31 de maio de 2011

Dia Mundial sem Tabaco

Assinala-se hoje o dia Mundial sem Tabaco. Ainda não fumei nada hoje. Não tenho estado todos os dias 100% livre do tabaco, mas tenho estado uns 90 a 95%... Vamos ver se chego aos 100% rapidamente.


Alter do Chão

Ontem o dia foi de repérage, que é uma espécie de visita técnica para ver as condições do local, a Alter do Chão e à sua coudelaria. Foi um dia muito cansativo, que começou cedo, acabou bastante tarde, envolveu muitas horas de viagem, chuva e mais de 500km percorridos, mas o balanço foi muito positivo. Sabiam que no agrupamento da escola secundária de Alter há um curso profissional para cavaleiros, monitores e professores de equitação? É verdade! É do estado e funciona como outro curso técnico qualquer dentro da coudelaria. O espaço é fantástico, lindo mesmo, e foi fantástico ver toda a parte dos cavalos e a parte histórica de Alter, que é uma vila muito bonita do concelho de Portalegre.

29 de maio de 2011

Como o tempo passa!

Aos 4 meses era tão pequenino, tão frágil... E impressionante o que aconteceu a nível de desenvolvimento num ano. Não dá para descrever. Todas as mães devem ter a mesma sensação, mas este é o meu primeiro filho por isso é tudo mágico e novo para mim. Vejo o mundo pelos olhos do meu pequenino, que se encanta com as andorinhas e com as gaivotas que voam em frente da nossa janela enquanto janta. Há um ano ele era tão pequenote, tão bebé de colo e agora está tão vivaço! Já bebe pelo copo ou pela palhinha, já responde, já aponta para o céu quando ouve um avião, já olha para o mar e diz "aco" (barco), já vem quando o chamo e já se encolhe quando eu me zango, já vai ao saco dele buscar o copo para beber água, já faz desenhos sentado à mesa de jantar, já come pizza (caseira), já sobe e desce escadas, já lava os dentes, já assoa o nariz, já tenta assobiar para me imitar e já coloca os indicadores na boca e cospe-se todo para imitar o assobio do pai... Há um ano, mamava, comia sopa de cenoura, dormiu pela primeira vez toda a noite das 23h30 às 8h30 e sorria para nós. Pesava 5,200kg e tinha 58cm. Vejo agora as fotos... Oh, meu Deus! Como ele cresceu.

Inédito

Como já aqui referi o meu filho é um andarilho e enquanto está acordado não para um segundo. Corre, salta, trepa e brinca até acabarem as pilhas. É de chorar a rir e é impressionante o grau de energia que tem. sempre para trás e para a frente. Hoje depois do banho, enquanto eu acabava o jantar, sentei-o no sofá a ver bonecos animados e não é que ele ficou 10 minutos a ver televisão. Nunca tinha acontecido tal coisa, pois para ele os bonecos animados são pano de fundo para outras brincadeiras, mas hoje viu televisão sentado. Eu nem queria acreditar. Sentado mais do que 10 segundos... Deve ser dos dois pré molares que lhe estão a nascer e que hoje - e ontem -  até lhe deram uma ponta de febre.

28 de maio de 2011

Bom fim de semana


Seja ele de relax, de passeio ou de muitas coisas para fazer. 

Hoje vamos a um baptizado. Há quem deteste este programa, assim como casamentos e outras festas, mas eu gosto. É um momento para estarmos com quem gostamos, família ou amigos, para rever pessoas que não encontramos há algum tempo, para a criançada brincar junta. Eu sou uma pessoa de festas. Gosto de receber pessoas, de organizar festas para juntar aqueles de quem gosto. Faz amanhã um ano que baptizámos o nosso filho e foi uma bela festa. A minha família é pequena e eu sempre sonhei com uma família grande, com o alvoroço que isso implica, muita gente à mesa, muita gente na cozinha, muitas crianças a correr, muita conversa... E casei com o 8º filho de uma família onde são todos assim à dúzia. Não só encontrei o amor da minha vida, como uma família grande que veio completar a minha.

E agora vou-me ali arranjar com o dilema? Saia e sandálias? Há pouco aqui chovia e trovejava, mas eu recuso-me a usar sapatos fechados nesta altura até porque está calor.

27 de maio de 2011

Novo corte de cabelo

Troquei o almoço por um novo corte de cabelo. Soube bem, muito bem e o resultado está ousado e muito giro. Gosto!

Estreia...

Ontem levei o meu filho à primeira apresentação literária da vida dele. Uma ex-colega e amiga apresentou o seu livro e nós fomos lá felicita-la. O meu filho portou-se lindamente (Estivemos mais de uma 1 hora no restaurante do Corte Inglês onde estavam uns 40º), meteu-se com toda a gente, distribuiu sorrisos e marcadores de livros. Gostava que ele tivesse o mesmo amor que eu tenho pelos livros. Vou fazer tudo o que estiver ao meu alcance para lhe mostrar as maravilhas da leitura, o prazer de viajar e conhecer o mundo através das páginas dos livros.

