31 de janeiro de 2013

De molho

Estávamos a escapar a estas vagas de constipações, febres, ranhocas e narizes entupidos, mas hoje e o meu primogénito fomos atacados. Ele está com febre, tosse e muito ranhoso. Eu estou super ranhosa, com o nariz super entupido e já sinto os ouvidos congestionados. Amanhã ficamos de molho. No mimo. A ver filmes. A beber chá e enroscadinhos numa manta.

Saquinho para a primeira muda de roupa

Alguém desse lado (sim, que anda aí gente muito prendada) faz estes saquinhos em tecido para levar a roupa das crias para a maternidade? Tenho um do meu filho mais velho, mas tem o nome dele bordado, e quero que o mano também tenha o seu saquinho. Aceitam-se sugestões, dicas e preços! Obrigada.

Segundo carro

Há muitos, muito anos... eu e o meu marido vendemos os nossos dois carros e comprámos uma carrinha familiar. Eu trabalhava no Chiado, tinha comboio à porta de casa e não havia necessidade de termos dois carros e os encargos (gasolinas, seguros, selos, inspecção...) que isto representava. Uns anos depois, mudei de projecto e de empresa e tive necessidade de comprar carro. Lá veio um pequenote que serviu durante uns meses, até eu ir novamente para o Chiado e deixar de precisar de carro. Com a chegada do primogénito e só com um carro as coisas foram-se complicando, mas íamos aguentando e gerindo da melhor maneira. O meu marido cada vez falava mais do seu sonho de voltar a ser motard, e eu ia continuado a usar os argumentos dos últimos anos. A dependência uns dos outros para nos deslocarmos começou a complicar imenso as nossas rotinas diárias e a provocar algumas discussões matinais, que isto de sair tudo de casa ao mesmo tempo não é fácil. Principalmente nos dias em que o meu marido tem reuniões muito cedo ou tem de fazer serão para trabalhar. A certa altura fui vencida pelo stress e disse: Ok! Vai lá comprar a mota, mais todos os kit's de segurança e de protecção que existam no mercado. Ele ficou radiante. Andava nesta conversa há 8 anos e tinha finalmente luz verde para comprar a mota. Lá viu, estudou, pesquisou, sondou... E um dia, naquelas manhãs em que já saímos todos de casa com os pés de fora, eu pergunto: olha lá, tanta coisa com a mota e quando é que a vais comprar?! (eu sou muito despachadinha e quando é para comprar, bora lá) E o meu amado diz: Não posso comprar a moto sem garagem. É muito arriscado. São muito roubadas e... E eu assim: Andei quase uma década a fazer figura da má da fita e da mulherzinha que tem medo que o marido se mate de mota, quando afinal ele não a ia comprar porque não temos garagem?! Podia ter dito logo... Tinha feito um papel mais fixe. Mas adiante... Como não havia garagem e ele ainda estava a ver uma maneira de resolver a situação... Eu antecipei-me quando um Smart parou ao meu lado! Bingo! É isto mesmo! Lancei o isco... E todo ele sorriu! Adora o Smart e sempre gostou de ter um. Não dá para fugir ao trânsito como as motas, mas em contrapartida dá para lá levar uma das crias. (Desconfio que o meu mais velho depois de se sentar à frente nunca mais quer ir na carrinha. Isto depois de lhe explicarmos que o carro não é para ele, é que o Smart é pouco maior que a Moto4 do miúdo). E assim... Havemos de voltar a ter dois carros. Com a promessa de que quando mudarmos para uma casa com garagem o meu amor terá a sua moto. Mas como o senhor da Smart diz que aqueles carros são viciantes (e eu acredito) pode ser que a moto venha lá só para a reforma!!!

O vestido

 http://www.rosaclara.es/en/index.html
Não são para mim, que já me casei bem casadinha e com um vestido bem bonito feito pela Alexandra Moura, mas são lindos e bem podiam ser para a minha amiga que se vai casar. Eu só preciso de arranjar um vestido para ir ao casamento. Vou estar de 30 semanas e não me apetece comprar um vestido giro só para uma vez. Já meti as minhas amigas ao barulho para ver quem tem um vestido giro de grávida que me empreste. Quero ir toda giraça! Vou ser a mais grávida e eu adoro exibir a barriguinha, que é como quem diz, barrigona!

Gula

Acabei de despachar meia tablete...

E ontem já tinha despachado a outra metade. Ando tão gulosa... Será que é desta que tenho um filho com percentil maior que 5???

30 de janeiro de 2013

Constatações de mãe

O meu filho demora tanto, mas tanto, mas tanto tempo a jantar que quando nos levantamos da mesa acho que já tenho a digestão feita!

Desenhos para a vida...

Já marquei a minha sessão com a Inês.



Namoro...

Será que vai dar em alguma coisa???

Preconceito

A quantidade de pessoas que comentou / criticou termos-lhe oferecido uma cozinha nos anos. "Depois não se admirem se ele virar..." Mas está tudo maluco?! E estamos a falar de pessoas educadas, com estudos, com profissões liberais... Malta nova! Mas o meu filho vai ser homossexual por brincar com uma cozinha?! E quantos são os chefs de cozinha que são homossexuais? E quantos homossexuais receberam cozinhas quando eram pequenos?? Será que as pessoas não percebem que as crianças gostam de brincar com coisas que conseguem identificar com a vida do quotidiano? O meu filho vê-me cozinhar e gosta de imitar. Gosta de imitar o pai com a caixa de ferramentas. Gosta de ajudar a Maria Júlia (anjo empregada doméstica que cá temos) a aspirar. E depois, gosta de brincar com tudo o que é o imaginário de monstros, pistolas, piratas, cowobys... E tudo o mais que lhe desperte a curiosidade! Enfim...

A morte explicada a uma criança de 3 anos

Ontem levei o meu filho a lanchar a casa dos bivós, neste momento só da bivó, para lhe explicar que o bivô tinha morrido. Pensámos que era mais fácil para ele perceber se lhe contássemos imediatamente antes dele ir lá a casa e ver o cadeirão do bivô vazio. Contei-lhe à saída da escola. Disse-lhe que o bivô tinha ficado ainda mais doente e que agora era uma estrelinha que estava no céu ao pé do avô Alexandre e do Avó António. Falei-lhe que o bivô ia olhar por ele (e por todos nós) e guiar-nos. A conversa continuou no carro (sítio abençoado para conversar porque eles não podem ir a lado nenhum e não têm outro remédio senão ouvir-nos) com ele a dizer que queria mostrar o seu carro ao bivô, que o bivô não conhecia aquele carro que ele tinha levado ontem para a escola. Comecei por dizer que o bivô podia ver do céu quando ele mostrasse à bivó, mas ele disse logo que não, que não havia ainda estrelas... Ups. É verdade. Lá lhe disse que mostrava à bivó e que era como se mostrasse ao bivô e mudei rapidamente de assunto, dizendo que a avó também ia estar lá em casa para jantar. Chegados a casa dos bivós foi logo directo mostrar o carro à bivó e disse que gostava de mostrar também ao bivô. Eu disse que ele já sabia que agora o bivô era uma estrelinha e o assunto ficou por ali. Não voltou a falar do bivô. Até o pai ligar e ele falar com ele. Disse que estava nos bivós, mas que o bivó já não estava. Tinha ido numa estrelinha...

29 de janeiro de 2013

Receios de filho (que vai deixar de ser único)

À hora de dormir o meu filho chorava e chamava pelo pai, que hoje não chegou a tempo de jantar connosco e das brincadeiras da noite.

Filho: eu quero o meu pai. Eu quero o pai. O pai não está cá para me proteger
Mãe: eu protejo-te, filho. A mãe está aqui.
Filho: (numa enorme angústia) tu não me podes proteger.
Mãe: claro que posso, meu amor.
Filho: (lavado em lágrimas) não podes não. Tens o mano na barriga.

E eu abracei-o, jurei protegê-lo até ao fim dos meus dias e acalmei-o no meu colo. Quando ele estava mais calmo disse que eu, tal como as mães leoas, iria sempre protegê-lo. E não era por vir um mano que eu ia deixar de o proteger. Acarinhei-o muito, mimei-o, contei-lhe uma história e fi-lo sentir o meu amor, que não vai diminuir por nascer um irmão.

