31 de outubro de 2018

Tivemos Halloween e Pão Por Deus!!


Acima de tudo, dois miúdos felizes!!

Ainda sobre a minha operação aos olhos!

Só para dizer que 3 semanas depois já me esqueci que usava lentes e óculos, vejo 100%, foi super simples e recomendo! É uma maravilha. Expliquei aqui que fiz Lasik e que tinha 3 diopetrias num olho e 3,5 dipotetrias no outro. Era miope desde que me lembro... e já não sou! Se soubesse já tinha feito há uns aninhos... Mas como diz o ditado, mais vale tarde do que nunca! 

E quando o teu marido vai para fora em trabalho...

... e tu contas os dias e vão ser 26 dias sem ele... eu e os meus filhos, o meu trabalho, o trabalho da casa, deitar e levantar sem aquela retaguarda... olha fica agora aí tu com os miúdos para eu dar banho à Kika, vai andando com eles enquanto eu arrumo a cozinha, leva tu amanhã à escola que eu tenho um reunião cedo... Desenrasco-me muito bem sozinha com as crias, mas vão ser muitos dias sem o apoio e sem a companhia do meu marido... e já sei que eles vão morrer de saudades do pai, que vai estar noutro continente... muito longe de casa... e este ano, não o vamos poder abraçar no dia do aniversário dele... acho que vai ser duro, mas havemos de conseguir dar a volta a tudo da melhor maneira!

E está aberta a época do ranho, da tosse, das constipações...

... Odeio o inverno, o frio, o vento! Não é mesmo para mim. Só espero que a minha Kika se aguente até meio da tarde, quando a vamos auscultar ao médico de família... Passou tão mal a noite, sem febre, mas cheia de tosse.

30 de outubro de 2018

Coisas que me pasmam!

A lata dos colégios privados aproveitarem todos os feriados para fazerem ponte! Os meus sobrinhos dos colégios na sexta não têm escola... Acho um abuso.

29 de outubro de 2018

Já tens um filhote em casa e ligam da creche...

A Kika está com diarreia... lá vamos nós buscar a pequenina... e não és a única a vir para casa, anda por aí uma grande virose...

Há miúdos que adoram brincar, o meu Afonso é um deles...

Este meu filho adora brincar... 
esteve entretido com os seus carros e autocarros...


E depois trouxe-me o almoço!


É o meu filho que mais adora brincar, 
mesmo sem companhia consegue brincar muito bem 
sem se chatear.
 Inventa, constrói...



Entre mimos e dores de barriga...

... Hoje tenho o meu filho do meio em casa. De manhã doía-lhe a testa e a barriga, mas parecia bem disposto. O irmão acusou-o logo de manha para ficar comigo em casa. Combinámos que ia à escola e que se as dores de barriga não passassem vinha para casa. Esteve lá uma hora, continuava queixoso. Fui buscá-lo. Já comeu torradas e bebeu chá. Quer os manos. Não quer brincar sozinho. Eu tenho de trabalhar no computador, mas ele quer mimo e atenção... e já me disse que logo vai estar melhor e que pode ir à aula de piano... 

Ementa Semanal

Tenham uma boa semana, esta com um feriado pelo meu! 

2ª feira
Jantar: Hambúrgueres com esparguete e esparregado

3ª feira
Jantar: Entrecosto assado no forno com arroz e salada

4ª feira
Jantar: Empadas de frango com cuscus e legumes assados

5ª feira
Jantar: Salmão no forno

6ª feira
Jantar: Bifes de peru grelhados com batata gratinada

sábado e domingo
Invenções e sobras

26 de outubro de 2018

Dia de greve da função pública é dia de mãe e filho grande...

Estamos os dois em casa. Ele vinga-se na televisão, na playstation e na paz de ter a sala só para ele, o que numa família numerosa é um luxo! Eu trabalho para cumprir deadlines de entregas. Vamos almoçar fora e à tarde ele despacha os trabalhos de casa, enquanto eu trabalho. Quando soube que ia haver greve, disse-me: vamos ter um dia de mãe e filho! É isso mesmo. Também estamos a precisar de estar só os dois. Mimos em exclusivo, para ele e para mim!

Um mimo para a minha Kika 💕

Como prémio por já não usar também fralda de noite ofereci-lhe estes vernizes de criança.
Ficou tão feliz.


Nas últimas noites tinha havido acidentes... Ela chamava-me para fazer xixi, mas entre eu chegar e não chegar ao pé dela, havia acidente.
Ontem disse-lhe: oh, Kika, as meninas que usam as unhas pintadas não fazem xixi na cama.
E não fez.
Deve ter sido coincidência, mas foi uma noite sem mudar lençóis.

25 de outubro de 2018

Todas as semanas a conversa repete-se...

- mãe, não me apetece ir hoje à natação...
- mãe, podemos não ir à natação?
- hoje não vou e não vou à natação, está bem?
- Não gosto da natação!
- estou cansado... não quero ir à natação...


