhoso areal com o mar mesmo ali em baixo. Não há stresses, rigidez de horários, banhos a correr, trânsito, horas a fio sem ver os pais e todas essas coisas que fazem parte do nosso dia a dia e que são uma tortura para a vida familiar. Aqui o ambiente é descontraído, anda já muitas horas sem fralda e fica admirado quando vê o xixi a sair pela pilinha, são horas e horas de forró e de brincadeira, manhãs e tardes de praia e de banhos de mar, o corpo a saber a água salgada, jantares tarde e muita gente sentada à mesa, num ambiente de boa disposição. É tãoooooooooo bom!!!!!

Momentos maravilhosos...



 

11 de julho de 2011

Julho

Não costumamos tirar ferias nesta altura, mas é uma maravilha. Os dias são mais longos e os fins de tarde deslumbrantes. Temos aproveitado ao máximo. O meu filho anda feliz e adora a praia e os banhos de mar. O vocabulário aumentou e mete conversa com toda a gente. Sempre que passa o senhor das bolinhas chama-o. Está guloso e brincalhão e tem a sorte de ter vários primos para as brincadeiras. Estou feliz por desfrutar destes dias maravilhosos com os meus amores. A minha mãe veio passar uns dias connosco e tem sido muito bom e uma grande ajuda.

7 de julho de 2011

Em modo de férias...

É tão bom!
  • Não ter horas para acordar e ter um piolho de 18 meses que dorme até às 10 e meia da manhã
  • Maré baixa e água quentinha
  • Brincadeiras à beira-mar
  • Apanhar conchinhas
  • Jogar à bola com o filho mais querido do mundo na praia
  • Muito tempo para estarmos juntos
  • Jantares e almoços na varanda
  • Ter tempo
  • Ausência de stress
  • Gelados à noite
  • Sestas a meio da tarde
  • Ver o sol a pôr-se na praia
  • Namorar muito com o amor da minha vida
  • Ter o meu filho a espalhar-me o creme protector nas costas
Estar de férias significa sair da rotina, esquecer as correrias do dia a dia, ter tempo para quem é mais importante, comer o meu filho com beijos, beber vinho branco geladinho ao jantar, esquecer os prazos e o trabalho, fazer o que dá na real gana e SER FELIZ! AMAR! Amar sem pressas e sem estarmos a olhar para o relógio.

3 de julho de 2011

Gravidez

Vivi uma gravidez de sonho. Adorei cada dia, cada modificação do meu corpo, ver a barriga a crescer. Desde o momento em que soube que estava grávida que eu senti que era mãe, que tinha um filho muito esperado e desejado dentro de mim. Tive de me controlar para não gritar pela janela, para não dizer a toda a gente e mais alguma que estava grávida. Quase não tinha barriga e já usava calças de grávida, estava orgulhosa, feliz, a realizar um sonho. Queria muito ser mãe e desde o primeiro segundo que aquele era o meu filho, o meu amor. A primeira eco foi a loucura, ouvir o batimento do meu filho, saber que ele estava ali, falar com ele à noite, ouvir músicas de embalar, devorar livros e revistas, fazer o enxoval... Foram momentos únicos e que vivi com o coração cheio de amor e de alegria...
Tenho pena que uma querida amiga do coração esteja a viver a gravidez e a maternidade de uma forma triste e aborrecida e muito só. Que às 15 semanas não tenha comprado nada e diga que não tem vontade de comprar nada. Nunca se referiu aquele bebé como o filho, mas ao feto e à gravidez, nunca passou a mão pela barriga nem gosta de a exibir. Um bebé planeado numa relação tortuosa, uma gravidez de risco e uma mulher médica que se refere ao filho com termos técnicos e total ausência de afecto. Espero que nos próximos tempos ela consiga perceber que já é mãe e que ficar em casa de repouso é muito importante e que é apenas um dos sacrifícios que vai fazer, toda a vida, pelo filho.

Éramos para estar a banhos, mas não estamos...

A vida é mesmo assim. Fazemos planos, mas às vezes os imprevistos trocam-nos as voltas. Foi o que nos aconteceu. Ontem de manhã, estava eu a arranjar as unhas para irmos de férias, quando o meu marido me liga a dizer para não me preocupar e vir para casa depressa. A voz dele de pânico fez-me vir a correr com as unhas por secar e a conta por pagar. Só pensava no meu filho, pois estava a falar com o meu marido que estava suficientemente bem para me ligar. Um minuto depois estava em casa, Voei pelos degraus sempre à espera de ouvir os gritos do meu filho. Tinha o meu marido à porta com uma cara muito preocupada e a casa num silêncio. Perguntei pelo piolho e o meu marido disse que ele estava a dormir, estava bem, (respirei) ele é que estava a ter um pneumotoráx como tinha tido há 10 e que o tinha atirado para o bloco operatório e para umas semanas no hospital. Eu queria chamar o 112, mas o meu marido queria ir ter com a prima pneumologista que o tinha ajudado da outra vez. Depois de pedir à minha mãe que viesse para ficar com o nosso filho, fomos para o hospital (ele não conseguiu falar com a prima e decidimos ir para um privado) onde ele fez todos os exames e onde lhe disseram que estava tudo bem. Ele dizia que não podia ser, pois conhecia os sintomas, mas o médico ria: o médico sou eu, amigo, vá de férias. Nada convencido recorremos a uma médica da nossa família que disse que ele tinha tido um pneumotórax, se bem que muito pequeno e que não necessitava de cirurgia, mas apenas de descanso nos próximos dias e avaliar a situação... Felizmente, hoje o meu marido já se sente muito melhor, já não tem dores nem pontadas e parece que se continuar assim poderemos ir para as nossas tão ansiadas e merecidas férias... Deus permita que ele fique bem. A ansiedade que eu tive ontem é indiscritível... O medo de perder quem amamos não se consegue exprimir por palavras. 


1 de julho de 2011

Férias...

Depois de 2,5 horas de sono na noite passada, 13 horas de trabalho seguido e uma semana de loucura... FÉRIAS!