Coisas que me tiram do sério (e magoam muito)

Quando alguém que nos devia abraçar porque perdemos alguém que amávamos muito (neste caso respectivamente, o pai e o avô) se limita a criticar o facto do meu marido não ter ido de gravata preta ao enterro e de termos chegado depois da missa de corpo presente ter começado. Quando o que mais interessa são as aparências, quando o que nos separa começa a ser muito mais do que aquilo que nos une. 

Gang dos 3 anos

A pedido da educadora reunimos um pouco esta manhã. Eu e o meu marido parecíamos dois meninos nervosos à espera de falar com o reitor. Afinal, o que é que ela queria? Disse para não nos preocuparmos que não era grave, mas nós desconfiávamos que ela não queria dar uma medalha de bom comportamento ao nosso filho... E estávamos certos. Mas não é nada de preocupante. O meu filho e os 3 amigos da idade dele, ou seja, os únicos que já têm 3 anos na sala, são os líderes, brincam às espadas que constroem com legos, colocam as cadeiras em disposição de cinema, gritam, saltam e levam os ouros 18 atrás das suas brincadeiras! Ela disse que eles os 4 chegavam para fazer uma turma e já davam o que fazer. Acredito que sim. Desafiam as regras e não obedecem e querem ser os maiores, os super heróis da turma. Claro que a desgraçada da educadora, que eu admiro e respeito imenso pela qualidade do seu trabalho e maneira de lidar com os miúdos, está a dar em doida e a ter dificuldade em ter mão na turma. Além dela, tem duas auxiliares, mas é óbvio que estão em minoria em relação aos piratas. Pediu-nos para falarmos com ele e para sermos firmes com as regras em casa. Nós achamos que somos bastante firmes e rigorosos, mas também achamos que ele é uma criança de 3 anos e que às vezes temos de negociar e gerir. Não queremos uma ditaura e fazemos sempre tudo de modo a que ele perceba. E percebe tudo. E já diz que está arrependido, que não volta a fazer e que não nos quer zangar, mas a verdade é que adora desafiar-nos e testar os nossos limites. Eu imagino que para ela seja complicado, eu tenho de usar muita imaginação, criatividade e doses de parentalidade positiva para lhe dar a volta, mas claro que é porque é só um e não 22! E é um que está a ver a barriga da mãe crescer a olhos vistos e que está a chamar a atenção e a tentar marcar bem o seu espaço na nossa casa e na nossa família. E é isso, educar é a coisa mais difícil do mundo. Mas o importante é darmos sempre o nosso melhor, parar para reflectir e estar atento. 

28 de janeiro de 2013

Consulta das 26 semanas

Ia com pavor da balança, mas passei com distinção e só engordei 300 gramas num mês. Quem é linda, quem é? Eu e Afonso estamos bem, ouvi o coraçãozinho do meu mais novo bater e agora estou aqui a sentir os seus pontapézinhos. 

O presente do mano

Fui trocar um presente que tinham oferecido repetido ao meu filho e acabei por trazer um pack com os 5 bonecos do Toy Story - ou o filme do Cowboy como ele diz. Como recebeu uma loucura de brinquedos entre o Natal e o Aniversário dia 4 de Janeiro vou guardar estes bonecos para ser o mano Afonso a oferecer-lhe quando ele nascer. Acho que ele vai adorar!! Também já lhe perguntei (por sugestão do coaching que fiz com a Mum's the Boss) se ele gostava de ir comprar algum presente para oferecer ao Afonso quando ele nascer e ele disse que sim. Depois tratamos disso mais em cima da hora. E se ele entretanto mudar de ideias e decidir que já não quer dar nada ao mano, também não insistimos.

Vão-se lá entender as crianças

O padrinho do meu filho mais velho ofereceu-lhe uns ténis lindos da Timberland para este Inverno, mas o meu filho recusou-se sempre a calçá-los. Chorava que magoavam, que apertavam, que não serviam. Eram fitas de meia noite e a certa altura desistimos. Como graças a Deus tem mais sapatos, pu-los de lado para o mano. E se magoassem mesmo? Não pareciam apertados, mas ele chorava tanto. Passaram-se estes meses todos e... Tcharam!

Ontem quando lhe estava a vestir o pijama.
Filho: amanhã quero levar os ténis que o tio Pedro me deu. São muita giros!
Eu sorri e disse que sim, que são muito giros...

Hoje de manhã quando o estava a arranjar.
Filho: Vou levar os ténis que o tio Pedro me deu. Os meus amigos vão gostar muito. São muita giros!
Eu sorri e disse que sim, que são muito giros... Calçou os ténis feliz da vida.

Hoje de manhã  a caminho do carro:
Filho: mãe, tenho de ligar ao tio Pedro a dizer que já gosto dos ténis que ele me deu!

Hoje de manhã à chegada à creche:
Filho: vejam os meus ténis novos! Vejam! São muita giros!

E é assim... Vai lá uma mãe perceber o que se passa na cabeça das crianças! Felizmente ainda lhe servem e vão durar até à primavera!

27 de janeiro de 2013

26 semanas de Afonso

Chegámos hoje às 26 semanas. No outro dia na aula de ginástica eu era a única mãe de segundo filho que sabia as semanas e os dias de gravidez em que estava. Dizem que na segunda gravidez as mulheres não ligam tanto, mas eu ligo. Não sei se é por ter tido algumas perdas entre o meu filho mais velho e esta gravidez, mas a verdade é que continuo a seguir as semanas e os dias com o mesmo entusiasmo da primeira vez. Também dizem que a segunda gravidez passa mais depressa, mas eu não sinto isso. Talvez o facto de ter trabalho até às 36 semanas da outra vez tenha feito com que passasse mais depressa. Continuo a adorar estar grávida, sinto-me bem, apesar de alguns dias já acusar o cansaço. Desde que estou na ginástica que diminuíram imenso as minhas dores nas costas e tirando a minha gulodice (e o pavor de ir amanhã à balança e levar um ralhete da médica) está tudo perfeito. E amanhã vou ouvir o coração do Afonso, que me tem brindado com imensos pontapés como que a dizer estou aqui e estou cheio de saúde. Deus permita que sim.

O sonho do meu filho

Ter um skate. Todos os dias fala no assunto. E já está prometido para os 5 anos. Até lá vai inventando e no outro dia apanhámo-lo em cima de um bacalhau inteiro seco embalado a dizer que era uma prancha gira!

Maldita chuva

No momento em que me preparava para sair de casa começa a chover com força. E onde está o meu chapéu de chuva? No carro, pois claro! A uns quarteirões de casa. Já estou farta, mas mesmo farta desta chuva! 

Grande ideia, mãe!*

08h30 da manhã
Filho: está a chover. Podemos ficar em casa a ver bonecos?
Mãe: podemos, filho.
Filho: todos juntos?(ontem estivemos fora o dia todo para ir enterrar o meu avô)
Mãe: sim, todos juntos.
Filho: isso é uma grande ideia, mãe! Obrigado!

E assim se começa o dia com amor. E um dia de chuva transforma-se num dia de mimo, de sofá, de filmes e desenhos animados.