Vamos sempre à natação. Eu argumento. Brinco. Desvio o assunto... 
e lá se vestem e vão para dentro de água
e no fim... eles adoram a aula. 
Divertem-se, riem, aprendem.
Voltam sempre exaustos, mas contentes.
Nunca querem ir, mas quando lá estão adoram!



Aos pais que têm filhos no ensino público

Amanhã há greve da função pública. Na escola do meu filho mais velho isto tem significado sempre que a escola não tem condições para abrir por falta de funcionários. A escola tem tão poucos auxiliares e pessoal não docente, que basta que 2 ou 3 façam greve para a escola não poder abrir. Mais informações, aqui.

Hoje trouxe as botas novas para o escritório!

E são lindas, não são?
Estava com medo por comprar online sem experimentar, mas o 37 serviu-me como uma luva.
E além de lindas são mesmo confortáveis. 

24 de outubro de 2018

Das coisas que sabem bem ouvir...

Filho mais velho: mãe, sabes que não gosto lá muito banana (fruta do almoço na escola), mas pensei em ti e no que tinhas dito sobre a importância desta fruta, especialmente em dia do treino de futebol, e comi. 

Fiquei tão feliz e orgulhosa. Ele podia ter dado a um colega, ter deixado, mandado para o lixo... Podia ter tomado várias decisões. Tomou a melhor, lembrando-se do que uma vez lhe tinha explicado...

É isto que quero, que o que lhes vou ensinando fique lá, que se lembrem das coisas que lhes vou dizendo, que tantas vezes parece que entram a 100 e saem a mil... mas que na altura de fazer escolha eles se lembrem do que eu lhe digo, lhes ensino... Porque não estamos com eles todo o dia, porque à medida que vão crescendo vão tomando cada vez as rédeas e as decisões deles, e o importante é que aquilo que lhes vou ensinando e explicando vá ganhando raízes dentro deles... para quando não estou lá, eles escolham com consciência.

22 de outubro de 2018

Venda de bolos na escolinha parte 2

Emocionei-me com a alegria do meu filho o final do dia: mãe, vendi logo o bolo todo! Os meus amigos adoraram! Quando a avó me foi buscar para ir à música só havia uma fatia e a avó comprou para ti e para o pai!! E estava mesmo bom... mas o melhor foi ter sido feito por nós os dois com um propósito concreto, que ensina como é importante trabalharmos para os nossos objetivos, para os nossos desejos! 

Manos na hora da leitura❤️

Mano grande lê o seu livro "Os Mauzões" enquanto o mano do meio ensina à mana atenta tudo sobre camiões, comboios e outros veículos!

O desfralde noturno da Kika

No início do verão fizemos o desfralde de dia, em Setembro fizemos o desfralde também da sesta e ontem, na hora de deitar, a Kika disse: hoje já não uso fralda. E nós respeitámos. Acordou seca, como muitas das noites dos últimos tempos, em que usava fralda cueca. Estava tão feliz e orgulhosa e nós batemos palmas e enchemo-la de beijos e abraços! 

Ementa semanal

Boa semana!

2ª feira
Jantar: Peito de peru assado, desfiado com massa e salada.

3ª feira
Jantar: Peixe no forno

4ª feira
Jantar: Bifes panados com esparguete e salada

5ª feira
Jantar: Peito de peru assado com arroz de legumes

6ª feira
Jantar: Rolo de carne recheado

sábado e domingo
Invenções e sobras

Venda de bolos na escolinha

O meu filho Afonso este ano é finalista do Jardim de Infância, o que na escolinha dele quer dizer: viagem de finalistas de 3 dias em junho. Para evitar que se tenha de pagar tudo na altura, numa IPSS onde há rendimentos mais altos e outros mais baixos, durante o ano fazemos vendas de bolos, entre outras atividades, para angariar dinheiro.


O meu filho hoje estava todo vaidoso, levando o bolo que fizemos juntos hoje e que ele vai vender à tarde. 
O filhote mais velho perguntou se eu ia vender com o mano, eu respondi que não, hoje não posso, e não é obrigatório os pais estarem na venda, a educadora ajuda. Ele disse que das vendas que ele fez na altura dele, a única que se lembra foi a que eu estive a vender com ele... É incrível como eles não esquecem a nossa presença, os momentos que partilhamos com eles e nos quais nos "entregamos" a eles... Ficou decidido, na minha cabeça, que quando voltar a inscrever o Afonso na venda dos bolos, eu vou lá estar com ele...

21 de outubro de 2018

Leitura nova

Fomos comprar calças, mas veio também um livro de uma coleção que o meu filho mais velho adora! Estava a ver que ele caía no tapete rolante... Não largou o livro desde que o comprámos. O 1º desta coleção comprámos na Feira do Livro, em Maio. Hoje veio o 2º Episódio. 

Podia ir ali abrir uma loja de calças de ganga

... isto foi o que aconteceu quando pusemos de lado os calções e fomos ver que calças de ganga serviam aos rapazes. Não sobrou um par!!