Bom dia!

26 de maio de 2011

E é assim...

Tenho comido estas coisas. Ainda não percebi se gosto ou não. É um misto entre pipocas, borracha e uma coisa parecida com um cérebro. Dá para entreter. Obrigada pelas dicas e palavras de encorajamento.

fome!

Ainda não fumei hoje, mas já comi como uma desalmada. Oh, meu Deus! É melhor começar a pensar numa dietazinha ou engordo 10 quilos num piscar de olhos. Foi o que engordei quando deixei de fumar a primeira vez e custou-me bastante livrar-me deles. A sorte é que agora tenho um filho que não pára nem me deixa parar, mal tenho tempo para descansar. Por outro lado, estou 8 horas sentadas ao computador. Vamos ver como é que isto corre...

Jacarandás

Adoro a cor que dão à cidade de Lisboa.

Reportagem SIC - um horror

Não vi a reportagem toda. Não quis. Não me apeteceu ver toda aquela brutalidade. Consegui imaginar o que viria a seguir, mas não consigo imaginar o que passa pela cabeça destes jovens! É a vontade de colocarem na net um vídeo violento que garanta centenas de visitas? É a vontade de vencer pela agressão? É a necessidade de humilhar e de bater? Não compreendo. Não aceito e acho que este vídeo, que chocou o país, tem de servir para alguma coisa. Como mãe, fico horrorizada, por este tipo de coisas acontecer nas nossas ruas, nas nossas escolas, no nosso país... Como é que se lida com isto? E se fosse com o meu filho? O que é que se passa com os jovens? Sempre houve zangas e brigas nos páteos das escolas, mas nunca houve este tipo de agressão, de violência, premiada com vídeos com muitos likes. É angustiante pensar nisto. Temos de ser positivos e não achar que está tudo horrível hoje em dia, mas vídeos como este, e situações destas, começam a ser cada vez mais frequentes. Umas chegam até nós outras são abafadas... Dá que pensar.

Luta contra o fumo

Continua a minha luta contra o fumo e contra o tabaco. Acho que me estou a portar bem, apesar de ainda não estar 100% free. Ontem ainda fumei dois, mas o maço acabou e estou decidida a ter um dia livre de fumo! Desejem-me sorte!

25 de maio de 2011

citomegalovírus

Parece que o o meu marido foi infectado pelo citomegalovírus. Tinha ouvido falar neste vírus quando fiz as análises na gravidez, pois é grave quando é contraído durante essa fase. Ao que parece, foi este virus que causou as febres, o mau estar e as alterações dos valores das análises. O médico quer que ele repita os exames daqui a 2 meses para garantir que se livrou do vírus sozinho, pois os anti virais têm contra indicações e o médico diz que um paciente saudável consegue "resolver o assunto" sozinho. Estava tão ansiosa, com tanto medo do que o médico poderia dizer, mas parece que podemos respirar de alívio. A endoscopia também estava bem assim como as ecos. As alterações ao nível dos rins e do baço estarão directamente relacionadas com a infecção. Amo tanto o meu marido e nem sei explicar o nó na garganta com que tenho andado ultimamente. Sei que sou um pouco pessimista, mas o medo de perder alguém que amamos é algo que não se consegue explicar. Só quero que o meu amor tenha muita saúde para podermos ser muito felizes, vermos o nosso filho crescer e pensar em aumentar a família.

24 de maio de 2011

Fim de tarde perfeito!

Às 4 da tarde estávamos na creche do meu filho, de havaianas nos pés e sorriso nos lábios. O A. estranhou quando nos viu juntos para o ir buscar, ainda por cima, àquela hora - as crianças têm relógios dentro delas - mas ficou radiante. As educadoras olharam-nos com um pouco de inveja - mas nós merecemos. Estes últimos meses têm sido duro, especialmente para o meu maridão. Chegámos à Costa, à praia de São João, ainda não eram 5 horas e estava uma maravilha. Estava tão bom que eu até tomei banho e eu não sou de banhos fáceis no mar, pois acho sempre que não está calor suficiente. Tomámos os 3 banho e foi uma maravilha. Brincámos à beira-mar e o A. estava radiante. Adora praia, o mar e não tem medo de nenhum. Ao fim da tarde fomos até à esplanada Bicho D´água, que eu adoro, e o A. dançou ao som da bela música que passava enquanto se deliciava com o meu sumo de laranja natural. Escusado dizer que fez vários amigos e que se divertiu à grande. Foi bom. Muito bom. Muito, muito bom estarmos os três juntos a meio da semana a desfrutar da vida.

