30 de julho de 2012

Já têm a vossa?

Miminho para as educadoras

Já diz o ditado: quem meus filhos ama a minha boca adoça! Queria um miminho para oferecer à educadoras e auxiliares do meu filho como agradecimento por tudo o que fizeram por ele e com ele durante este ano. São fantásticas a todos os níveis. São muito competentes profissionalmente, mas o seu carinho, atenção e dedicação são de que adora o que faz e que adora cada um daqueles meninos. A missão delas é muito importante e hoje o meu filho vai surpreedê-las com um miminho. Encomendei uns crachás com uma foto dele e um obrigado. Foi a Anabela, http://www.a-ponto.blogspot.pt/, que fez os crachás e que ainda me presenteou com um crachá porta-chaves. Obrigada a todas!

27 de julho de 2012

O verniz da mãe é giro!

O meu filho adora ver-me de unhas pintadas. Nas férias, estava eu a retirar o verniz - se há coisa que não suporto são unhas estragadas e com o verniz a sair - e o meu filho vem ter comigo e diz: Não tira, mãe. É giro. E foi aí que conversámos sobre o assunto e ele disse que gosta das minhas unhas coloridas. (Desde que ele não me paça para pintar as unhas, está tudo ok). Ontem, pintei de rosa e ele foi o único lá em casa que notou e comentou. Eu adoro unhas pintadas. Então no verão com a pele morena... Venham os vermelhos, os laranjas e este rosa!


Desacordo



Esta é a imagem da discórdia lá em casa. Sou contra o meu marido comprar uma mota. tenho medo. Acho demasiado perigoso. Não há respeito nas nossas estradas. O trânsito é um salve-se quem puder. É a verdadeira selva. Já de carro é perigoso entrar e sair de Lisboa todos os dias, quanto mais de moto. E ontem irritei-me quando o meu marido chegou a casa de moto. Fiquei danada. Pediu a mota a um dos irmãos que foi de férias e estava feliz. Parece que é o seu novo meio de transporte. Não gostei que não tivesse falado comigo. Hoje de manhã, em vez de sairmos os 3 juntos, como sempre. Eu fui no carro com o nosso filho e ele seguiu de mota. Encontrámo-nos na creche onde tínhamos reunião com a professora. Logo, temos festa nos meus avós que é a dois quarteirões do trabalho dele. Havia necessidade de ir cada um no seu meio de transporte? Ou sou eu que sou uma chata?

A avaliação da creche

Começámos o dia com uma pequena reunião com a educadora do nosso filho que nos entregou uma linda pasta com todos os trabalhos e com a evolução do nosso filho ao longo do ano lectivo que passou. Só ouvimos coisas boas acerca do nosso filho e isso deixa qualquer mãe e pai muito feliz. Tal como nós, a educadora constata que o desenvolvimento do A. é fantástico e que ele está cada vez mais autónomo e mais independente. É um menino meigo, brincalhão, sociável, comunicativo, muito participativo e feliz! Tão bom!

63 anos de casados!

Este post é dedicado aos meus queridos avós que comemoram hoje 63 anos de casados. Vamos comemorar juntos este amor, esta união e a alegria de podermos, juntos, celebrar uma data tão bonita.

26 de julho de 2012

Ainda sobre os avós

O meu filho já não conheceu o avô paterno, de quem herdou o nome e outras coisas mais, espero, pois era um homem notável, e o meu pai morreu quando ele tinha 6 meses, mas a minha mãe fala-lhe muito do meu pai e ele fala dele e aponta para o céu, onde o avô vive em forma de estrela. Reconhece-os nas fotografias, mas, infelizmente, não terá nenhum avô para fazer as coisas que só os avós fazem. Felizmente, tem duas avós. Por motivos de saúde, a minha sogra não é tão presente, mas ele tem a sorte (e nós também) de ter a minha mãe, que é um  alicerce na sua vida. E Deus permita que ele possa ter avós durante muitos anos, pois há coisas que só elas fazem e que só elas lhes podem dar.

Aos meus QUERIDOS avós maternos...

... que eu tenho a sorte, o privilégio, a riqueza de ainda ter comigo e que eu amo com todas as forças e com o que de melhor há em mim. A chegar aos 90 anos são um exemplo. Amanhã fazem 63 anos de casados. Adoro-os. Amo-os. Tenho das melhores recordações com eles. As histórias que sempre nos contaram. Os mimos do avô, sempre mais permissivo. A bondade e a força e a determinação e o exemplo da avó. O amor, a ajuda e acompanhamento que sempre nos deram e continuam a dar. E a alegria de poderem conviver com o meu filho, até agora o único bisneto. Um beijo do tamanho do mundo, queridos avós. Que Deus, em quem tanto acreditam e de uma maneira tão bonita, os proteja e os conserve junto a nós por mais anos e muito bons.