*uma das frases preferidas do meu filho nos últimos tempos. Quando gosta do que lhe dizemos diz logo "isso é uma grande ideia"

26 de janeiro de 2013

Um dia de muitas emoções

Estou tranquila. O meu querido avô partiu em paz. Vi-o ir-se apagando esta semana, cada dia pior e sei que foi o melhor para ele. E apesar de até estar calma e tranquila, muitas são as emoções dentro de mim. Nunca o meu filho Afonso se mexeu tanto dentro da minha barriga. Os filhos sentem tudo o que as mães sentem e o Afonso sente a tristeza da mãe. Apesar de ter sido o melhor para o meu avô, custa saber que nunca mais vamos ver uma pessoa que amamos. Quando o meu avô ainda estava bem ligava-me todos os dias, só para dar um beijinho. Mesmo nos últimos meses, que já estava mais apático, quando eu ligava e a minha avó perguntava se ele queria falar comigo, dizia sempre que sim. Vou ter saudades. Foi um grande avô, contava-me histórias para adormecer, punha-me Vick quando eu estava doente, levava-me a assistir às aulas dele quando eu era apenas uma criança de 5  ou 6 anos e eu sentia-me super crescida e especial. Cresci com ele. Os meus pais viajavam muito e eu passava longas temporadas com os meus avós. Fui a primeira neta. A princesa dos seus olhos. Dava-me chocolates e mais tarde dinheiro às escondidas para eu ir sair ou para a gasolina. Esteve no meu casamento onde dançou com a mulher da sua vida, a minha querida avó, pegou no bisneto quando ele nasceu e soube que o Afonso estava a caminho. Morreu em casa com a mulher e a filha. Foi para o Céu. É o que eu vou oportunamente dizer ao meu filhote. E eu quero acreditar que sim. Que hoje no Céu há mais uma estrela. O meu querido avô que se vai juntar a outras estrelas que fazem tanta falta, mas que nos guiam o caminho e iluminam os que mais amam. Obrigada a todas pelas mensagens e emails. E agora vou dormir que amanhã é um longo dia com viagens para a Beira. E eu já me canso com mais facilidade e hoje estou emocionantemente exausta. 

25 de janeiro de 2013

E o meu avô acabou de partir...

Há mais uma estrela linda no céu. O meu querido avô. Um dos grandes amores da minha vida. Até sempre, avô Zé.

teatrinho para os mais novos?

Alguém desse lado recomenda uma boa peça de teatro para levar amanhã de manhã o meu filhote de 3 anos? As últimas que vimos foi "A Bela e o Monstro", pela Academia de Santo Amaro, que recomendo e à qual dediquei um post aqui no blog e o "Peter Pan" do Filipe La Féria, que também vale muito a pena. E este fim de semana, que promete ser chuvoso, gostava de ir com a família a uma peça infantil. Já andei no site Estrelas e Ouriços, mas não houve nenhuma proposta que me despertasse muita atenção e grande parte têm o inconveniente de ser à hora da sesta depois do almoço. Obrigada. Partilhem aqui as vossas sugestões.

A Senhora dos Rios

Gostei muito do livro. Não conhecia a autora, nem a figura histórica que inspirou a protagonista do livro, mas gostei bastante. Um romance histórico muito interessante e agradável de ler, porque simpatizamos (eu simpatizei) de imediato com a personagem principal. Fica a sugestão!


Cliquem na imagem para terem acesso a mais informações sobre a obra.

Dia dos Namorados

Já fiz a minha encomenda ao maridão. Nesse dia, o filhote fica em casa da avó e nós vamos dormir a um bom hotel onde haja uma enorme banheira fantástica para eu me consolar com um banho de imersão. Maridão riu e disse que tratava do assunto. (acho que o facto de estar mega hormonal e sensível e a puxar à lágrima ajudou, não fosse eu começar a chorar logo ali). Como é dia da semana disse que até podia ser num Hotel perto do trabalho dele (centro de Lisboa) e até lhe dei uma dica de um bem catita. O que eu quero mesmo é um bom banho de imersão, uma cama confortável de hotel e mimos! (Quando restaurámos a nossa casa optámos por aqueles mega duches modernos e fantásticos, mas há alturas, especialmente agora que a barriga pesa e o cansaço também, em que quero deixar-me submergir num banho de espuma).

24 de janeiro de 2013

Falar à bebé

Cá em casa nunca houve popós, papinhas, ó-ós, titios nem cutchi cutchi do genéro. Sempre falámos com o nosso filho de forma clara e correctamente de modo a que ele pudesse aprender a falar como deve ser. Por isso, quando alguém fala com ele em linguagem de bebé o meu filho fica a olhar para aquele adulto a achar que ele é atrasado mental! Isto costuma acontecer com um dos meus cunhados, que não tem filhos nem o menor  jeito para lidar com crianças e que fala com o meu filho como se ele fosse tonto e quem passa por tonto é ele. Coitado, não faz por mal... Nós já lhe explicámos que pode falar com o nosso filho como fala connosco, mas ele acha que falar assim é a única forma que tem de comunicar com ele. E vocês? Como falam com os vossos filhos? 

Em que é que ficamos?!

Agora a Segurança Social diz que afinal não retirou as crianças à mãe por ela ter recusado laquear as trompas, mas por outros motivos que punham em risco as crianças. Será que é esta a versão verdadeira ou esta? É que se fosse verdade que os filhos tinham sido retirados apenas por dificuldades económicas e por se ter recusado a laquear as trompas era uma vergonha! Quem é que decide quantos filhos podemos ter? Será que só os ricos é que podem ter muitos filhos! Claro que as pessoas podem ser ajudadas e esclarecidas, mas deve é incentivar-se quem quer ter filhos e não punir. Mas como em todas as histórias existem dois lados aqui deixo os dois. 

Saudades do verão

Hoje de manhã a caminho da creche.
Filho: está um dia feio. Tenho saudades das conquilhas de Monte Gordo!

Eu e o pai suspirámos: nós também, filho...

Que crescido que ele está!

Filhote e pai a sentarem-se à mesa enquanto eu termino de fazer a salada.
Filho: falta lavar as mãos! Esquecemos-nos!

Que orgulhosa fiquei. Disse-lhe que ele estava a ficar um menino crescido e ele sorriu muito ternurento e disse: obrigada por estares orgulhosa! 

Claro que depois quando se sentou à mesa voltou a ser o menino traquinas e péssimo para comer. Demorou tanto que quando acabou foi lavar os dentes e ir para o quarto para a história da noite, sem passar pela sala para ver um bocadinho de bonecos. Já hoje na creche, contou ele, como foi o último a acabar o pão quando chegou ao recreio os carros e as motas já estavam todos ocupados... 

Hormonas de grávida

Não sei se é da chuva, do céu cinzento, das hormonas da gravidez, do tempo livre a mais ou de tudo junto, mas a verdade é que estou desde manhã que nem uma Madalena... Choro e choro porque estou farta de estar sem trabalhar e porque me tiraram injustamente o trabalho que adorava e no qual era competente só porque uma grávida e ainda por cima de alto risco não dá jeito, choro porque todos os dias vejo o meu avô partir mais um bocadinho e hoje já nem conseguiu abrir os olhos para me ver, choro por pequenas coisas, choro por coisas estúpidas e choro por tudo e por nada...

23 de janeiro de 2013

Gosto muito...

... Do trabalho da Mariana Sabido, mãe 360, e no próximo sábado ela vai ter umas sessões especiais -simple sessions - para fotografar e registar momentos das nossas famílias. Infelizmente não consegui que o meu marido estivesse disponível - espero que alguma vez esteja, uma vez que odeia tudo o que tenha a ver com fotografia e só o nome sessão fotográfica deixa-o nervoso - mas eu adorava fazer uma sessão com ele, com o nosso filho giro e com a minha super barriga. Parece que a Mariana ainda tem umas vagas. Espreitem aqui

Actividades na creche

Na sala do meu filho na creche estão a trabalhar o tema do Vestuário de Inverno. Hoje, cada menino tinha de  levar uma peça de roupa de lã para a Escola. O meu filho levou um cachecol de lã que uma tia minha me fez e ontem descobri um livro giro com uma história à roda da lã e da amizade e acabou por ir também. Aqui está o link para o livro, da colecção Minutos de Leitura.

Boas leituras de preferência bem quentinhos!