Seguem viagem para outras pernas, a quem façam jeito!

O meu guloso

O meu marido foi de manhã ao Ikea tratar da encomenda da nossa cozinha nova e trouxe-me um mimo de canela...

... mas não sou a única fã e foi partilhado com o meu guloso Afonso!

20 de outubro de 2018

Almoço de família

Sábado um tio  meu reuniu os primos, sobrinhos, filhos, netos e sobrinhos netos num almoço de família... O dia estava perfeito e foi tão bom! A minha avó, a matriarca da família com os seus maravilhosos 97 anos, estava feliz e bem acompanhada!! 


E os meus filhos andaram felizes a brincar no campo, ao ar livre!


18 de outubro de 2018

Já as andava a namorar desde o inverno passado...


Mas como não precisava de botas novas, não as comprei. Nunca fui consumista, gosto de comprar, de ter coisas giras, mas o excesso faz-me confusão. Além de que tenho de gerir o orçamento de uma família de 5 pessoas... E eu como já não cresço e não estrago roupa sou sempre quem menos precisa de ir às compras. 
Mas ontem, a primeira vez que calcei botas nesta estação, reparei que as minhas botas preferidas estavam a descolar... e quando estas lindonas me apareceram à frente não lhes resisti. E comprei-as. Achei que merecia um presente de Outono para mim. Arrisquei um bocado porque não as vi ao vivo e porque nunca comprei sapatos online... É fazer figas para que sejam tão bonitas como parecem e que me sirvam bem.
Depois dou notícias.

Adoro preparar pequenos almoços para a família!

E já não é só ao fim de semana que faço uns pequenos almoços mais ricos. Hoje para acompanhar as torradas  fiz uma grande omolete com queijo e fiambre para dar energia à tropa cá de casa! Nem 5 minutos demorou a fazer e saímos todos de casa de barriga cheia. 


Para mim, o grande segredo é acordar com tempo. Aprendi isto há muitos anos com a Mum's the Boss. O segredo das manhãs tranquilas está em nós, em acordarmos mais cedo e arranjar-mo-nos antes de irmos tratar das crianças. Claro que os anos passaram e os meus filhos mais velhos cresceram e são autónomos a arranjarem-se de manhã. Só a Kika precisa que eu a vista. A roupa dos rapazes fica pronta de véspera e de manhã quando eles acordam vestem-se e depois podem ver bonecos, caso o pequeno almoço não esteja ainda pronto. Bom dia a todos!

17 de outubro de 2018

Voltei ao tema do Ronaldo e consegui falar com o meu filho mais velho...

Tinha aqui partilhado neste post que quando, logo ao início, o meu filho mais velho me perguntou o que se passava com o Ronaldo eu fui apanhada de surpresa e não soube responder... Ele não sabia o que era uma violação, como explicar tanta coisa? Arrependo-me de não ter pensado rápido e de não lhe ter respondido. Depois, li algumas coisas sobre o assunto e a forma de abordar esta notícia, de forma adequada aos 8 anos dele, e ontem puxei a conversa e disse que já sabia o que tinha acontecido com o Ronaldo e a rapariga. Frisei bem que não estávamos lá para ver e que todos são inocentes até um juiz provar o contrário. Ele disse logo que os juízes têm de ser pessoas muito sérias. E expliquei que, ao que parece a rapariga estava a dançar com o Ronaldo e parecia que ela queria namorar com ele... O Ronaldo beijou-a, mas depois ela mudou de ideias e o Ronaldo continuou a beijá-la. E que se fez isso é errado porque não podemos forçar ninguém a beijar-nos ou a namorar connosco... Para mim, o cerne da questão era este: Não beijar quem não quer ser beijado, não nos deixarmos beijar se não queremos. É o nosso corpo. A nossa intimidade. Os nossos limites.

E aqui caímos num tema que parece que está ao rubro nas redes sociais por causa de um professor que disse, no Prós e Contras da RTP, que eu não vi, que não devemos obrigar as crianças a dar beijos, nem às avós. Não sei o contexto em que ele falou e parece que há grande polémica, mas em relação a forçar a dar beijos, eu concordo que não se deve obrigar. Sempre fiz isso. Já fui criticada e olhada de lado. A minha mãe espuma de fúria quando os netos não lhe querem dar beijos e eu não obrigo. Os beijos conquistam-se. Os afetos não são forçados. Eu acredito que nisto. Acredito que não devemos forçar o contacto físico, que não podemos ensinar as crianças que dão donas do corpo delas, se depois as obrigamos a dar beijos... claro que há crianças que estão na boa, mas há outras para quem dar um beijo a um estranho - uma amiga vossa que encontram na rua e não vêm há anos, apresentam o vosso filho lindo e ele é obrigado a beijar uma estranha ali na rua, sem razão nenhuma -. Para mim não faz sentido. Não serei a única, a Ursa, Quadripolaridades, escreve muito bem sobre isso, não só como mãe, mas como psicóloga. Eu tenho três filhos e sei que para um deles os beijos a estranhos são um terror, odeia chegar a algum sítio cheio de gente, odeia que estabeleçam contato com ele nos primeiros minutos. E foi ele que me ensinou que não posso obrigar a dar beijos. E não é mal-educado por isso. Um olá, boa tarde ou adeus são suficientes. Para mim, para os meus filhos. E eu farei sempre o que achar que é melhor para eles.