Natação em Setembro

Como no Jamor não havia vagas para a natação do próximo ano lectivo fomos inscrevê-lo ao Benfica. Como é sócio - graças ao padrinho que vai ficar radiante com a nossa escolha - os preços são porreiros e no outro ano quando ele começar a ir com a creche já não estranha e, acima de tudo, já vai bem preparado. Haviam de ver a alegria dele! Queria ir logo para dentro de água. Lá explicámos que ainda faltavam uns dias, que o professor da natação ainda ia de férias como nós fomos e que só depois começavam as aulas. Estava mesmo feliz e a dizer e a esbracejar que ia aprender a nadar no Benfica. E quando lhe dissémos que tinha de passar o cartão dele para podermos ir para a zona da piscina foi a loucura. Já aqui falei da alegria de ir à Repsol entregar o cartão de sócio para termos desconto na gasolina, imaginem só a euforia de perceber que o cartão dele lhe permite ir para a zona da piscina! E assim nascem pequenos Benfiquistas... Eu só quero que ele aprenda a nadar e seja feliz.

25 de julho de 2012

Crianças e animais

Desde que decidimos ser pais que proibimos as nossas gatas de entrar no nosso quarto que era para elas (são duas) não estranharem a porta fechada depois do nosso filho nascer e não o odiassem de morte por causa disso. As primeiras semanas foram um inferno, mas depois elas habituaram-se e não houve mais miadelas. A regra estendeu-se ao quarto do A. e elas sabem que podem andar por todo o lado, mas estão proibidas de entrar nos quartos. Elas deitam pêlos e eu não quero pêlos nas camas onde dormimos. Há quem me chame de picuinhas, mas tenho um marido com problemas respiratórios e pulmonares (que se eu soubesse da história toda nem tinha tido gatos) e quero protegê-lo a ele e ao meu filho de respirarem pêlos enquanto dormem.

Mas apesar desta proibição já ter anos, todas as noites elas tentam escapulir-se para um dos quartos. São quase invisíveis e conseguem muitas vezes entrar no meio das minhas pernas sem eu me aperceber. Quando vou à noite ao quarto do meu filho tento ter atenção, pois elas podem estar a dormir no andar de baixo, mas mal abro a porta lá aparecem logo. No outro dia fui dar o beijinho de boa noite e não bloqueei a entrada com a cancela. Demorei 10 segundos. Fechei a porta e fui-me deitar. Nem um barulho à noite. Nada de estranho. De manhã, quando abri a porta do meu filho salta-me de lá uma gata e ele olha para mim e diz: a pulga dormiu cómi! Incomodou-te?, pergunto eu. Não. Portou-se bem, respondeu ele. E eu abracei-o. Tão explicadinho que o meu piolho de 2 anos e meio está!

"A arte e a ciência de educar crianças felizes"

Não acredito em fórmulas mágicas para nada nesta vida, muito menos para educar, mas acredito que é fundamental ler livros de pediatras com os quais nos identifiquemos e que nos podem orientar, partilhar experiências, ouvir testemunhos e tentar fazer todos os dias mais e melhor. E como o que mais quero (e acredito que todas nós o queremos) é educar o meu filho para a felicidade - felicidade verdadeira e não aquela imediata e que deriva do consumismo e do momentâneo - partilho aqui a formação que encontrei no Mum's the boss.


Camas de criança

E aqui fica uma questão? Compraram camas intermédias para os vossos filhos, tipo esta...


Ou partiram logo para a cama seguinte? Uma cama individual simples.

Parece que estou na moda!

Ontem estava a ler a Lux Woman que recebi como oferta com a encomenda da Wook que fiz e percebi que eu e o meu marido estamos muito à frente! Em Maio de 2007 quando me casei as alianças foram desenhadas e criadas por uma das minhas cunhadas, artista plástica muito na berra nos dias que correm, e eu fiquei um pouco em nervos porque a minha e a do meu marido eram muito diferentes. Eu já sabia que iam ser assim: a minha totalmente redonda e a dele mais quadrada, significando que somos diferentes, mas que nos completamos e além disso o quadrado representa a terra, o racional enquanto o circulo representa o ar, a união e a plenitude. Mas a verdade é que quando as vi no dia do casamento achei estranho. Sou um pouquinho conservadora e clássica e a ideia de alianças diferentes chocou-me um pouco, até porque ficou toda a gente muito impressionada, incluindo uma guia turística no Cairo. 5 anos e uns meses depois já me habituei e já gosto muito delas e ontem descobri que é o mais na moda possível! Vou fotografá-las e depois mostro.