Uma verdadeira história de Amor parte 2

Ver a minha avó, de 90 anos, cuidar do amor da vida dela é ter o privilégio de presenciar uma verdadeira história de amor. Ontem vi amor e um brilho lindo nos olhos da minha avó enquanto fazia uma festa no rosto do meu avó, que ali está, deitadinho na cama, a ser cuidado pela mulher da sua vida. A maneira terna como fala com ele, como lhe segura as mãos, como lhe dá a sopa ou o leite com chocolate comove qualquer pessoa. E eu estive ali a fazer companhia. O meu avô, apesar de eu ter sido sempre a menina dos seus olhos, a primeira neta, já mal se apercebe da minha presença, pois está quase sempre a dormitar, mas a minha avó adora conversar e falámos muito. A certa altura desabafa que ninguém imagina o trabalho que dá cuidar do meu avô, que já não sai da cama. É verdade. Quando temos um bebé achamos uma loucura o trabalho que dá um recém-nascido, mas não é nada comparado com o trabalho que dá um avô que praticamente já não se mexe. E quando somos mãe temos 20, 30 ou 40 anos. E a minha avó fez 90 em Setembro. Claro que tem a ajuda da minha mãe e do meu tio para dar banho ao meu avô e tem uma mulher a dias, mas as noites são dela... E apesar de estar exausta, há meses que não dorme uma noite inteira, continua a olhar cheia de amor e ternura para o que tem sido o companheiro da sua vida. E isto é uma verdadeira história de amor.

Fraldas Dodot em promoção

Não sei se já partilhei aqui, mas para recém-nascido só gosto de fraldas Dodot. Depois dos 2 anos comecei a usar Pingo Doce e com o Afonso até vou experimentar mais cedo as do Pingo Doce, pois gostei mesmo. Mas como para recém-nascido é Dodot e como eles usam muitas fraldas decidi ir espreitar a Feira do Bebé do Continente e trouxe fraldas tamanho 2 com 50% em cartão. As tamanho 1 não tinham desconto, mas comprei num pack com toalhitas, se bem que nos primeiros meses nunca uso toalhitas e prefiro a primeira água da Uriage com uma compressa. Eu sei que ainda faltam 3 meses, mas prefiro ir comprando algumas destas coisas para não ser depois tudo ao mesmo tempo. Também lhe comprei duas chuchas. O mano adorava as da Chicco (quando ficou maior passou para as da Avent, a minha marca de eleição para acessórios de bebés) e, por isso, comprei duas lindinhas pequeninas da Chicco. E assim, devagarinho, vou fazendo o ninho do meu mais pequenino.

22 de janeiro de 2013

Gostos não se discutem

O meu filho adora beber o ultra-levur! Desde bebé que adora aquele pó (com um cheiro nojento e nauseabundo) misturado com água. Eu só com o cheiro fico com vómitos. E é vê-lo consolar-se com aquilo. Lambe-se todo. Eu e o meu marido tentamos disfarçar a impressão que aquilo nos faz e dizemos que sim, que é delicioso! Uma maravilha! ao mesmo tempo que forçamos um sorriso! É um facto: o meu filho adora tudo o que é remédios. Sopas gostosas da mãe nem vê-las, mas remédios que cheiram mal a léguas são iguarias!

Passatempo Cabaz Bebé Jumbo!

O blog do Jumbo está a sortear um cabaz de produtos da sua campanha de bebé aqui: http://jumbomoda.blogspot.pt/2013/01/sorteio-cabaz-de-bebe.html"

Dava-me imenso jeito receber estes produtos para preparar a chegada do Afonso! Pode ser que tenha sorte! Já me inscrevi!


Vai-te embora, chuva!

Cai uma nova carga de água batida a um vento ciclónico. E o pior é que acorda o meu filho. (já aqui contei do romantismo de viver em duplex com os quartos no sótão recuperado onde se ouve a chuva como se estivessemos na rua, apesar do conforto e do quentinho). Esta noite o meu filho acordou às 2 da manhã e já passava das 3 quando voltámos todos a adormecer. Eu tinha-o metido na nossa cama - sou mais fácil que o pai - e ainda estivemos em conversas filosóficas sobre educação àquelas horas. Ao fim de várias idas e vindas zanguei-me e mandei-o portar-se como um menino crescido. Funcionou. De manhã chamou-me e disse-me: mãe, está a chover muito. Hoje não vou à escola. Mas foi, claro! Hoje, ao contrário do que é costume, custou a ficar, mas sei que passado 10 segundos está feliz e contente! Mas quando é que esta chuva nos desampara a loja? Estou farta! Sou uma mulher de sol e de calor. Odeio este frio e este vento!

21 de janeiro de 2013

Uma verdadeira história de Amor

O meu avô está mesmo muito fraquinho e o seu corpo e o seu coração já não têm muitas forças para estar entre nós. Tem vindo a piorar bastante nos últimos dois meses e hoje estive com ele, já a preparar-me para a despedida que será inevitável. A minha querida avó, com 90 anos, um ano mais velha que o marido, uma mulher de uma fibra imensa esteve sempre sentada ao lado dele de mão dada. E a certa altura diz-me assim: dormimos quase toda a vida de mãos dadas! Que ternura. São 63 ou 64 anos de casados ( a minha memória de grávida não me está a ajudar nas datas) e de uma vida primeiro a dois, depois a 4 e por aí fora... Estava eu a contar a história das mãos dadas dos meus avós ao meu marido quando regressávamos a casa e o meu filho meteu-se na conversa e disse: quando for crescido também vou dormir de mãos dadas. É muito bom! 

Consulta dos 3 anos

Fomos à revisão anual do pediatra. Felizmente, não íamos lá quase há um ano. E não é que não goste imenso do médico, mas é sinal que pequeno filho tem estado bem de saúde. E segundo o médico, não podia estar melhor. Já passou do 11 quilos, eu e o médico até rimos e demos um high five. Tem 12,1quilos e 91cm. Percentil 10 de altura e de peso, mas está tudo muito equilibrado. A nível de linguagem e de comportamento está com um desenvolvimento acima da média. Portou-se lindamente (Já aqui disse que ele adora ir ao médico). Negociou com ele a chucha e já não a pode pedir no carro. Só para a cama ou quando está muito, muito triste. E tem de ir lá um dia destes ao consultório para deixar a chucha na caixa que o doutor lá tem para os meninos que já são crescidos e não precisam de chuchas ara nada. Hoje disse que não: é que eu gosto muito dela. Trouxe lápis de cera e desenhos para colorir e um balão como presente por se ter portado tão bem. No carro pediu logo a chucha. Mãe: não ouviste o que o doutor disse sobre a chucha? Filho: mas eu estou triste. Muito triste. Mãe: a sério? E porquê, filho? Filho: porque não tenho a minha chucha. Ri. Chamei-o de batoteiro e ele riu também ao perceber que tinha sido apanhado.

Duplo arco-íris

A fotografia não foi tirada por mim, que ia consolada com o meu filho a ver os lindos arco-íris que coloriam o céu, mas foi uma óptima maneira de começar o dia. E a certa altura ele diz: eu sou rico! Nunca o tinha ouvido falar de riqueza e não me lembro de lhe ter falado dos potes de ouro do arco-íris, mas que ele se saiu com aquela saiu.

20 de janeiro de 2013

Perguntas difíceis de filho de 3 anos

Filho: e esse teu anel?
Mãe: foi o pai que deu à mãe no dia em que casámos. É a minha aliança.
Filho: eu estava na tua barriga?
Mãe: ainda não.
Filho: estava onde?
Mãe sem saber bem o que responder.
Filho: quero ver uma fotografia minha antes de estar na tua barriga.

Os vossos filhos já vos fizeram esta pergunta? Onde é que é suposto eles estarem antes de estarem na nossa barriga. Contei ao meu marido e ele riu-se e disse que antes da minha barriga o nosso filho estava nos tin-tins do pai. Mas eu não acho que seja uma boa explicação. Estou tentada a dizer-lhe para perguntar à educadora. Pode ser que ela tenha uma boa resposta para esta pergunta. Ou posso dizer-lhe (ocorreu-me agora) que ele estava nos nossos sonhos... Acho que é capaz de ser uma boa! 

Zambézia parte 2

Gostei muito do filme. Gostámos todos, incluindo o meu filhote de 3 anos. O filme é para maiores de 6, mas ele viu muito bem, percebeu a história (claro que há expressões e piadas para adultos que ele não percebe) e gostou muito. Eu achei que estava muito bem dobrado em Português, com piadas giras e sotaques engraçados. Valeu bem o dinheiro. E ele adorou a surpresa. Foi a segunda vez que foi ao cinema e, mais uma vez, mostrou que está um menino crescido.