16 de outubro de 2018

Depois de quase uma semana sem ler por causa dos meus olhos novos...

... o que para mim é uma eternidade. Chegou hoje um novo livro para mim. Nunca li nada desta autora, nem vi o filme. Vamos ver como é o livro.


Louisa Clark é uma jovem com uma vida banal - um namorado estável, trabalhador e uma família unida - que nunca saiu da aldeia onde sempre viveu. Quando fica desempregada, vê-se obrigada a aceitar um emprego em casa de Will Traynor, que vive preso a uma cadeira de rodas, depois de um acidente. Ele sempre tinha vivido de um modo trepidante - grandes negócios, desportos radicais, viajante incansável - agora tudo isso ficou para trás.


Will é mordaz, temperamental e autoritário, mas Lou recusa tratá-lo com complacência e em breve a felicidade e o bem-estar dele tornam-se muito mais importantes do que ela esperaria. No entanto, quando Lou descobre que Will tem planos inconfessáveis para a sua vida, ela luta para lhe mostrar que ainda assim vale a pena viver.


Em Viver depois de ti, Jojo Moyes aborda um tema difícil e controverso, com sensibilidade, obrigando-nos a refletir sobre o direito à liberdade de escolha e as suas consequências.Louisa Clark é uma jovem com uma vida banal - um namorado estável, trabalhador e uma família unida - que nunca saiu da aldeia onde sempre viveu. Quando fica desempregada, vê-se obrigada a aceitar um emprego em casa de Will Traynor, que vive preso a uma cadeira de rodas, depois de um acidente. Ele sempre tinha vivido de um modo trepidante - grandes negócios, desportos radicais, viajante incansável - agora tudo isso ficou para trás.

Will é mordaz, temperamental e autoritário, mas Lou recusa tratá-lo com complacência e em breve a felicidade e o bem-estar dele tornam-se muito mais importantes do que ela esperaria. No entanto, quando Lou descobre que Will tem planos inconfessáveis para a sua vida, ela luta para lhe mostrar que ainda assim vale a pena viver.


Em Viver depois de ti, Jojo Moyes aborda um tema difícil e controverso, com sensibilidade, obrigando-nos a refletir sobre o direito à liberdade de escolha e as suas consequências.

Hoje o dia começou com panquecas!

Panquecas integrais super fáceis de fazer:
200 g farinha integral
1 colher chá fermento
1/2 colher chá de sal
uma colher de sopa de óleo de coco
30 g açúcar mascavado
300 g leite
2 ovos
Colocar todos os ingredientes no copo da Bimby e programa 30 segundos velocidade 5. Baixar o que ficou no copo com a ajuda da espátula e voltar a programar 30 segundos velocidade 5. Reservar 10 minutos e já está. Deitar uma concha de massa numa frigideira anti-aderente e quando a massa começa a fazer bolinhas, virar! Nós comemos com queijo creme e doce de frutos vermelhos. 




15 de outubro de 2018

Começámos a semana com um novo livro...

Era uma vez um menino que, um dia, encontrou um pinguim à sua porta…O menino não sabia de onde é que ele aparecera nem a quem pertencia. O pinguim parecia triste, por isso o menino achou que ele devia estar perdido. Então, decidiu ajudá-lo a encontrar o caminho de regresso a casa e, juntos, rumaram ao Pólo Sul… 


Eu requisitei o nosso livro aqui, há uns dias. E hoje fui buscá-lo à biblioteca para onde pedi que ele fosse enviado... E foi a nossa história da noite, lida a meias por mim e pelo filho mais velho enquanto o do meio passava as páginas e a mais nova subia e descia as escadas dos beliches dos irmãos!

Ementa da semana

Boa semana!

2ª feira
Jantar: rolo de carne, esparguete e salada

3ª feira
Jantar: Feijoada com arroz branco

4ª feira
Jantar: Lasanha de atum com salada

5ª feira
Jantar: Lombos de pescada no forno com espinafres e sopa de camarão (sopa mais natas) com puré de batata

6ª feira
Jantar: Frango assado com batatinhas e legumes

sábado e domingo
Invenções e sobras

Quando estás desligada do mundo...