Hospital de Santa Maria

Foi onde começou o meu dia para acompanhar o meu marido a uma endoscopia. Continua na saga de exames que culmina amanhã com a ida ao médico para lhe mostrar todas as análises, ecos e outros exames que fez. Parece que há uns valores que continuam super alterados, mas Deus queira que não seja nada... Depois do exame decidimos tirar o dia para nós (eu trabalho em casa). Ele agora está a descansar, que estes últimos tempos de médico em médico não têm sido fáceis, e depois vamos buscar o nosso filho à creche e levá-lo à praia. Há que aproveitar, quando dá, para um tempinho extra a meio da semana para estarmos em família. Agora, vou trabalhar. Até já.

23 de maio de 2011

Montras vivas na Rua Garrett

Depois de almoço tinha de ir à H&M comprar um pijama para o meu piolho e, na Rua Garrett fui surpreendida por montras vivas da iniciativa Chiado está na Moda. Ia levando com uma bailarina do Santini, mas tirando isso correu tudo bem. A ideia é engraçada, se bem que eu acho que o que estaria mesmo na moda era devolver Lisboa e os centros às pessoas (como já acontece nas outras cidades europeias) com casas a preços normais, sem prédios devolutos e decrépitos. É inadmissível que ruas e avenidas como a da República, a da Liberdade tenham prédios a cair. É urgente intervir. E este é um daqueles assuntos em que todos falam e ninguém faz nada. Não deve ser fácil, deve haver mil e umas questões, desde heranças que não se resolvem a proprietários que não se entendem, mas os dados indicam que grande parte dos edifícios devolutos são da CML. Se são ou não, não sei, o que sei é que é pena ver o potencial de Lisboa mal aproveitado.

NÃO QUERO

Que o meu filho tenha uma mãe fumadora. Não quero mesmo. Parece que vem aí uma batalha entre mim e o tabaco. Quero ter uma vida saudável para poder viver muitos anos ao lado do meu filho, quero vê-lo crescer num ambiente sem fumo. Eu gosto muito das minhas cigarrilhas aromáticas, mas amo o meu filho e a vida. Além disso, se eu deixar de fumar, nesse segundo o meu marido que eu amo também deixa (sem dificuldades, o sortudo) e vivemos todos mais felizes e mais cheirosos. E sem fumos podemos começar a pensar no segundo filho...

Em resumo:

Eu e o meu marido deixámos de fumar há uns 6 anos. Eu usei uns adesivos fantásticos e aquilo resultou imenso. Quando achámos que estávamos livres do vício começámos a fumar uma cigarrilha numa noite de festa, a acompanhar um vinho. Estes momentos foram aumentando e a certa altura já fumávamos depois do jantar com o café. Engravidei e parámos, mas de vez em quando, lá me esfumaçava com remorsos. A coisa esteve bastante controlada e lá dava uma passinha de quando em quando. Na amamentação foi igual e tudo se descontrolou com a morte do meu pai. Fiquei sem leite de repente com o stress e comecei a fumar imenso. Entretanto, foi-me dada responsabilidade acrescida no trabalho e fumei ainda mais e agora quero... PARAR!!!

22 de maio de 2011

Uma receita deliciosa

Sou assídua deste blogue. Adoro as receitas porque tudo o que já experimentei é simples de fazer e é delicioso e sai sempre bem. Esta massa  de Penne com Salmão e queijo creme, deixou os meus amores rendidos. O meu filho, então, nem se fala. Comeu ao almoço e ao jantar e quando acabou começou a bater com o indicador no prato e a olhar para mim como quem diz: Não há mais?! Ficou lambuzado como poucas vezes. A roupa teve de ir para a máquina depois do almoço e depois do jantar. Foi quase preciso um banho a seguir, mas ele comeu tão bem que é um prazer ver (Não se esqueçam que falamos de um miúdo com baixo peso, sem percentil e que só começou a botar corpo quando deixou as comidas insossas de bebé e passou para as nossas comidas). Recomendo esta receita. É simples, relativamente barata (comprei uma embalagem de salmão congelado continente a 3,99€), muito simples de fazer e um consolo.

As minhas paixões

Este fim de semana foi dedicado às minhas paixões, aos meus dois grandes amores. Não é que os outros não sejam e que não sejam todos os dias da minha vida, mas o bom tempo destes dias fez-nos muito bem. Ontem a manhã foi passada com o piolho no parque, mas o fim de tarde e a noite foi só para mim e para o meu marido. Fomos ao cinema e eu gostei bastante do filme Sem Limites e da realização. Depois fomos jantar ao Las Brasitas. Foi muito bom termos um tempo só para nós e para brindarmos ao nosso amor e aos nossos 4 anos de casados e muito mais de vida em comum. 