24 de julho de 2012

As horas da creche

Só tenho elogios a fazer à creche do meu fiho, principalmente à educadora dele que é fantástica a todos os níveis. Compreendo o horário até às 18 quando me dizem que é massacre os miúdos passarem tantas horas nas creches e que quanto mãos horas estivesse, abertas, mais horas as crianças lá estavam. Felizmente, tenho a minha mãe que o vai buscar e quando tenho a sorte e a alegria de conseguir ir reparo que são os avós quem vais buscar a maioria das crianças. Mas indo ao assunto que me trouxe a este post a questão é que as reuniões que nos marcam, assim como todas as actividades, têm um horário que não se adequa a quem trabalha. Para a avaliação de final de período podemos marcar uma reunião entre as 9 e as 12 e as 14 e as 17. Como é que vamos conseguir? Eu sei que lá nos arranjaremos, mas podia ser um horário um bocadinho mais flexível. Acredito que há pais que não vão conseguir e tenho a certeza que se vão sentir mal e culpados por causa disso.

O que uma mãe faz por um filho

Como no jamor já não há vagas na natação para o próximo ano lectivo vou espreitar a piscina do Benfica. A creche do meu fiho tem acordo e aos 4 aos começa a ir com a escola, mas como ele é louco e destemido com a agua quero que ele aprenda a nadar o mais depressa possível. Além disso, e graças ao padrinho, é sócio e parece que isso dá direito a descontos. E lá vou eu, a única sportinguista aqui de casa, levar o meu piolho ao Benfica. Ele está todo entusiasmado e já lhe explicámos que é o presente que vai receber se a educadora disser que ele se portou muito bem e que vai passar para a classe dos mais crescidos.

Pulseira We Belive

Já encomendaram as vossas pulseiras? É por uma muito boa causa e ainda por cima as pulseiras são o máximo!
A Associação Portuguesa Contra Leucemia  acredita que: "um dia mais ninguém morrerá com Leucemia." E eu também quero acreditar nisso. As pulseiras custam 5€ já com os portes de envio. Vamos todos acreditar!!!

A mala da mãe!

Já aqui fiz um post sobre o carro das mães e hoje dedico este post às malas das mães. Pesam toneladas, algumas chegam a apitar no banco do carro exigindo o cinto de segurança. Têm tudo lá dentro. O que nós colocamos para nós, o que colocamos para a família, o que os filhos lá depositam, o que os maridos lá guardam... E depois acham estranho que nunca se encontre nada lá dentro. Façam uma vistoria à vossa mala. Um dia até restos de bolacha Maria lá encontrei. E eu até sou uma mulher limpinha e organizada qb, mas a nossa mala só nos pertence em parte, pois quando vamos a qualquer lado e há alguma coisa que não se sabe onde pôr lá vai parar. Este verão percebi que este conceito se estende ao nosso saco da praia... Depois de comerem a bola de berlim e o que fazem ao saco? O caixote está longe, mas o saco da mãe está aqui. Quando vi de férias até achei a minha mala leve (e deve pesar uns 5kg) porque não tinha raquetes, nem bolas, nem pregos de jogar nem tantas outras coisas que eram furtivamente.

22 de julho de 2012

Sesimbra parte 2

Ontem fiz uma viagem ao passado (com a alegria de ter o meu filho e o maridão comigo), regressando aos apartamentos "Porto de Abrigo" onde passei os melhores verões da minha infância. Fui ter com uma grande amiga (desde esse tempo) para conhecer a sua cria mais recente e reencontrei pessoas que não via há quase 20 anos. Sesimbra não tem nada a ver com o que era, mas naqueles apartamentos é como se o tempo não tivesse mudado. Tantos amigos reencontrados, todos agora com os seus filhos... E foi tão bom estar lá com o meu filho e dizer-lhe que naquela piscina onde ele se aventurava (é louco e faz a piscina toda a nadar com as braçadeiras e aos mergulhos sem medo nenhum) foi onde eu aprendi a nadar. Lembrei-me dos meus pais novinhos, da minha irmã pequenina e muito loura e de muitos momentos que ficarão para sempre na minha memória. Foi muita emoção...