... e te tocam à porta a falar do furacão! Mas qual furacão?!!! Como contei no post anterior na 4ª feira fiz uma cirurgia Lasik para acabar com a miopia e fiquei com restrições ao nível dos écrans, que é como quem diz, desliguei do mundo... No sábado de manhã saí à rua, estava um dia lindo, mas com muito sol, o que me cansou os olhos... Depois de almoço deitei-me no escuro a descansar os olhos e aproveitei para dormir uma sesta com a Kika... Acordei com a porteira a tocar à porta. Abri.
E diz ela: é melhor mudarem o carro do -2 para o -1 para o caso da tempestade vir com muita chuva, já sabemos que em grandes chuvadas às vezes o -2 alaga.
Eu: mas qual tempestade?
Ela: O furacão?
Eu: Qual furacão? (quantos dias tinha eu dormido?? Deitei-me por causa do excesso de sol que me incomodou nos olhos...) E ela lá me explicou que vinha o Leslie a caminho...
Parecia uma cena dos malucos do riso!

Cirurgia Lasik... adeus óculos e lentes de contato!!

Estou ausente desde 4ª feira, alheia a televisões, computadores e telemóveis... Fiz a cirurgia Lasik para acabar com a miopia e foi a melhor coisa que fiz! Estou feliz. Cirurgia super simples e recuperação top! Fui operada às 15h30 numa intervenção rápida e sem dor. Vim para casa para o escurinho do quarto, ao som do rádio, como antigamente, no tempo em que não havia nem telemóveis, nem televisões no quarto... À noite, quando ouvi o programa de rádio Oceano Pacífico da RFM viajei até ao tempo do liceu... altura em que adormecia a ouvir radio... não tive dores nem desconforto. No dia seguinte continuei em repouso, no escuro, a dormitar, a colocar gotas, até ter consulta de pós operatório a meio da tarde. Estava tudo bem. Já tinha visão a 100%. Só tenho de continuar a colocar muita lágrima nos olhos, para não secarem, e estou também a aplicar gotas antibióticas e colírio. Tinha 3 e 3,5 de miopia.

10 de outubro de 2018

Ainda há muitos preconceitos, rótulos e estigmas


Infelizmente, neste momento tenho vários casais amigos a separarem-se. Ao todo são 4. Está de tal ordem que o meu filho mais velho já me veio dizer: espero que a seguir não sejamos nós a separar-nos... Um desses casais, eu sou amiga e colega do marido em causa, vai fazer guarda partilhada dos filhos, de 3 e 8 meses, respectivamente. O meu amigo, que é um super pai a tempo inteiro, tendo sido ele a tirar grande parte das licenças parentais, por disponibilidade, gosto e vontade, foi ontem comprar tudo o que é preciso de puericultura para a casa nova, para onde se mudou no fim de semana, e onde os filhos já dormem esta semana. Comprou tudo do zero, de berços a muda fraldas, biberons, cadeira da papa, resguardos... produtos de higiene... vocês sabem as tralhas que os mais pequenos precisam. Na loja de puericultura, onde deixou uma pequena fortuna, ofereceram um saco com brindes de oferta, que vinha no meio dos pacotes... e quando ele vai a ver o saco, já em casa... MummyCool! É isto. Ainda há tanto a fazer por todas as igualdades, para que possamos acabar com os rótulos e com os estigmas! Não era mais fixe se o saco dissesse BabyCool?


Que nas novas vidas que estas famílias recomeçam encontrem paz, serenidade, que os filhos sofram o menos possível, que cada um se volte a reencontrar como pessoa, que as nuvens negras e a tristeza vão diminuindo, que o bom senso prevaleça... e que voltem a ser felizes...

9 de outubro de 2018

À roda da mesa...

Nem sempre conseguimos paz e tranquilidade à hora da refeição. Um levanta-se porque precisa de ir à casa de banho, outro lembra-se que também quer, depois a Kika quer fazer gracinhas, um não quer comer, geralmente o mais velho... Mas ontem consegui perguntar a cada um o que tinha sido o melhor do seu dia. E a Kika está tão crescida que também respondeu e disse que tinha ido ao parque com a R. (educadora). Os irmão meteram-se na conversa e começaram logo a dizer que ela estava a fazer confusão: tinha ido ao parque com a avó, que ontem os foi buscar aos 3 para irem os mais velhos depois para as respetivas aulas de música. A Kika voltou a dizer que tinha ido com a educadora. E eu acreditei. E pedi aos irmãos para aceitarem a resposta - não sei como é aí, mas aqui há uma tendência para se desdizerem uns aos outros... - e lá continuamos com o jantar e a conversa... Hoje, quando a fui levar, quis confirmar que tinha feito bem em acreditar, gosto sempre de acreditar nos meus filhos. E a educadora confirmou que tinham ido todos ao parque apanhar folhas para um trabalho sobre o outono. A minha filha está uma explicadinha... E logo vou usar este assunto para explicar aos irmãos que devemos acreditar e não devemos desdizer o outro, porque isso os deixa triste. Imaginem a Kika toda contente a contar o melhor do seu dia e nós a não acreditarmos nela... São pequenos grandes pormenores.

8 de outubro de 2018

Hoje foi o meu último dia de lentes de contato!