A hora do conto

Foi uma bela ideia para esta manhã de Domingo. O meu filho foi até à Clareira Encantada, em Miraflores, ouvir contar histórias. Eram 8 crianças e uma contadora de histórias que os conseguiu levar para o mundo da magia e da fantasia. Ficou lá sozinho e portou-se muito bem. O facto de já conhecer o espaço -foi onde fizemos a sua festa de 3 anos há poucos dias - e a senhora responsável ajudaram a fazê-lo sentir à vontade. Elas promovem várias actividades. É um espaço fantástico de apoio aos moradores de Miraflores. Espreitem aqui.

Zambézia

Alguém já levou as crianças ao cinema a ver o filme Zambézia? Parece-me uma boa opção para hoje, mas não sei como será.

19 de janeiro de 2013

Mais um cineminha

A minha mãe veio cá almoçar e aproveitámos e pedimos para ela ficar cá enquanto o nosso filhote dormia a sesta e nós fomos ao cinema. Tinha visto a apresentação do filme Seis Sessões, quando fui com uns amigos ao cinema na 4 feira e lá fomos nós. Não desiludiu. É um bom filme. Fomos à sessão das 14h10 e soube muito bem. Aqui fica uma sugestão para um programa de domingo.


Babycare

Escrevi este post em Outubro e nunca mais me lembrei de dar feedback. O meu filho tem usado o creme de corpo e de rosto e é bastante bom. É cheiroso, hidratante e tem um bom preço. É o mais semelhante à Uriage, que continua a ser a minha marca de eleição.

Depois do Adeus!

Não percam esta grande série que estreia hoje às 21h na RTP. Parabéns a toda a equipa e em especial à minha querida amiga I.

Tempestade

Depois desta noite de dilúvio o meu filho acorda.
Filho: mãe, hoje ficamos em casa?
Eu: sim, filho.
Filho: é uma grande ideia. Eu ouvi a chuva! Mas não tive medo!

E podia ter tido. Neste último andar a chuva e o vento chegam a assustar. É que os nossos quartos ficam no sótão e apesar do conforto, do quentinho e das obras de recuperação que fizemos não deixa de ser um último andar. 

18 de janeiro de 2013

Adoro estes cabelos vermelhos

E o meu filho e o meu marido adoram o filme "Brave". E nada melhor que a família reunida em casa num fim de tarde e noite que se antevê de temporal. 

Diálogo maravilhoso

Eu: olha os ténis que a mãe comprou. Anda experimentar.
Filho: eu experimento quando chegarmos ao Algarve.

E lá foi ele...
E eu fiquei com cara de parva e com vontade de rir. Tem cada uma. Quando chegarmos ao Algarve? Comprei grandes para darem já até ao verão, mas acho que o que ele quis dizer foi agora não me chateies, de forma educada.

Smoth Fm

Esta é a minha nova rádio de paixão. Parece feita à minha medida. E nos últimos dias tenho ouvido sem parar uma das músicas mais emblemáticas do cinema e que eu adoro, "As time goes by". Boa sexta feira. 


17 de janeiro de 2013

"É mesmo?"

Agora dizemos alguma coisa ao meu filho e ele pergunta logo "é mesmo?". Eu digo que sim, mas ele ainda reforça a sua pergunta "mesmo, mesmo?" sim, filho. E às vezes só ao terceiro ou quarto mesmo é que ele fica convencido.

O meu marido diz que as mulheres falam demais

Hoje armei uma pequena confusão sem intenção. Passo a explicar: ontem a minha mãe disse-me que o filho de uma amiga dela que anda na sala do meu filho estava com pneumonia. Hoje quando o fui buscar comentei com a auxiliar que o dito rapaz estava com pneumonia, isto a propósito do enorme número de miúdos doentes com problemas respiratórios na creche. Cheguei a casa e liga-me a educadora a dizer que o miúdo tinha sido mal diagnosticado e queria tranquilizar-me, pois afinal era apenas uma infecção respiratória que não inspirava cuidados. Agradeci o telefonema, satisfeita por o miúdo não estar tão doente como tinham previsto. Um bocado depois liga a minha mãe a perguntar se eu tinha dito que o dito miúdo estava com pneumonia. É que afinal não estava e a mãe ( que por sinal é mal encarada) estava furiosa com a educadora que lhe tinha ligado a saber se o miúdo tinha pneumonia quando lhe tinham comunicado apenas uma infecção. Eu disse que tinha comentado, mas sem más intenções, apenas preocupação de mãe. Resolvi ligar à dita mãe da criança a pedir desculpa pelo sucedido e ela está mesmo furiosa, vai falar com a educadora porque acha que esta desconfiou que ela lhe tinha mentido. Disse-lhe que não, que a educadora apenas estava preocupada, mas a senhora continuou irritada. Já mandei mail à educadora a pedir desculpa pelo sucedido e a desejar não lhe causar problemas. E assim, de repente, com um comentário inofensivo está o circo montado! O bom é que o puto não tem pneumonia! O resto são minhocas da cabeça daquela mãe, que sendo já mãe de 6 devia ser mais relaxada! Isto, pelo menos, é o meu ponto de vista. 

Belly Sketcher

Já pedi informações. Adoro estar grávida e adorava ficar com uma recordação assim desta gravidez. Acho que é um momento mágico e único. Adoro quando a minha barriga começa a crescer e a ficar barrigona. Adoro sentir-me grávida. Adoro começar a sentir o meu filho dentro de mim a mexer. Adoro os mimos de grávida. Nesta gravidez, tenho o privilégio de ter o meu filho mais velho a fazer-me festas na barriga, a falar com o irmão, a pedir para encostar a barriga dele à minha. Adoro. E por isso, vou contactar a Inês Pargana para saber mais informações sobre estes desenhos maravilhosos de grávidas que ela faz. Para mim, a gravidez é mesmo um estado de graça. As imagens foram retiradas do blog ou da página da Belly Sketcher no facebook. Espreitem.





Gripes, pneumonias e afins!

Não sei se acontece o mesmo na creche dos vossos filhos, mas uma onda de gripes e pneumonias já atacou 12 das 19 crianças da turminha do meu filho. E eu só peço para o meu Cuquinhas escapar a esta vaga de doenças.

Guia para um final feliz!

Gostei mesmo muito. Éramos para ir ver A Vida de Pi, mas mudámos de ideias e adorámos o filme. Não é uma comédia romântica, mas é uma bonita história e dá que pensar. Recomendo. Eu é que sofri um bocado com o calor -a sala das Amoreiras era pequena, estava completamente cheia e estava um forno- e eu já não tinha posição. Coisas de grávida! É por uma óptima razão. E todos os amigos comentaram a minha enorme barriga e eu fico feliz por ser uma gravidosa assumida e barriguda!

Dar graças por...

Chegar a casa por volta da meia noite e meia e ouvir o meu filho chamar-me. Diz-me que acordou, que tinha saudades minhas e que gosta muito de mim. Abracei-o e beijei-o. Perguntou-me se eu tinha comido pipocas ( na sua única ida ao cinema comprámos pipocas e um Bongo e ele nunca mais esqueceu essa aalegria). Disse-lhe ue não. Ajudei-o a fazer xixi e aconcheguei-o na cama. Pediu-me para ficar com ele um bocadinho. Dei-lhe a mão, estivemos assim um minuto, beijei-o novamente, desejei-lhe bons sonhos, saí e ele adormeceu feliz. Fiquei mesmo com a sensação que ele estava e ia dormir mais descansado sabendo que eu estava em casa. E eu durmo feliz por ter dentro de mim este amor de mãe.

16 de janeiro de 2013

Cinema a dobrar

Filme da tarde: Entrelaçados

http://www.disney.pt/entrelacados/

Filme da noite: A Vida de Pi

http://cinecartaz.publico.pt/Filme/312858_a-vida-de-pi

Uma delícia

Bagel de Salmão com queijo creme de ervas...