Hoje de manhã fui com o meu piolho ver o pai jogar futebol. Depois de tantas lesões e baixas hoje o meu marido decidiu regressar aos relvados e o A. estava doido a ver o pai e os amigos a jogarem. O sítio é lindo - um paraíso verde no coração de Lisboa - e a manhã estava uma delícia. Até houve espaço para uma ou duas invasões de campo, mas ninguém levou a mal. À tarde, passeio pelo Alvito. Não ia lá desde miúda e aquilo está fantástico e recomendo vivamente. Foi um fartote de animação.

20 de maio de 2011

Estou a dormir em pé...

Tenho sono, muito sono... (Longo bocejo)

Apetecia-me ir enroscar com o meu filhote - enquanto o marido não regressa a Lisboa - e dormir, dormir, dormir...

Mas o meu filho está agora a dormir na creche e vai chegar com as pilhas mega carregadas. Além disso, o meu filho não sabe que é possível dormir na nossa cama, pois nunca o habituámos a isso...

Resta-me esperar pelo cair da noite, depois de jantar feito e banhocas para me ir meter na cama. Ai... Ainda falta tanto...

"Vai vir Charteres da China"

"Segundo a edição de hoje do Diário de Noticias (DN), é possível que o interesse na compra do BPN surja da parte de investidores chineses. EDP e TAP são outras empresas portuguesas que devem vir a ser privatizadas e que têm suscitado interesse por parte do gigante asiático"

O Futre bem dizia: "Vai vir Charteres da China"!

Madrugada

Dormimos todos pouco e custou-nos a todos a acordar. O meu filho, esse, quando nos viu entrar no quarto, virou-se de barriga para baixo e rabo para o ar e continuou a dormir. Lá o tirámos da cama para nos juntarmos todos à mesa do pequeno-almoço. Quando o viu chegar à creche poucos minutos depois das 8 a educadora perguntou se ele tinha caído da cama e estranhou a madrugada, mas eu quis ir levar o pai que ia para Coimbra em trabalho. Assim, começo o meu dia mais cedo e depois vou mais cedo buscar o meu filhote para ainda fazermos um programa... Até tinha pensado levá-lo à praia. A ver é se eu me aguento. É que acordei às 5 com o A. a chorar com frio e com fome e já não voltei a dormir, apesar do despertador só ter tocado às 6h30.

19 de maio de 2011

E foi assim...

Não deu para grandes comemorações, que o meu marido está cheio, cheio de trabalho, mas jantámos os três juntos num restaurante italiano, perto de casa, que adoramos. O meu filho, um homem feito, comeu que nem um rei e deliciou-se com azeitonas temperadas, sopa e bolonhesa. Eu e o pai estávamos felizes, apesar de cansados que o dia foi longo e o de amanhã começa às 6h30. No sábado vamos dar uma escapadela. Só os dois, sem piolho júnior. Estou feliz. Estou casada com um homem fantástico que além de ser uma pessoa que eu admiro muito a todos os níveis, é um marido maravilhoso e um super pai! Até amanhã...

AMO-TE

Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te!  Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te!Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te!Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te!Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te!Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te!Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! Amo-te! MUITO

Depois ficou assim...

Parabéns, meu amor, por estes 4 anos de casados!

18 de maio de 2011

Há 4 anos!!

A esta hora, a minha mão, era assim... Apenas tinha o anel de noivado que uns meses antes o meu amor me tinha dado...


Estava a quase 300km de Lisboa com a família e os amigos reunidos na véspera do que seria o grande dia.  Foi também uma noite de festa que só terminou quando o meu pai disse que eram horas da noiva ir descansar. Dormi sem o que viria a ser o meu marido, pois para os meus pais a tradição ainda era para manter. Não estava nervosa, mas cheia de vontade de dizer que sim ao homem que amava e que ainda amo, mais ainda!

Ervilhas

Os meus sobrinhos, filhos de amigos e outras crianças que conheço e com quem convivo odeiam todas ervilhas. Não sei porquê, mas constatei isso. O meu filho, pelo contrário, adora-as! Só fica danado quando elas acabam. Nunca vi. Não sei se é por serem pequenas bolinhas ou se gosta mesmo do sabor, mas a verdade é que ele se delicia. Eu faço-as sempre estufadinhas com coentros. Será por isso? Não sei, os outros também as comeram, ou tentei que comessem asssim cá em casa e não tive sorte nenhuma. 

Tenho também de dizer que depois de começar a comer a nossa comida (ou seja, temperadinha e bem cozinhada) e a comer sozinho a conversa dos jantares mudou. Come bem e com gosto. Escusado será dizer que no fim do jantar o chão da minha cozinha parece a lixeira municipal, mas depois tudo se limpa e o importante é que ele cresceu bastante e engordou. Quando lhe pegamos já não parece uma folha de papel. Estou desejosa de ir ao médico para ele dizer de sua justiça.