Comecei a usar lentes de contato no liceu e ainda me lembro da magia que senti... era incrível ver tudo de forma nítida, já que a maioria das vezes o mundo para mim era desfocado porque eu odiava usar óculos. De modo, que para mim, o mundo existiu nitidamente quando coloquei as lentes e olhei pela montra da loja, na Av. de Roma, e vi o toldo da pastelaria do outro lado da rua. Nunca mais esqueci esta imagem. Foi há uns 25 anos... Desde então, as lentes passaram a fazer parte do meu ritual. Foram raros os dias em que usei óculos. Hoje é o meu último dia com lentes. Amanhã vou fazer descanso e na 4ª feira sou operada a laser e... parece que deixo de ser míope! Acho que vai ser estranho... Depois conto tudo! 

Explicar o escândalo do Ronaldo a uma criança de 8 anos

Em minha casa vemos poucas notícias com os miúdos. Nunca sei quando surgem imagens de violência descabida no jornal das 8 ou da uma. Não vemos televisão às refeições, exceção feita às notícias da manhã quando tomamos o pequeno almoço. E foi aí que surgiu uma das primeiras notícias do Ronaldo... E o meu filho mais velho, super fã do Ronaldo, ficou atento e quis logo perceber o que é que se passava, que notícia era aquela... Eu e o meu marido engasgámo-nos, não soubemos bem responder, tentámos dar a volta, ainda nem nós sabíamos bem o que se passava... estavam ali tantas temáticas complicadas de explicar, o meu filho nunca tinha ouvido falar em violação… Fugimos à questão, demos a volta. E depois pensei que estivemos mal, devíamos ter conseguido explicar, não explicamos nós, vai perguntar na escola…e a informação pode ficar ainda mais distorcida…


Boa semana. Aqui está mais uma ementa!

2ª feira

Jantar: Massa de fiambre e queijo, gratinada no forno, com salada de tomate

3ª feira
Jantar: Caril de camarão com arroz basmati

4ª feira
Jantar: Salsichas frescas com couve lombarda

5ª feira
Jantar: Bacalhau à gomes de sá

6ª feira
Jantar: Perna de perú assada no forno

sábado e domingo
Invenções e sobras

6 de outubro de 2018

Uma vinda à biblioteca

Tive de fugir umas horas para a biblioteca para conseguir trabalhar e cumprir uns prazos de entrega. Em modo de compensação pela minha ausência, levo os últimos dois livros que chegaram para os meus filhos! 
Espero que eles gostem. 
Qual será o que vamos ler logo à noite? 




Um feriado de outono que sabe a verão ❤️

Foi tão, mas tão bom!!!
Um dia de praia perfeito, em família!

3 de outubro de 2018

Costumo andar de olho num e noutro!

Mas hoje fiquei-me pela aula do filho do meio... faltaram-me as forças para andar a fazer piscinas para cima e para baixo! 

Hoje as aulas de natação já estavam bem completas, de 3 meninos passaram para 7 ou 8... é sempre melhor quando são menos, mas mesmo assim estas aulas têm poucas crianças... depois da natação, banho e pijama logo vestido! Faço isto há anos, desde sempre, e é o mais pratico! E agora até melhorei a técnica, a Kika também toma lá um duche enquanto espera pelos manos! Venho com os três bem lavadinhos, cheirosos e prontos. Chegamos depois das 20h, mas é jantar, história e cama! Até amanhã 

Mais um livro da biblioteca

Chegou, que é como quem diz, fui requisitar mais um livro para ler aos meus filhos.


Mas agora o drama é que o mano de 5 anos quer ler os livros aos irmãos, mas o mais velho não quer, até porque: ele não sabe ler, "lê" os bonecos... e aquele momento que devia ser de paz, muita vez transforma-se em acusações, amuos e birras... Não é fácil, não é fácil...

Os recém nascidos e outros pequeninos...

... Quando os vejo já não me derreto (e ainda bem, porque laqueei as trompas na cesariana da Kika), já não me imagino com um ao colo, já não tenho aquele instinto de cuidar, dar de mamar. Nada disso. Muito pelo contrário. Fico feliz da minha filha mais nova já ser uma crescida, independente, que se veste sozinha, come sozinha, vai à casa de banho sozinha e está quase a fazer 3 anos. Sempre desejei, sonhei, idealizei ter três filhos... e tive a sorte, a bênção de os ter... e fechei a loja com a Kika no topo do bolo, resolvi-me completamente... e hoje quando vejo um recém-nascido, acho-os deliciosos, mas penso para dentro que ainda bem que não é meu... Que alguém que não eu o vai levar para casa e cuidar dele... Já dei todas as minhas energias para os recém-nascidos, noites e dias a dar de mamar, fraldas, choros que não se traduzem em palavras, hormonas de mãe... Agora os desafios e os cansaços são outros! 

Já conhecem o Movimento Gentil, do Zig Zag?


O Zig Zag criou o Movimento Gentil para promover a gentileza e relembrar que ser gentil não custa nada, mas faz toda a diferença na nossa vida e na vida de todos os que estão à nossa volta. É fundamental levar a gentileza e espalhá-la, nos pequenos gestos do dia à dia. Espreitem o site, está cheio de jogos, vídeos e coisas giras para fazer com os mais pequenos!