Foi o meu almoço e estava uma maravilha! A foto não é minha, é da net, porque quando me lembrei de fotografar já era tarde!

Neve

Estamos a planear umas mini férias na neve. Claro que eu barriguda, e sem grande apetência para desportos de inverno, me vou consolar a descansar no aprés sky, mas a grande loucura vai ser que vamos levar o nosso filhote. No ano passado foi só o meu marido com uns amigos e o nosso filho estava sempre a falar que o pai estava na neve a fazer "noboard" que é como quem diz snowboard. Agora é planear bem a viagem, escolher um apartamento perto das pistas para eu não andar muito para cima e para baixo e comprar botas e luvas quentinhas para o A., que vai delirar nestas mini férias. Ele o pai que é completamente apaixonado por neve e desportos de inverno!

Do virtual para a esplanada

Hoje a manhã foi diferente. O tempo estava chuvoso e nada melhor que duas chávenas de chá para acompanhar duas mães bloggers na sua primeira conversa não virtual. Gostei muito de conhecer a Filipa, mãe blogger e quase vizinha. Da próxima vez juntamos as crianças, que são quase da mesma idade e frequentam os mesmos parques infantis aqui da zona. Obrigada pelo chá e por esta manhã de conversa. O próximo chá é por minha conta!

O meu creme anti estrias

Da gravidez do A. acho que usei uma gama de creme gordo de que gostava, mas desta gravidez estava a incomodar-me bastante ficar gordurosa e andava a baldar-me ao creme e a hidratar-me apenas com óleo Johnson no banho. Decidi ter mais atenção a este aspecto. Fui à farmácia aqui ao pé de casa e pedi ajuda. Foram-me apresentadas as várias alternativas e optei pelo Elancyl Prévention Vergetures e estou super satisfeita. Não tenho estrias e o creme é bastante hidratante, tem um cheiro agradável e não é pegajoso. E a embalagem é enorme e acho que me vai durar muito tempo.

15 de janeiro de 2013

Pocoyo muito à frente!

Recebemos este vídeo da educadora do meu filho. É a música do momento na sala dele.

 
E o que eu me ri quando pus a música e ele começou a dançar!


Laranjinha

Hoje dei um salto ao Corte Inglês porque queria ver se comprava alguma coisa para o Afonso nos saldos. Comprei este body amoroso que é para ele vestir nos primeiros dia de vida. Estava a menos de metade do preço e achei-o uma ternura. E eu quero que ele tenha algumas roupinhas para estrear quando nascer.


Quando cheguei a casa resolvi ir abrir as caixas de roupa de recém-nascido para ver o que é que tinha e se me fazia falta alguma coisa. E falta... Mais espaço para arrumar! É que a roupa do meu filho ainda seguiu para um sobrinho que nasceu depois e quando regressou, regressou com as roupas do meu filho e do sobrinho. Conclusão: o meu Afonso vai ter muita roupinha para vestir. Para já, separei a roupa até aos 3-6 meses. Agora, é esperar mais algumas semanas para depois começar a lavar tudo. Agora que já tenho um filho de 3 anos, que apesar de ser de raça pequena e magra, olho para aquelas roupinhas minúsculas e relembro-me como eles são pequeninos quando nascem... Os tamanhos 0 e 00 da Laranjinha (só em recém-nascidos têm direito a estas roupas caras, que depois há roupas giras, boas e baratas. Continua a custar-me pagar fortunas por roupa que deixa de servir em pouco tempo. Até para mim gosto de comprar roupa que seja boa, mas a bons preços) são tão pequeninos... E o meu filho até nasceu bem composto com 50cm e 3050 quilos. Adorei estar ali a mexer nas roupinhas. Sabia perfeitamente quais tinham sido do meu filho e lembrava-me de muitas ocasiões em que ele as vestiu. E estou feliz por estar à espera de um segundo filho. Muito feliz. Que Deus nos abençoe.

14 de janeiro de 2013

Hoje faria anos o meu pai

Hoje faria 67 anos. Partiu cedo demais e sem aviso, mas teve uma vida cheia e completa. (hoje olho para este dia e para a sua morte muito emocionada pela morte da bebé da minha amiga). A última vez que comemorámos o seu aniversário, há 3 anos, tinha o meu filho 10 dias de vida. Estava radiante e doido de amor pelo neto. Só tenho mesmo pena que não tenha curtido mais o neto. Que não tenha tido tempo de o ver transformar neste rapazinho maravilhoso que é. O meu filho tinha 6 meses quando ele partiu. Foi pouco tempo. E é nestes dias que quero acreditar que quem morre nos continua a observar lá de cima. Gostava que o meu pai nos visse. Gostava muito. Um beijo, pai.


Em estado de choque!

Estou em choque desde que ontem à noite recebi uma mensagem de uma amiga a dizer que a filha dela de apenas 3 meses tinha morrido. Mal dormi e a imagem da bebé e as palavras da mãe não me saem da cabeça. A bebé tinha sido internada há umas semanas com uma miocardite, um vírus no coração, sabíamos que era muito grave, que ela lutava para viver, mas estava a evoluir. Acreditamos que a medicina de hoje em dia faz milagres e é tão horrível pensar na morte de uma bebé que nunca pensei que tal fosse possível. Ontem se não estivesse sentada quando vi a mensagem tinha caído desmaiada. Tive de chamar o  meu marido, pois senti-me mesmo muito mal e nem consegui acabar de ler a mensagem. A minha amiga pediu para a deixar passar estes dias para depois estarmos com ela. Nem consigo imaginar o horror, o desespero, a tristeza e o sofrimento desta mãe e deste pai. E a mana mais velha? Com 4 aninhos estava tão feliz com a sua irmãzinha... Tenho um aperto enorme no coração e hoje só me apetecia ter um guião complicado para escrever para ver se não pensava mais nesta tragédia...

13 de janeiro de 2013

Up Altamente


O dia estava chuvoso. Abria, fechava. O sol ia e vinha. Eu parecia tonta a estender a roupa e a pôr dentro de casa. Estende. Tira. Estende. Tira. Decidi tirar de vez e juntar-me ao mimo do meu filho. Hoje era oficialmente dia de ronha em casa e dia de filmes. É uma coisa recente - só há cerca de uns 2 meses é que o meu filho vê um filme inteiro do princípio ao fim. E não vê um. Consegue ver dois ou três. Eu aproveito e tiro belas sonecas ao lado dele. É que às 8 da manhã a minha resistência à televisão é quase nula e os filmes de animação embalam-me que é uma maravilha. Alem do Toy Story 3 há outros filmes que têm encantado o meu filho. Gosta do Tarzan e do Livro da Selva, que já conhecia dos livros de histórias, mas o que mais o marcou foi o Up- Altamente. É um filme lindo, maravilhoso a todos os níveis. Mas marcou-o mesmo a questão da velhice e hoje em dia é recorrente falar de quando ele ou nós ficarmos velhinhos. Não quer ficar velhinho, não quer que eu ou o pai fiquemos velhinhos... Eu lá lhe vou explicando as coisas da melhor forma para os seus recentes 3 anos, mas é uma questão que o inquieta.

Toy Story 3... ou o filme do Cowboy....



... como o meu filho lhe chama! É a nova paixão cinematográfica do meu filho. E hoje quando pusemos o filme ouvimos assim: estou muito entusiasmado!

12 de janeiro de 2013

Pequeno-almoço saudável

O meu filho, ao contrário da grande maioria das crianças que eu conheço, dispensa cereais de chocolate, estrelitas e afins... Até pensava que ele não gostava de cereais até um dia ter provado os meus Kellog's Special K. Adorou e gostou ainda mais da versão iogurte natural (que também é o seu iogurte preferido). Ontem recebemos do Jumbo umas amostras de All Bran Crunch e ficámos os dois rendidos. São super crocantes e estaladiços. E a mistura dos dois é óptima!

Constatações de mãe

Manhã de sábado sem filhos:
- dormir, dormir, preguiçar... se o tempo estava bom ir à esplanada ler o jornal e beber um café. Muito silêncio. Almoço ou brunch algures.