Coisas de sobrinha de 5 anos

Um dos tios ofereceu-lhe um quimono Coreano, verdadeiro, lindo, e vindo directamente da Coreia. Ela é uma boneca muito despachada e foi logo vestir o quimono assim como outra prima mais pequena. Ao fim da tarde, na hora de regressar a casa, uma tia perguntou-lhe:

Tia: Vais assim para a rua?
Sobrinha cómica com um quimono vestido: Sim!
Tia: Mas não é Carnaval. O que é que as pessoas vão pensar quando te virem assim na rua?
Sobrinha despachada: Que sou Inglesa!

Risos pela sala. Não chegámos a perceber porque é que ela disse isto, mas ela lá deve achar que às inglesas ninguém leva a mal!

Adoro esta série

Chama-se Parenthood e dá na Fox. Enche-me as medidas: tem uma família grande, as ramificações desta família com as respectivas famílias e suas histórias, drama, comédia, bons actores, incluindo uma criança que tem Asperger. Muito boa, mesmo. Recomendo.

17 de maio de 2011

E este tempo?!!!

Às 8 da manhã estava frio, o céu estava carregado, pingava e não havia ponta de sol. Fui desencantar umas botas e vesti uma t-shirt de manga comprida e uns all star com meias ao meu filho. Eu estou a assar e ele também deve estar... Espero que o dispam na creche. Não me lembro se tem lá alguma t-shirt para lhe vestirem ou se vai andar em versão camionista com um body de manga cava! Desculpa lá, filhote!

Faz 1 ano...

... que o meu pai me ligou a dizer que o meu cunhado tinha morrido. A má notícia logo pela manhã - apesar dele já estar muito doente há algum tempo vítima de cancro, a correria para junto da minha irmã na Cuf - de onde lhe tinham ligado e para onde ela correu a fim de se despedir do seu único e grande amor da sua vida - a reunião com a funerária - mal sabia eu que passado 3 meses seria eu a orgamizar o enterro do meu pai, que morreu sozinho e de forma inesperada - a escolha da roupa para o vestir, a missa de corpo presente com um dos filhos dele a dar-lhe festas no rosto frio e imóvel...

Passou um ano e parece que um pouco - para não dizer muito - da minha irmã foi com ele... e que outra parte dela seguiu com o meu pai...

Ela é tão nova, fez agora 29 anos, mas tem o rosto duro, a expressão triste, o corpo magro e o olhar triste... Não tem sido fácil resgatá-la, mas eu acredito que ela voltará a sorrir e a encarar a vida com alegria...

16 de maio de 2011

Malditas alergias!

O fim de semana foi terrível. Gastei milhares de lenços, espirrei e assoei-me outras tantas. Há 3 anos fiz uma vacina contra os poléns e gramíneas, no ano seguinte pensava que estava curada, mas eram apenas efeitos da gravidez. No ano passado não podia tomar nada, pois estava a amamentar, em Setembro desleixei-me e não voltei a fazer a vacina e agora ando aqui que não posso. Nos dias quentes e ventosos é o terror. O meu marido anda igual e só espero que o nosso piolho não herde estas alergias. Vou ali tomar um anti-histamínico e deliciar-me com a "Modern Family" que regressou ao Fox Life.

P.S: São Pedro: Por favor, cuidado com a barulheira nocturna que a malta vive num último andar e se fazes muito barulho o meu filho, que até tem sono pesado, acorda. Obrigadinha.

14 de maio de 2011

Fim de semana

O fim de semana começou da melhor maneira com visita aos bisavós ao fim da tarde, ida ao parque com as primas e uma jantarada entre primos grandes (leia-se, nós) com a respectiva filharada. Foi uma grande festa! O meu filho estava feliz assim como as primas. Um rei entre 4 meninas. Jantou lindamente, descobri que já sabe beber por uma palhinha, provou bifes de atum (que adorou) e só adormeceu quando chegámos a casa, perto da meia noite. A meio da noite acordou a chorar e eu calculei que ele tinha sede. Está muito calor e a nossa comida, temperada, faz-lhe sede. Bebeu um biberão de leite que fez com que aguentasse até às 10h30 da manhã! Yupi! Enquanto eu faço o almoço (meti agora um rolo de carne no forno) o pai e o filho estão a brincar no jardim. Espera-se um fim de semana quente com muito passeio. Estamos a pensar ir à Quinta Pedagógica dos Olivais para o A. ver os animais e brincar ao ar livre. 

Bom fim de semana!

12 de maio de 2011

A cereja no topo do bolo

Não há nada melhor que chegar bem cedo ao escritório para  lhe dar com alma no trabalho, que está a modos que atrasado, e a meio de um email muito importante... Puf! Falta a luz! Durante mais de uma hora apenas se ouviam os zumbidos do servidor ou o que era aquilo. Felizmente, a luz voltou antes que eu começasse a hiper ventilar com os meus nervos e os da minha equipa que não podia trabalhar.