As reuniões de pais...

... Não seria mais correto chamar-lhes reuniões de mães?? É uma piada, mas ontem, voltei a confirmar que somos quase sempre as mães a estar presentes... Ontem éramos umas 15 mães e 3 pais... É provavelmente uma questão cultural, mas em todas as minhas reuniões de pais, e com 3 filhos já tenho muitas horas disto, a sala está quase sempre cheia de mães! Há quem não tenha saco para estas reuniões, há quem não possa ir, há quem se balde, eu gosto e acho importantes. Adoro quando vejo fotos das atividades de sala de aula, adoro quando vejo vídeos e aquelas carinhas larocas... Ontem vim um bocado cansada, o último ano do jardim de infância é o ano da viagem de finalistas, da festa de finalistas, das rifas e vendas de bolos e de lanches partilhados para os miúdos conseguirem ir 3 dias de viagem a custo quase zero... Eu gosto de me envolver, meto-me em tudo e gosto de participar e da dinâmica pais/ escolas... Mas era tanta coisa, tanta atividade... e eu a fazer as contas aos meus dias, já estão cheios, e a tentar encaixar tudo... Claro que se faz. E o meu truque não é olhar para o todo. Aprendi a organizar-me e a planear à semana... a mim, parece mais simples, um puzzle com menos peças para encaixar... 

2 de outubro de 2018

Uma história inspiradora💕

Professora portuguesa ensina música a crianças refugiadas em Berlim

Sofia Borges é percussionista e vive em Berlim. Há cerca de um ano e meio embarcou num novo projeto. No "MitMachMusik" ensina música a crianças refugiadas. O resultado é uma orquestra multicultural e uma professora cheia de histórias para partilhar.




Professora portuguesa ensina música a crianças refugiadas em Berlim




Professora portuguesa ensina música a crianças refugiadas em Berlim
Chegam e sentam-se em roda numa sala de aula improvisada numa das residências para refugiados, em Berlim. Cantam a “canção do olá” e apresentam-se ao som de uma música, que repetem semana após semana. São crianças, de várias origens, com dois pontos em comum: estão refugiadas na capital alemã e gostam de aprender música.
A professora é portuguesa. Sofia Borges é voluntária no projeto “MitMachMusik” (“fazemos música juntos”, numa tradução livre). Todas as semanas dispensa algumas horas para dar aulas de música a estas crianças.
É responsável por quatro turmas. No total, são cerca de 80 alunos, os mais novos com apenas seis anos.
“Nós vamos às residências de refugiados, que normalmente têm uma sala de convívio ou uma ludoteca onde as crianças podem brincar. Vamos lá e ensinamos música nesses espaços”, conta Sofia, à Renascença.
Se num primeiro momento, as aulas são apenas com crianças refugiadas, a partir de um certo nível começam a tocar em “salas neutras”, fora das residências, em conjunto com outros alunos de Berlim. “O nosso objetivo é a integração.”
E a integração não é difícil, diz a professora, que também é percussionista. “As crianças refugiadas aqui em Berlim vão à escola todos os dias, portanto já estão habituadas a brincar com meninos alemães e não só. Berlim é uma cidade muito internacional, eles têm amigos italianos, portugueses, espanhóis, americanos, etc.”
Cacofonia de instrumentos e línguas abafa histórias que custam ouvir
Há pouco mais de um ano, quando um amigo a desafiou para conhecer o “MitMachMusik”, Sofia identificou-se logo com o projeto. Foi assistir a um estágio da orquestra e encontrou “um grupo de crianças super internacional, concentradíssimo a tocar”. “Volta e meia ouvia-se árabe, depois alemão ou línguas que não sei quais são, mas quando chega à hora de tocar, faz-se silêncio e toca-se”, conta.
Sofia dá aulas aos primeiros níveis, ou seja, proporciona o primeiro contacto das crianças com a música. As aulas são sempre diferentes, mas há rotinas das quais não abdica. “Se a classe está calma, canto a música do ‘olá’ em que repetimos a canção várias vezes com o nome de todos. É uma canção em que se pergunta os nomes e ficamos a conhecer os nomes daqueles que ainda não sabemos. Se não estão calmos, se há muita agitação e ainda não dá para cantar a canção, então começo a fazer jogos de ritmos, a bater palmas e a fazer percussão corporal até se acalmarem. Depois então, cantamos a canção de boas-vindas.” No final, há sempre uma canção de despedida.
Mas afinal, quem são e de onde vêm estes alunos? Por norma, Sofia não pergunta. Não por falta de curiosidade, mas porque “na aula somos todos iguais e vamos todos tocar música”. As histórias de vida acabam por surgir naturalmente, seja durante um jogo na sala ou mais tarde, quando os pais convidam os professores para irem às suas casas tomar chá.
É nessas conversas que Sofia fica a perceber que muitas das famílias já são refugiadas pela segunda ou terceira vez. É o caso de uma família afegã, que fugiu para o Irão e, a caminho da Europa, ficou separada. Três crianças perderam-se da mãe e chegaram a Berlim sozinhas. Só mais tarde conseguiram contactar a mãe, que acabou por se juntar aos filhos na capital alemã.
Mas não são só os alunos que têm histórias complicadas. “Temos um professor afegão que morava numa zona muito conservadora onde não se pode tocar música, portanto, ele tocava às escondidas”. Acabou por fugir para a Alemanha para conseguir seguir uma carreira musical.
São histórias que Sofia ouve, mas que também sente na pele, na vida pessoal. Conta-nos que, há uns tempos, convidou uns amigos refugiados para irem fazer uma caminhada numas montanhas a norte de Berlim. “De repente, um desses meus amigos, sírio, começa a transpirar, bastante incomodado e disse-me: ‘Sofia, eu depois de ter andando a pé da Síria para a Turquia, durante vários dias, à noite, nunca mais vou ser capaz de fazer uma caminhada’. Para mim uma caminhada é uma coisa super saudável, não me lembrei, mas de repente toquei ali num trauma”.
Na consola, reina a seleção portuguesa
Sofia está em Berlim desde 2012. Antes, tirou mestrado em Hamburgo, pelo que já domina o alemão. Daí que, a maior parte das vezes, os seus alunos pensem que é alemã.
Quanto conta que vem de Portugal, o futebol torna-se também tema de conversa. Por diversas vezes, a professora “apanhou-os” na consola com a seleção portuguesa selecionada para jogar e, durante o Mundial da Rússia, a equipa de Fernando Santos ganhou ali novos adeptos. “Os rapazes adoram futebol, mas a maior parte dos países deles não está no Mundial, estava só o Irão. E foi uma surpresa constatar que a maior parte torcia por Portugal, porque têm uma adoração pelo Cristiano Ronaldo.”
Contudo, não esquecem a terra que os acolheu. “Um dos rapazes disse: ‘eu puxo por Portugal, mas também pela Alemanha, porque a Alemanha agora é o meu país.’. E os outros disseram logo: ‘ah pois, nós também torcemos pela Alemanha’”, conta a professora.
--- 
artigo retirado do site da RR, aqui.