Manhã de sábado com filhos:
- 8h da manhã

Filho: Mãe, hoje à escola? 
Mãe: Não, filho. 
Filho: Yeah! 
Mãe: Podemos dormir mais. 
Filho: Não quero dormir. Quero brincar e ver bonecos!

- 10h da manhã: quartos arejados e arrumados, uma sopa feita, uma máquina de roupa estendida, almoço a fazer.
- 12h: almoço
- 13:00: cozinha arrumada,  filho na sesta e silêncio.

11 de janeiro de 2013

Afinal, andamos sempre a correr para quê?

Muito interessante (e dá que pensar) este post da Cocó na Fralda sobre a iniciativa fantástica do Washington Post. Fez-me lembrar há um mês, no metro de Madrid, o meu filho que parava e se deslumbrava com todos os músicos do metro... E de facto, nós éramos os apressados que o puxávamos para não perder o metro.


Alegrias da maternidade

O reencontro ao final do dia. Hoje aconteceu na entrada das piscinas do Benfica. O meu filho corre para mim, abraça- me, agarra-me as mãos, beija-me as mãos e diz: Tive tantas saudades tuas!!

As crianças ouvem tudo...

... registam tudo e repetem tudo!

Pai e filho na brincadeira do costume à mesa. Pai deixa cair um pouco de arroz.

Filho: estava-se mesmo a ver!

E uma mãe ri-se!


-----

Eu e o meu marido estávamos a conversar à mesa. O piolho estava a chamar-me a atenção para um sumo novo (oferta do Jumbo online) que está em cima da bancada e que ele identificou como IceTea. Ele chamava, chamava e falava, mas eu e o pai continuávamos a falar... Até que...

Filho: acorda, mãe! Estou a falar!

(se fosse mais velho talvez achasse má educação, mas vindo de um piolho de 3 anos achei uma delícia. É que eles apanham mesmo as nossas expressões todas!)

Constatações de mãe

O pai tem muito jeito para estar na aula de natação com o nosso filho do que eu. É mais descontraído, mais divertido, não se assusta com as loucuras do filho e disfrurtam muito mais. É normal que ele prefira quando é o pai que vai com ele para dentro de água. Eu sofro um bocadinho com o calor da piscina, fico a assistir nas bancadas, mas não me importo. E agora arranjámos uma técnica para ver se nos despachamos mais depressa com o antes e o depois. Eu é que o preparo para a aula e lhe dou duche e o visto a seguir. Parecendo que não ganhamos tempo, que aquelas duas almas demoram séculos para se arranjarem.

Carro bloqueado!

Uma grávida aflita para fazer xixi estaciona o carro e corre para o café mais próximo. Daí corre para as finanças para tentar resolver a embrulhada que o meu contabilista - que entretanto emigrou para o Brasil - deixou. Uma senhora fantástica atende-me durante duas horas! Até uma cadeira me foi buscar para eu me sentar. Tentamos desencravar o meu IRS. Saio de lá a correr e cheia de vontade de fazer xixi (vida de grávida) e decido ir directa para o carro para já ir a casa à casa de banho. Chego ao carro e... carro bloqueado! Nervos! Ligar a pedir para virem. Sentar-me por ali cada vez mais aflita. Pessoas a passarem e a olharem para o meu carro como se fosse uma nave espacial. Os senhores chegam. Muito simpáticos (e que raio de trabalho os desgraçados têm que ninguém lhes mostra um sorriso). Pedem desculpa pela demora e pela chatice de me terem bloqueado o carro. Tratamos dos pagamentos. Um deles faz anos no mesmo dia que eu. Desejam-me felicidades para mim e para a cria que me aperta a bexiga. 94€ mais pobre chego a casa. Já fui à casa de banho e já me vinguei num almoço de belos canelonis que tinha feito ontem para o jantar. Estou mais animada. Bom fim de semana!

10 de janeiro de 2013

Adopção

Li este post da Margarida, do blog Deixa Entrar o Sol e emocionei-me com a carta de um menino que pede para ser adoptado. Mais informações Aqui. Eu acompanho muito de perto a vida do meu sobrinho M. que foi adoptado há 6 meses a poucos dias de completar um ano de vida. Emocionei-me muito quando soube que ele vinha para a nossa família, emocionei-me quando numa semana nos organizámos para preparar a chegada dele em poucos dias, emocionei-me quando o conheci e o senti abençoado por ter vindo parar a uma família muito grande, muito unida e divertida, com 8 primos direitos da mesma idade e outros a chegarem. Emocionei-me por ele ir ter a oportunidade de ter uns pais, de poder receber o beijo de boas noites, de poder ter uma família que o acolheu e ama desde o primeiro dia. O M. chegou e foi como se tivesse estado sempre ali. Adaptou-se logo aos pais, ao quarto novo só para ele, às tias barulhentas, às brincadeiras dos tios, aos primos piratas e a tudo o que era novo. E os primos também se adaptaram muito bem a ele. Explicámos a situação consoante a idade, mas eles não precisavam de grandes explicações. Havia mais um elemento para o gangue da brincadeira e só isso importava! 

Sugestões de leitura infantil

No natal recebeu o livro "O Tobias é Meu!". Comprei para ser o presente das gatas para o meu filho. Quando lhe disse que o presente era das gatas ele olhou-me muito intrigado e disse: elas não falam! Lá lhe expliquei que sabem comunicar com o Pai Natal. Ele não ficou lá muito convencido, mas adora o livro.


E nos anos a educadora e as auxiliares da sala ofereceram-lhe "A Melhor Camisola do Mundo".



Adorou os dois livros. São os dois muito giros. Bem escritos e com uma mensagem importante sobre a partilha entre as amigos e entre irmãos. Desde que os recebeu que os temos alternado nas leituras da noite, aquele momento mesmo especial só nosso... E eu gostava muito que o meu filho nunca perdesse o gosto pelos livros e pela leitura.

Nunca é demais pedir...

Sejam dadores de medula óssea. Desta vez é o Rodrigo, um menino de 3 anos, que precisa de nós. Mas como ele há muitas mais crianças, jovens e adultos que precisam de um pouco de nós para continuar a viver. Vamos todos tentar ajudar o Rodrigo!

Ginástica pré parto

Hoje comecei as minhas aulas de Pilates e de Localizada pré-parto. Foi tão bom regressar ao Centro Pré Pós Parto de Entrecampos. Há 3 anos fiz lá a ginástica de pré parto, o curso de preparação para o parto, imensos workshops e a ginástica pós-parto. É uma vergonha, mas eu não fazia ginástica desde o pós parto! E hoje soube-me muito bem regressar ao exercício. Estou para lá de enferrujada, mas acho que ainda não sou um caso perdido. E agora é bombar duas vezes por semana. Claro que vou começar com alguma calma, mas estou mesmo satisfeita de pôr o corpinho a mexer!

9 de janeiro de 2013

Isofix

Sou fã do Isofix. Não só pela segurança máxima que assegura- o ovo vai completamente fixo à estrutura do carro - como pela comodidade que é. Basta encaixar bem o ovo no Isofix e ele está seguro. Não precisamos de estar a colocar os cintos de segurança. (quem não tem garagem e tem de colocar um bebé depressa dentro do carro, à chuva ou a impedir a estrada sabe como a rapidez é importante) Mais infos aqui, aqui e aqui. O Isofix permite a utilização de ovinhos de várias marcas. Quase todas já trabalham com o sistema Isofix. O nosso Isofix e o ovinho são Maxi-Cosi, porque foi o que uma cunhada me emprestou. Como tínhamos o carrinho Streety da BébéConfort comprei um adaptador para o ovinho da Maxi-Cosi servir nas rodas da Bébé Confort. E o ovinho da BébéConfort estava no carro dos meus pais para quando precisavam de transportar o neto. Como eram utilizações menos regulares não fizemos o investimento em Isofix para o carro dos avós.