11 de maio de 2011

Trabalho, mais trabalho e responsabilidade e...

Stress! Ando num stress enorme com o meu trabalho. Nunca tinha estado à frente de um projecto da minha autoria e à frente de uma equipa e é um stress. É uma responsabilidade, uns nervos. Até está a correr bastante bem, mas ainda estamos a afinar agulhas. A equipa foi chegando, foi-se formando, e, como numa orquestra, temos de estar todos em sintonia. Eu sei que estas coisas demoram e que não pode ser de  uma semana para a outra, mas quero tanto que tudo comece a funcionar em harmonia.

Parabéns reservados...

Querida amiga C. do meu coração. A notícia de que estavas grávida deixou-me atordoada. Já passaram mais de 12 horas desde que me contaste, mas ainda estou meio incrédula. Não esperava nada que desses este passo nesta fase da tua vida, mas estou muito feliz, estarei sempre aqui e fiz as contas e as 40 semanas batem no dia de nascimento do meu filho. Sei que temos de ir com calma com os entusiasmos porque tens um descolamento de placenta, mas vai correr tudo bem.

10 de maio de 2011

Manhã gostosa

O meu marido teve de ir fazer análises - desgraçado anda há mais de uma semana com febre e não se sabe a causa - e eu o meu filhote aproveitámos para ir passear, ir ao pão e aos baloiços enquanto esperávamos que o meu marido se despachasse. Foi bom estar esta manhã com ele, sem pressas, com muito mimo e passeio à mistura.

8 de maio de 2011

Jardim da Estrela

Passámos uma tarde para lá de catita no animado e concorrido Jardim da Estrela. Parar o carro foi uma aventura, mas valeu a pena. A tarde estava solarenga, a temperatura perfeita, havia jazz, barraquinhas com produtos de design feito à mão, uma tenda da Ben&Jerry’s cujo gelado fez as delícias do meu filho, miúdos e graúdos estendidos na relva, danças de capoeira e por aí fora. O meu filho adorou, deu bolachas aos patos, comeu gravilha do parque infantil - e ainda trouxe nos bolsos para o jantar - brincou, correu atrás do cães, apanhou folhas e seduziu de tal maneira uma das senhoras de uma banca que fazem móveis (giríssimos) de cartão que ela disse que ele tinha os olhos do Colin Firth, coisa que desmenti de imediato em frente do meu marido. Foi uma tarde mesmo boa e é fantástico ver os parques cheios de pessoas, divertidas e num bom ambiente, a conviverem e a aproveitarem o sol.

Que belo fim de semana, este!

Passeio de Burro!

Perfeito!

O local, perto do Magoito, antes de chegar à Ericeira é lindo. O passeio pelas arribas é deslumbrante, a vista é fantástica e o meu filho delirou - acho que nunca o vi tão feliz - por andar de burro.  Ele estava radiante quando o sentámos em cima da albarda, mas quando eu soltei o burro e este começou a andar a exclamação e a cara dele do género: "Mais isto anda?!" foi única. Andou durante mais de uma hora, a partilhar a albarda com uma menina de 7 anos e foi a loucura completa. Fazia estalinhos com a língua, batia palmas, dava gritinhos, cantarolava! Foi a loucura das loucuras!


O passeio e o burripaper foi organizado para os colaboradores do departamento empresa onde o meu marido trabalha, mas esta empresa organiza estes passeios para quaisquer grupos. Vale mesmo a pena e os miúdos deliram. Depois, um belo piquenique num pinhal. Só foi pena o meu marido ter ficado com febre e termos passado as actividades da tarde. Eu ainda fui com o meu filho aos anos de uma cunhada minha para ele estar com os primos e os tios (e em Outubro chega mais uma prima, a Alice), que é sempre motivo de festa. Escusado será dizer que caiu na cama que nem um anjo!

6 de maio de 2011

Amanhã

Vamos estar por ali a fazer um burripaper!
São Pedro, sê nosso amigo e traz o sol de volta.

Coração mais aliviado

A escolha que eu e o meu marido tomámos para o mês de Agosto é, em nosso ver, a melhor para o A. tendo em conta as alternativas que temos e acho que vai corre muito bem. Durante este mês vamos lá falar com a directora - com quem gostei muito de falar - e até Agosto vamos lá levá-lo algumas vezes para brincar e se familiarizar com o espaço e com as pessoas.

Tenho o coração de mãe partido

Sinto-me mal, muito mal.