21 de julho de 2012

Padrões de sono do meu filho

Não sei o que aconteceu, mas agora o meu filho está difícil de dormir. Era contar uma história, muitos beijinhos e até amanhã, mas agora quer que fique lá até ele adormecer. Depois da historia diz logo: a mae fica aqui jm bocadinho, 'tá bem? Ontem e hoje cedi, mas não sei se é o melhor para ele. Desde pequeno que se habituou a adormecer sozinho e a não ter medo do escuro, mas ultimamente tem receios, sente-se mais inseguro, precisa de mais aconchego para adormecer. No Algarve, nem história queria. Chegava à cama tão cansado que só queria dormir, mas desde que regressámos os padrões de sono mudaram um pouco. Vamos ver como são os próximos dias.

20 de julho de 2012

Sesimbra

Durante os primeiros 18 anos da minha vida passei férias nuns apartamentos em Sesimbra. Fiz lá amizades que perduram até hoje. Foram verões maravilhosos. Eram 3 meses de praia, piscina, brincadeiras de crianças e, mais tarde, de adolescentes. Foram as primeiras saídas à noite, a primeira discoteca, namoros de verão... Amanhã vou passar lá o dia com uma das minhas grandes amigas que teve o G. há quinze dias e que foi para lá passar o verão, para o filho mais velho poder apanhar praia. Estou emocionada com este regresso. Não vou lá há uns 15 anos e sei que me vou comover. Lembro-me de mim ali pequena com os meus pais e a minha irmã. São, provalvelmente, as melhores recordações da minha vida. Deve ter sido o local onde me senti mais feliz. Olhar amanhã para as varandas com vista para o mar, ver o meu filho na piscina onde eu dei as primeiras braçadas. Sei que já não há pinhal até ao castelo, mas sei que vou sentir imensas emoções e tenho a certeza que irei reencontrar pessoas que não há vejo há mais de 15 anos, que iam para lá com os pais quando eu ia e que vão agora com os filhos...

Os nossos heróis!

Eu já estive rodeada por um fogo e é aflitivo. Estava numa casa junto à barragem do Castelo de Bode, estávamos cercados, havia apenas um carro de bombeiros sem água e sem meios para retirar água da barragem que estava a 10 metros. Um horror! A imensidão do fogo à nossa volta é algo que não se esquece. A nossa impotência, o calor, o medo, o fumo, as fagulhas que parecem neve a cair dos céus... É uma tristeza todos os anos assistir-mos a estas imagens e às histórias das vidas que são queimadas por mãos assassinas.

O lobo mau

Esta noite às 2 e meia da manhã fui chamada pelo meu filho que andava a passear, às escuras, pelo seu quarto e a chamar por mim. Estava convencido que tinha um lobo mau no quarto e assim que abri a porta ele saiu e disse que ia para a cama da mãe e do pai. Deixei-o ir. Penso que deveria ter insistido para ele ficar na caminha dele, no quarto dele, e lhe devia ter explicado que não há lobos maus na nossa casa, mas estava demasiado cansada (estava a dormir em pé) e hoje de manhã tínha de acordar mais cedo do que o habitual para tratar de um assunto muito urgente. Por isso, foi só de manhã que falámos sobre o ocorrido e que, mais uma vez, lhe disse que ele não tem de ter medo.

18 de julho de 2012

USF Dafundo

Sinto-me previligiada por eu e a minha família termos acesso a um centro de saúde, unidade familiar, que funciona na perfeição. A mordidela que o meu filho tinha na orelha, feita por uma "mega" ( palavras dele) no Algarve piorou de aspecto e resolvi ligar ao fim do dia de hoje para o centro de saúde para uma médica o observar. 40 minutos depois estávamos na consulta com ele a ser visto e medicado com betadine e pomada antibiótica. É fantástico quando os serviços públicos funcionam. Pena é que nem todos os portugueses, que têm os mesmos direitos que a minha família, tenham acesso a centros de saúde como estes que funcionam bem e com médicos e equipas competentes. Depois de lhe terem limpo a ferida no centro, foi a vez de repetir o processo em casa e aí, brincámos com a situação. Eu fingi que era a doutora mãe, ele o meu paciente, e sentadinho no banco deixou-me limpar, desinfectar e aplicar a pomada. Entanto o deitava ele perguntou: a mãe amanhã é doutora médica outra vez? Como é bom transformar coisas chatas em brincadeiras!