Hoje começa mais uma aventura!

Hoje começam as obras da nossa casa nova. Se tudo correr bem e dentro do previsto, entramos em 2019 já na nossa casa nova. Uma amiga ofereceu-nos um fantástico projeto de design, daqueles bem lindos e a 3D para aproveitarmos o espaço ao máximo... Agora é dar-lhe vida e transformá-la na nossa casa de sonho! Optámos por uma casa bem mais pequena que a nossa atual, mas muito bem localizada, num sítio que adoramos, num bairro cheio de verde, parques e jardins, perto das escolas dos miúdos, dos amigos deles e das referências do nosso dia a dia... Ficamos a menos de 1km da casa atual, na mesma rota das natações, aulas de futebol e de música... tudo à mão na minha ginástica do leva e trás... A única desvantagem é o tamanho da casa, mas como estamos cada vez mais adeptos do destralhar, de não ter apenas por ter, de não comprar o que não precisamos... não quero os miúdos com quartos entupidos de brinquedos, que nem sabem que existem... Vamos para um T3 feito por medida, mas vamos perder 60m2 em comparação com a casa atual... sem arrecadação para tralhas, que não fazem falta nenhuma... Se tivéssemos encontrado uma casa maior, no mesmo sítio e pelo mesmo preço claro que teríamos optado por essa, mas não encontrámos, e tanto eu como o meu marido adorámos a luz, a localização e a configuração da nossa nova casa... Hesitámos pelo tamanho, mas pensámos no que é realmente importante para mantermos a qualidade de vida do dia a dia e avançámos! Agora é remodelação total! Só fica a porta da rua! Que as obras comecem!


Quero muito ir ver esta peça




Quando tens um fim de semana prolongado pensado...

... e te marcam uma reunião para quinta feira, que só deve terminar depois da hora de jantar...

1 de outubro de 2018

Greve de professores

O filhote grande estava cheio de vontade de fazer gazeta, hoje, mas a professora dele, tal como aconteceu nos últimos anos, apresentou-se ao serviço para dar aulas, não fazendo greve! Ficou tão triste, principalmente ao ver tantos outros meninos a voltar para trás, sem aulas.

Boa semana! E esta tem um feriado

2ª feira
Jantar: Frango assado com legumes no forno. Acompanha com arroz.

3ª feira
Jantar: Rolo de carne com molho de tomate, esparguete e salada

4ª feira
Jantar: Massa com frango (sobras do frango assado, desfiado) e natas

5ª feira
Jantar: Peixe estufado com leite de côco. Acompanha com arroz bamati e courgete salteada com coentros

6ª feira, sábado e domingo
Fim de semana prolongado

Mais um livro da biblioteca...

Acho que gostei mais eu que eles, mas logo volto a ler-lhes a história...