Em Agosto a creche do meu filho está fechada e eu ando há meses a pensar numa solução. Liguei para uma escola onde anda o filho de uma amiga e que está aberta em Agosto e falei com a directora para saber se podiam aceitar o meu filho por um mês. Ela disse que sim, podiam abrir uma excepção, mas que a situação não era nem de perto nem de longe a melhor para ele que ia entrar para um sítio estranho, com pessoas que não conhece para estar durante um mês. Eu expliquei que há muito poucos sítios que aceitem crianças pequenas e que acha esta situação melhor (apesar de não ser perfeita) do que arranjar uma empregada à pressa para ficar com ele em casa. Ela compreendeu, mas dizendo sempre que era uma situação chata para o miúdo, que podia estranhar. E pode, eu sei, apesar dele ser muito sociável. Mas qual é a alternativa? Tenho o coração partido por poder estar a colocar o meu filho numa situação que o perturbe. Seria melhor andar o mês todos, de trás para a frente, para casa de uma tia, depois ir uns dias para o algarve com outra tia, mais uns dias na avó, outro com outra pessoa? Penso que não... Vou ali chorar um pouco e já volto...

Espertalhona de 5 anos

Estive com a minha sobrinha que fez 5 anos. Entrei no quarto onde ela estava a brincar e o diálogo foi maravilhoso.

Eu: Olá, princesa da tia!
Sobrinha: Já fiz 5 anos!
Eu (Enquanto lhe pegava ao colo e a beijocava): Eu não me esqueci e liguei para os teus pais a dar os parabéns... (Não falei com ela porque estava num acampamento)
Sobrinha: Mas não me deste o presente!
Eu (Com esforço para não me rir, porque a múda é mesmo engralada): Está lá em casa à tua espera! (Mentira piedosa. Não estava, mas vou hoje tratar disso)

Felizmente é sexta!

Esta semana foi dura! Venha aí o fim de semana para descansar, arejar as ideias, namorar e andar de burro... Parece que temos aí um programa alternativo que o meu filho vai adorar (Espero eu).


5 de maio de 2011

Muito café

Para aguentar o dia de hoje.

E vou precisar também de muita calma...

Pensamos que só acontece aos outros...

Sempre pensei que só em famílias desavenças é que havia discórdias aquando das partilhas. Sempre achei que quem se dá bem não se zanga quando tem de decidir o que fazer com bens herdados, mas, infelizmente, nem sempre é assim... Como diz o ditado: "Muitas cabeças, muitas sentenças"

Maldita insónia!

A tentar dormir desde a meia noite decidi levantar-me. Tenho a cabeça a mil, problemas familiares e questões de trabalho não me deixam pregar olho. Os meus homens e as gatas dormem e eu aqui feita parva sem conseguir dormir. E amanhã avizinha-se um dia longo e difícil em que já sei que vou chegar a casa tarde, muito depois do meu filhote já ter ido dormir. Vou aproveitar para trabalhar um pouco a ver se o sono, entretanto, chega.

4 de maio de 2011

16 meses..

... de amor
Pelo meu filho...
Apesar de já o amar muito desde o segundo em que soube que estava grávida.

3 de maio de 2011

Mimos...


Miminho da Páscoa com a mão do meu filhote!

Miminho do dia da Mãe!

Vida de mãe

Conta a minha querida avó que um dia, era a minha mãe pequena, ficou com uma tia (irmã da minha avó) quando os meus avós tiveram de viajar. À noite, a tia Mariazinha (que, infelizmente, já não está entre nós) rezava com a minha mãe antes dela se deitar e dizia sempre: "E que corra tudo bem ". Ao fim de umas noites, a minha mãe perguntou: "Oh, tia Mariazinha, porque é que a minha mãe anda sempre a correr, sempre a correr, sempre a correr?". Esta história, que eu acho deliciosa, serve agora para dizer que de facto, nós mães, andamos sempre a correr. De manhã visto o meu filho a correr, faço a papa a correr, tomo o pequeno-almoço a correr antes dos meus homens saírem de casa (Já tentámos sair juntos, mas era uma tourada do pior), tomo banho, visto-me e vou a correr para o trabalho. Aí, paro de correr e concentro-me. Só volto a correr à hora de almoço, quando vou a correr comer qualquer coisa (quando não levo de casa). Ao fim da tarde vou a correr apanhar o comboio, vou a correr ao supermercado (falta sempre qualquer coisa, se não é pão é fruta ou leite) e vou a correr para casa. Faço o jantar a correr  enquanto apanho ou estendo roupa na corda e depois, quando o meu filho chega, atrás dele. Parar, só páro, quando desligo de tudo e de todos e me vou deitar a ler um livro. No entanto, nem a dormir paro e o meu marido diz-me que eu me mexo a noite toda. Uma amiga perguntava-me no outro dia: Não queres vir correr comigo? Eu disse que não gostava muito de correr, mas a verdade, verdadinha, é que eu não faço outra coisa o dia todo.

À conta de tanta corrida, não só já recuperei o peso que tinha antes da gravidez, como já perdi um ou dos quilos.