E com este calor...

Vou tentar sair a horas mais decentes para ir buscar o meu filho e o meu marido para aproveitarmos o fim de tarde. As férias acabaram, mas o calor acabou de chegar e com estes dias grandes e quentes é possível conciliar o trabalho com o lazer. Há menos trânsito. Felizmente moramos junto à praia e junto ao rio e podemos transformar os fins de tarde em momentos felizes. É isso que eu adoro no verão! Mais tempo para estarmos juntos. Saímos do trabalho e parece que ainda temos muitas horas pela frente antes de recomeçar tudo outra vez no dia seguinte. Nós fazíamos muito isto antes de sermos pais. Com ele muito pequeno era mais complicado por causa das rotinas e dos horários de jantar e de dormir, mas agora que ele está quase um homem, que já come caracóis e conquilhas, que já anda de bicicleta e que já aguenta deitar-se um pouco mais tarde vamos tentar aproveitar o verão (em Lisboa) ao máximo!

Com as crianças todo o cuidado é pouco

A frase é um cliché, mas é a mais pura das verdades. Só hoje de manhã, em pouco mais de meia hora, podiam ter ocorrido 2 acidentes lá em casa.

07h00m
O meu filho acordou e o meu marido colocou a cancela na escada de modo a que ele não pudesse descer e ficasse limitado ao quarto dele e ao nosso sem qualquer perigo enquanto nós esperávamos que o despertador tocasse. O que ele não sabia é que eu tinha deixado na mesa de cabeceira os óvulos de progeffik. aA certa altura ouço o meu filho a dizer "não sai, mãe". Quando olho ele tem um blister de progeffik na mão e tenta tirar de lá um comprimido. Acordei logo em nervos. Ele já tinha levado os outros blisters para o quarto dele e se tivesse conseguido tirar o óvulo poderia tê-lo comido...

07h45m
Depois de vestir o meu filho deixei-o na sala a ver o Zig Zag para me poder ir vestir. Estávamos à espera que o pai saísse do banho para irmos tomar o pequeno almoço. Fui num instante ao meu quarto para me vestir. Já tinha escolhido a roupa e demoraria menos de 5 minutos. Subi as escadas (que por motivos de arquitectura não permitem cancela em baixo, pois a cancela não tem onde agarrar) e quando estou a acabar de me vestir vejo o meu filho. Como é que viste aqui parar?! Ele vem a correr dar-me a mão e disse que subiu comigo... Ele sabia que tinha subido sem autorização.

Falei com ele sobre estas duas asneiras que podiam ter acabado em acidente em dói dói graves e ficou prometido um castigo se ele voltasse a fazer alguma destas asneiras.

Por isso, nunca é demais repetir. Com as crianças todo o cuidado é pouco!

17 de julho de 2012

Natação no Jamor

Alguém tem os miúdos na natação no Jamor? Parece-me bem e estou inclinada a inscrever o meu piolho a partir de Janeiro, que é quando ele completa os 3 anos. Obrigada!

Chamam-lhe "Bebida Milagrosa"

Já alguém ouviu falar e experimentou esta bebida que é feita com 1 beterraba, 2 cenouras e uma maçã? Dizem que é só lavar a fruta e triturar e beber em jejum uma hora antes do pequeno almoço (para mim a única parte mais complicada). Dizem (os mails que recebi) que reforça o sistema imunitário e ajuda a prevenir doenças. Mal não deve fazer e deve ser bastante rica em vitaminas. Estou tentada a experimentar.


"Os Desastres de Sofia"

Lembram-se deste livro? Eu adorava. Li, reli e voltei a reler imensas vezes. Ainda me lembro de algumas das histórias como a do peixinho que a Sofia cortou às postas, a boneca que derreteu ao sol ou uma peripécia com cal. Vou a casa da minha mãe ver se encontro o meu exemplar. E agora foi reeditado. Aqui.

Progeffik e Dufine

Depois das belas férias ontem foi dia de regresso em cheio e foi também dia de consulta com a minha médica. As análises que tinha feito em Junho estavam boas. Tanto as análises "normais" como as de genética que eu e o meu marido fizemos. Estamos os dois OK e a minha médica não encontra grandes explicações para os abortos consecutivos que tive. Como tal, e como já fiz para engravidar do meu filhote, vou tomar Dufine para estimular a ovulação e Progeffik para ajudar a fixar o óvulo, uma vez que há fortes possibilidades de ter insuficiência do corpo amarelo. Vamos ver o que acontece nos próximos meses.