Jantar, parte 2

Obrigada pelas dicas que me deram. Hoje, sentámos o A. à mesa. A cadeira tripp trapp da stokke permite encaixá-lo bem e dei-lhe um prato e uma colher só para ele onde coloquei a batata e a cenoura cozidas e o peixe ao mesmo tempo que eu lhe ia dando a sopa. Ao contrário do que tem sido costume até aqui portou-se bem e o prato não voou. No fim, é que adorou fazer puré com as mãos, mas isso faz parte e o importante é que ele tinha comido muito bem, divertido e sem birras. No fim, uma bela manga para toda a família!

Noite descansada...

Quando acordei, estremunhada, com o meu marido a levar-me o piolho à cama olhei para ele e disse: Dormi lindamente e o A. não se ouviu durante toda a noite. Foi um silêncio. Ao que o meu marido responde: Se calhar, foi porque o intercomunicador estava desligado.

Olhei o intercomunicador desligado, fiquei séria, depois ri. Se ele precisasse mesmo de nós tinha gritado e nós ouviamo-lo. Por isso, estou certa que ele também dormiu a noite interinha.

Quem manda cá em casa?

Prestes a completar 16 meses o meu filhote anda a medir forças connosco para ver quem ganha. O pai diz que eu sou fraca e que o deixo fazer o quero, mas eu acho que tem de haver meio termo e que o jantar é um momento de paz e de harmonia e não de gritos, choros e objectos a voarem pela cozinha. O miúdo estava a jantar lindamente e a coisa só se complicou quando o pai se veio sentar à mesa - o meu marido ficou danado quando eu disse isto, mas a verdade é que eu acho que o A. começou a disparatar para chamar a minha atenção, que agora iria ficar dividida com o pai - e ele começou a querer comer sozinho. Queria agarrar na colher e gritava que nem um perdido. Com calma, lá o fui distraindo e consegui dar-lhe o jantar. Mas quando é que ele terá de começar a comer sozinho? É que na creche já come e em casa quer fazer igual, mas a verdade é que pouco ou nada lhe vai parar à boca. O meu marido achava que ele só queria pegar na colher para mostrar quem manda e para me desafiar, mas eu já não sabia nada e só queria que ele comesse tudo. Foi um jantar muito barulhento, disso não tenho dúvidas, mas tenho de falar com o pediatra para ver qual é a melhor maneira de gerir esta situação.

2 de maio de 2011

Há uma semana foi assim...

Parabéns, mãe do meu coração!

Parabéns! Hoje é o teu dia de aniversário. Um beijo do tamanho do mundo. Sabes que te amo muito. Espero que os 61 anos só te tragam coisas boas e que este ano seja bem melhor que o anterior. Obrigada por seres uma mãe, uma avó e uma sogra tão fantástica! Um beijo grande!

1 de maio de 2011

Dia da MÃE!

Foi um dia muito bom. 
Começou comigo a abraçar o meu filho e a enche-lo de beijos por ser o filho mais maravilhoso do mundo. (Nada diferente das outras manhãs, mas eu hoje sentia-me especial). Ele não sabia que hoje era dia da mãe, mas todos os dias me lembra que sou uma mulher muito mais feliz e completa por ele existir.  Mais cansada, é verdade, mas aquele sorriso, aqueles olhos, o ar dengoso com que me tenta dar a volta, aqueles abracinhos com palmadinhas nas costas compensa tudo e mais alguma coisa! Podia ficar a noite inteira a dizer tudo o que amo no meu filho. Não há nada melhor que amá-lo e vê-lo crescer. Obrigada por existires, filhote lindo que eu amo. Espero que possamos comemorar este dia juntos para sempre com todos os que amamos, incluindo a avó Ana e a Bivó. Duas mulheres muito diferentes, mas com um coração do tamanho do mundo, que nos amam para além do infinito, que nos desejam o melhor do mundo e que rezam por nós todas as noites. 

Depois de um almoço com a minha família foi a vez de irmos ter com a minha sogra, cunhados e sobrinhos para, em conjunto, celebrarmos o dia da mãe que é um dia de família, de afectos, de beijos, de reuniões, de almoços especiais e de convívio.

Obrigada a todos os que o tornaram este dia muito especial e um grande beijo a todas as mães. Não há nada que seja melhor. Não há sentimento mais intenso. Não há nada que seja mais recompensador, mas ao mesmo tempo assustador: É uma grande responsabilidade educá-los com valores, educá-los para  serem felizes, educá-los para vida, para serem pessoas dignas, honestas, boas. Para eles, só queremos o melhor do melhor.

Amo-te filho!

P.S: Obrigada, maridão. Sem ti não seria mãe do filho mais maravilhoso do mundo. Amo-te muito.

P.S1: Obrigada por todos os mimos que me deram hoje.