16 de julho de 2012

De regresso

De 3 maravilhosas semanas de férias com os meus amores. O meu filho vem mais crescido e foi a chorar que saiu da "casa gira", que é como ele chama à casa de praia. Ainda por cima, chegou uma cunhada minha com os dois filhos, uma delas, grande amiga das brincadeiras do meu filho, e ele não percebia porque é que estávamos a vir embora quando a prima M. estava a chegar. Fizemos a viagem de noite, depois de uma ida aos carrosséis com a prima, e quando chegámos a casa às 3 da manhã ele despertou completamente e só dizia que nesta casa não havia praia nem banheira. É que nós temos uma mega duche, mas ele gosta é da banheira onde durante as férias tomou banho com os primos, com o pai e com a mãe. Foi um forró até às 5 da matina quando eu desisti e o pus na minha cama. É que até pingue pongue queria jogar de madrugada. A noite passada não foi melhor e ele não queria dormir nem por mais uma. Só queria ir para a nossa cama e consegui-o às 6 da manhã quando fez xixi na cama e o pai o trouxe para junto de nós. Hoje recomeçamos as nossas rotinas e foi com um grande sorriso que foi recebido na creche. Boa semana!

12 de julho de 2012

Um cafezinho, se faz favor

Desde que saímos de casa até ao areal o meu filho cumprimenta toda a gente com um bom dia e um sorriso. É assim. Um charme. Toda a gente o conhece e com ele se encanta, mas a sua nova grande amiga é a D. Maria, a senhora da barraca da praia onde ele compra gelados e nós bebemos café. Hoje depois de almoço e depois de uma bela manhã de praia parámos na D. Maria para um café e ele disse que também queria e a D. Maria preparou-lhe leite morno com uma pinga de café numa chávena própria e haviam de o ver. Feliz. Radiante a beber o seu "café" e a dizer que estava bom. Quando acabou, saltou ara o chão e disse: vamos? À noite, enquanto ele, o primo e mais umas crianças jogavam matraquihos eu e o pai sentamo-nos para beber café e ele veio logo a dizer que também queria. Já he expliquei que só a D. Maria sabe fazer cafés especiais para crianças, mas ele disse logo que a mãe também sabe e, antes de dormir, disse que de manhã ia beber um cafezinho à D. Maria. Está mesmo a querer crescer!

10 de julho de 2012

O meu filho deve ter vindo ler o meu post

E hoje dormiu até às 10 da manhã. Eu é que acordei às 9 e meia estranhando a ausência dele e fui logo ao pão enquanto eles ainda dormiam.

Desfralde conseguido com sucesso!

Prova superada, campeão! 3 semanas bastaram para que o meu filho largasse de vez as fraldas, controlasse os xixis e cocós, fosse à sanita ou ao bacio sozinho e pedisse ajuda sempre que necessário. Chega ao nosso quarto de manhã a dizer ( com muito orgulho) que está seco e que já foi ao bacio. Nestas semanas houve acidentes, houve aí umas noites e umas sestas mais complicadas, mas desde que lhe deixámos o bacio acessível não ocorreram mais acidentes. Cada criança deve ter o seu ritmo, como em tudo, mas deixo aqui algumas sugestões que funcionaram connosco: retirámos a fralda de dia e de noite no mesmo dia. Quando achámos que ele estava preparado tirámos a fralda e nunca mais lha pusemos; foi um trabalho feito em parceria com a educadora; muitos elogios ao nosso filho e muitos incentivos que o fizeram sentir crescido; palmas e muitos festejos quando ele ia ao bacio ou à sanita; quando aconteciam acidentes, paciência, e já era ele a reproduzir as minhas palavras: "acontece"; nunca voltámos atrás na nossa decisão nem quando uma semana depois do inicio do desfralde nos pusemos à estrada numa viagem de 3 horas; enquanto ele ainda não pedia para fazer xixi ou cocó éramos nós que perguntávamos e insistíamos para ele ir à casa de banho; permitir que faça xixi de pé na sanita como o pai e os primos crescidos. Tudo foi feito calmamente, sem stress e aproveitando o verão em que a roupa seca depressa e pode estar sempre a ser lavada e passado pouco tempo está pronta a usar. Tomámos a decisão de lhe tirar as fraldas quando já ia muitas vezes à sanita na escola e já passava o dia inteiro com a fralda seca. Ele mostrou vontade em deixar a fralda e ser crescido! Penso que isto foi determinante para o sucesso do desfralde. E desde que deixou a fralda que descobriu melhor a pilocas que agora está mais acessível. Boa sorte no desfralde dos vossos filhos!

8 de julho de 2012

Serei só eu?

Que durmo menos nas férias que no resto do ano? Deito-me mais tarde do que em casa, mas às 8 e meia sou acordada com um "bom dia, mãe", mesmo ali ao meu lado e a tentar subir para a nossa cama. É maravilhoso ver aquele sorriso logo manhã, mas não percebo porque é que não continuou a acordar às 10 como nos primeiros dias de férias. Vale o zig zag durante um bocadinho enquanto o meu corpo obedece à vontade do meu filho e sai da cama para mais um dia de praia e de brincadeiras em familia.

A alegria de um dia com outros primos

Ontem atravessámos o Algarve para ir ter com o irmão da minha mãe e com os netos dele. Dois rapazes e uma rapariga. Foi a loucura e, mais uma vez, o meu filho teve um dia feliz que incluiu dormir a sesta na praia, mergulhos na piscina aquecida do Hotel Alvor Praia, onde eles estão instalados, jantar fora, gelados e até a primeira pastilha, dada e comida às escondidas por um dos primos com 6 anos. A certa altura a C. Vei ter comigo a dizer que o meu filho precisava de ir à casa de banho. Eu disse que o levava, mas ele olhou para mim, muito sério, e disse que ia com a mana. Eu disse que ele não tinha nenhuma mana, mas ele disse que tinha. Era a C. A mana do V. E do S. Como eles a tratam por mana, o meu fino decidiu que também era mana dele!

Orgulho do pai e da mãe

Hoje depois do lanche e de estar meia hora a mandar o meu filho comer ( sei que a obesidade é um grande problema infantil, mas ter um filho que não quer comer leva-nos ao desperto) decidi ir para a praia e os 3 homens cá de casa que fossem lá ter. Estavam eles de partida, deixando copos, pratos e afins em cima da mesa da varanda quando o meu filho, de 2 anos e meio, disse: temos de arrumar tudo senão a mãe zanga. E foi com um sorriso que o meu marido, o meu sobrinho e o meu filho arrumaram tudo antes de sair de casa. Há coisa mais boa?

5 de julho de 2012

Sem xixis nem cocós!

Descobrimos porque é que o nosso filho tinha retrocedido na questão do desfralde. Depois da sesta aparecia na sala, já vestido e calçado, mas molhado e o meu marido decidiu deixar um bacio que encontrou cá em casa no corredor à porta do quarto dele e, desde então, sai da cama, vai ao seu bacio e resolve tudo sozinho. Hoje de manhã até foi à casa de banho sozinho despejar o bacio antes de nos acordar. É que o problema é que ele não conseguia subir para a sanita sozinho. Assim, de forma simples, resolvemos o problema e não tive de voltar a mudar camas. E hoje teve uma engraçada: antes de irmos ara o restaurante perguntei se ele não queria ir fazer xixi ( é uma conversa recorrente cá em casa) pois íamos para o restaurante e ele perguntou se o restaurante tinha casa de banho. Dissemos que sim e ele disse que fazia lá!

Sem Espinhas!

Atrevo-me a dizer que é um dos meus restaurantes de eleição. A localização é a melhor, a comida é fantástica, o ambiente é óptimo e é sempre tudo perfeito com a praia mesmo ali. Hoje, então, estava uma noite deslumbrante, a lua estava de cortar a respiração e até havia música a vivo. O meu filho estava nas suas sete quintas festejando a vida como ele sabe fazer tão bem, e dançava para a banda que decidiu tocar em sua homenagem um Nody instrumental. Fantástico! Uma noite em grande na companhia dos que mais amo. Não tenho comissões nem pretensões, mas gosto de recomendar as coisas de que gosto e os locais onde me sinto feliz. Por isso, se estiverem interessados vão a www.semespinhas.net.

Piscina

Hoje a manhã começou de forma diferente e o meu filho deliciou-se a banhos numa piscina. Mergulhou, boiou e nadou com as suas braçadeiras e estava mesmo feliz! No ano passado já tínhamos ido com ele, mas hoje é que ele curtiu à séria. Eu, pessoalmente, prefiro praia, mas valeu a pena a ida à piscina hoje de manhã para o ver tão contente!

4 de julho de 2012

2 anos e meio

Os melhores 2 anos e meio da minha vida. 2 anos e meio + 9 meses de puro amor. E sinto-o tão crescido, tão feliz, tão bom conversador e boa companhia. Ser mãe é a maior e a mais difícil missão de uma vida, mas a mais compensadora. Há 2 anos e meio o meu coração passou a viver também fora do meu corpo para habitar o corpo franzino, traquinas e sorridente do meu filho. E foi há 2 anos que organizámos um pequeno lanche para comemorar os 6 meses de existência do nosso filho. Era para ser uma coisa pequena e acabou por se transformar num aniversario e, por ironia do destino, acabou mesmo por ser o único aniversario do neto a que o meu pai assistiu. Lembro-me dele lhe ter oferecido um telemóvel de brincar que fazia um barulho infernal. Ainda ralhei com o meu pai e hoje, sempre que lho para aquele brinquedo do chinês, o meu coração fica mais pequeno e com saudades do meu pai. Sempre tivemos uma relação complicada, apesar do enorme amor que sentíamos, e foi muito duro perdê-lo sem pré aviso e privá-lo de viver este neto, que ele tanto amava e pelo qual tanto tinha ansiado. É nestas alturas que quero acreditar em Deus e no Céu para me reconfortar com a ideia de que o meu pai está lá em cima a olhar por todos nós e a deliciar-se com as graças e com a esperteza do neto. Parabéns, meu filho amado. E que Deus nos dê saúde para te continuarmos a ver crescer e para te educarmos para o amor e para a felicidade. E que a vida te dê tudo de bom.

3 de julho de 2012

Infâncias sem férias

A caminho da praia, antes da chegada ao areal, está um casal com as duas filhas( uma deve ter um ano e pouco e a outra 2 anos e tal) a vender biquinis e vestidos de praia. Estão ali o dia todo ( o mais certo é à noite estarem na feira junto aos carrosséis). Está um calor imenso e ali estão as crianças, encostadas a uma sombra enquanto os pais ganham a vida. A mais pequenita costuma estar no ovinho... Tenho uma vontade de as levar connosco para o areal para brincarem com o meu filho e poderem ser crianças. Parte-me o coração vê-las ali, dia após dia dia, sentadinhas à sombra e a ir ao chuveiro da praia, mesmo ali ao lado, matar o calor.

2 de julho de 2012

Nunca fiz tanta cama de lavado

De dia o desfralde corre às mil maravilhas, mas quando dorme a coisa parece que regrediu... Algumas sestas são complicadas e aparece na sala com xixi e cocó. Só andamos nisto há duas semanas e acho que até está a correr bem, mas há dias em que ainda acontecem acidentes. Ainda bem que foi a maquina da loiça que pifou e não a da roupa!

Espanha!

Não sei se é pela costela bem espanhola do Maridão, se é porque desde pequena ia a Espanha com os meus pais e adorava pedir "un baso de agua" ou porque adoro os seus petiscos, mas a verdade é que gosto de espanhóis e da sua movida. Por isso, ontem quando saímos de casa alterámos os planos e acabámos a cenar em Ayamonte e a festejar com eles a vitória do Euro! E viram os jogadores com os mínimo filhotes todos no fim do jogo? Se eu me entendesse melhor com este iPad que Maridão golfinho ofereceu nos anos punha aqui belas fotos...

1 de julho de 2012

Nudismo

Não sei se todos os petizes de 2 anos e meio são assim, mas o meu só quer andar nu na praia. Sempre que pode despe-se e rejeita todos os fatos de banho. Valeu uma mentirias da avó, que nós adoptámos, e na qual ele acreditou... É que se vais nu o peixinho come-te pilinha. E ele que agora gosta tanto da sua pilocas acede em vestir-se.

Por cá...

O Maridão já se juntou ontem a nós e hoje vamos aproveitar que a minha mãe ainda está cá para irmos só os dois, em date, jantar ao " Sem Espinhas" na Retur, que eu adoro e onde se come deliciosamente, num ambiente muito giro e sem pretenciosismos. Claro que o meu filho anda aqui de roda a dizer que vamos à festa. Disse-lhe que hoje podia ir só com a avó e com o primo, mas ele respondeu logo: vamos todos! Acho que vamos ter de sair de fininho para o nosso date. É óptimo estarmos sempre todos juntos e em programas familiares, mas também precisamos de namorar. E hoje é a noite!