Vidas de segundo filho rapaz

Acho que quando se tem o segundo filho já não temos de comprar tanta coisa como no primeiro filho. Então se forem do mesmo sexo, como acontece aqui em casa, ainda menos. Há uns tempos publiquei aqui uma lista das coisas básicas que precisamos para o enxoval do bebé. Já pedi de volta o que tinha emprestado, já pedi emprestado o que me tinham emprestado da outra vez e só me falta começar a tratar das roupinhas. Mas isso vou deixar lá para fins de Fevereiro, início de Março que o Afonso só é esperado em finais de Abril. Como o irmão nasceu no inverno terei de comprar algumas coisas, mas estou convencida que muita da roupa vai servir para o Afonso. O drama maior vai ser adivinhar os tamanhos a olho. É que eu cortei quase todas as etiquetas porque faziam alergia ao meu filho e vou-me ver grega para perceber os tamanhos. Só as roupinhas compradas no Carrefour em Espanha é que têm os tamanhos estampados. Podiam pensar nisso por cá, não acham? E enquanto não chega a altura de ir reviver as roupas do mais velho vou comprando algumas (poucas) peças fofinhas de recém-nascido...

Sugestão de ementas semanais

Ia fazer uma encomenda no Jumbo Online e decidi preparar ementas semanais para as próximas semanas, de modo a mandar entregar a maioria dos ingredientes que preciso. Aqui ficam as sugestões, muitas delas retiradas do blogue As Minhas Receitas, que eu adoro e recomendo.

De 10 a 20 de Janeiro
  • Sopa de grão com espinafres - receita bimby
  • Sopa de cenoura, beringela, abóbora, courgete e funcho
- Cannelonis
- Arroz de polvo
- Bacalhau à Brás
- Frango Assado
- Frango desfiado regofado com cebola no forno com esparguete e molho de natas
- Almôndegas no forno com mozarela e tomate. Receita aqui.
- Bacalhau no forno com puré de batata e batata doce, espinafres, ovo cozido e molho béchamel
- Penne com Salmão e queijo crem. Receita aqui.
- Batatas no forno recheadas com bolonhesa
- Peitos de frango recheados com queijo e enrolados em fiambre assados no forno
- (Jantar de Domingo) Folhado de fiambre e emmental. Receita aqui.

Semana de 21 a 27 de Janeiro

Sopa de espargos verdes e couve flôr. Receita aqui
- Arroz de peixe com legumes
- Cubos de frango com tomate e cogumelos. Receita aqui. Apesar da receita ser com cubos eu faço com tirinhas de strogonoff que peço para partirem finas no talho
- Suflé de pescada
- Frango com cerveja e sopa de rabo de boi. Receita aqui.
- Francesinhas. Receita aqui.
- (Jantar de Domingo) Tostas mistas feitas em tortilha de milho. Vi a Nigella fazer uma vez, se bem que a dele até bifes e batatas levava. Nós fazemos com queijo e fiambre e se sobrou bife de perú também pomos. Basta dobrar uma tortilha e colocar na tostadeira até o queijo derreter. Fica uma delícia.

8 de janeiro de 2013

Revenge

Não sei o que se passa com a minha Box da Meo, mas deixou de gravar a série Revenge. Já não gravou o 17, gravou outra série qualquer, e não tem mais episódios agendados. Felizmente tenho um marido informático que sabe navegar na Internet e fazer coisas aparecer na minha televisao e vou ver agora o episódio que a minha Box devia ter gravado há 2 semanas.

Argumentos aos 3 anos

Ao jantar. Só os dois.

Filho: quero Bongo, faz favor.
Mãe: os sumos que sobraram da festa foram estes e já estão abertos. Vais beber o de pêssego.
Sirvo-lhe um pouco. Ele bebe.
Filho: agora quero o outro.
Mãe: mas porquê? Não gostas desse?
Filho: para provar os outros sabores.
Fiquei tão admirada com a frase. Servi-o com o sumo de frutos tropicais. Ele bebe.
Filho: é bom! Sabe a Bongo!
E eu provei e é igual, excepto o preço. É marca Auchan e custa um terço do preço. E achei muita graça ele falar dos sabores e detectar as semelhanças nos dois sumos.

Constatações de grávida

O Afonso não gosta que eu esteja de perna cruzada. Começa logo a dar pontapés!

Pão de soja...

... Uma agradável surpresa. Comprei ontem e hoje ia um pouco a medo comer, mas é muito bom!

7 de janeiro de 2013

Uma ajudinha, por favor!

 
Quem deve evitar os açúcares pode comer gelatina? É que eu ando numa fase em que me apetece comer gelatina sem parar, mas tenho de ter cuidado para não afogar o meu Afonso em açúcar!

Filho motard

Fui buscar o meu filho à creche e levei a Moto4 que ele recebeu nos anos para irmos ao parque. Delirou! E fez o maior sucesso com uma Isabelinha de ano e meio que ficou rendida ao charme do meu motard! 

Desafio 2013

Já aqui tinha dito que vou participar no Desafio 2013 da Mum's the Boss sobre a gratidão. Já fiz o frasquinho e já lá tem dentro 4 papelinhos! Acho mesmo importante sabermos parar e dar graças pelas coisas boas que nos acontecem. Acho que vou precisar de um frasco bem maior, mas para já este serve. E o importante mesmo é agradecer e apreciar as pequenas e grandes coisas pelas quais estamos gratos. 
Alguém desse lado vai aderir a este desafio?

6 de janeiro de 2013

Grande verdade!


Tenho um irmão!

Hoje fomos ao parque para o A. experimentar a sua nova trotinete. Estava uma manhã gelada e apenas mais um menino brincava por lá. A certa altura, ouvimos este diálogo:
Menino: Tens irmãos?
A. (muito orgulhoso): Tenho um e chama-se Afonso!

E eu emocionei-me. O irmão para ele já é completamente real. Apesar de ainda estar na minha barriga ele sabe e assume que já tem um irmão! Maravilhoso...

5 de janeiro de 2013

Mega Festa!

Estou quase em coma sem me mexer - há dois dias a fazer bolos, sandes, comidinhas e afins não é recomendável a grávidas barrigudas - mas estamos Felizes! A festa foi um sucesso. Entre miúdos e graúdos éramos 50 e correu tudo melhor que bem. O meu filho delirou, todos os miúdos amaram e brincaram sem parar, o tempo estava perfeito, o sítio é fantástico e eu recomendo vivamente a Clareira Encantada no Parque da Quinta de Santo António em Miraflores. A educadora passou para dar um beijinho o que deixou o A. radiante, pude conhecer melhor alguns dos pais dos super amiguinhos da creche e pus a conversa em dia com amigas. Foi perfeito! Depois deixo aqui umas fotografias do grande momento. Já escondi mais de metade dos presentes para lhe irmos dando ao longo do ano e agora vou ali deitar-me na cama que estou que nem me sinto. E amanhã de manhã vamos para o parque estrear a trotinete e a moto4 eléctrica que recebeu! 

4 de janeiro de 2013

3 de janeiro de 2013

Em contagem decrescente para os 3 anos...

E agora vou-me deitar (depois de beijocar o meu filho e lhe sussurrar bons sonhos ao ouvido) a ler o capítulo que o T. Berry Brazelton dedica aos 3 anos.

Como passa rápido... Faz amanhã 3 anos que me apresentei às 10h da manhã na Cuf para induzir o parto. Tivemos de esperar 10 horas até conhecer o nosso maior AMOR.

Então, e para o mano?

Hoje mostrava umas roupas que tinha comprado ao meu filho. 
Eu: Gostas?
Filho: Gosto. E para o mano, também há?

E eu achei isto uma ternura e mostrei-lhe as roupinhas que tinha comprado para o Afonso e ele abraçou a minha barriga.

Ecografia das 22 semanas e 4 dias

Correu bem. Vimos o nosso Afonso e está tudo a correr bem. Além da ecografia morfológica fizemos um ecocardiograma fetal e o coração do piolhito está óptimo. Só a mãe é que acusou um pouco de excesso de açúcar. Agora é cortar com os doces. Claro que amanhã terei de comer um pedacinho do bolo de anos do meu filhote mais velho, mas já meti na cabeça que vou fechar a boca e ter mais juízo. Mas esta gravidez tem-me dado um apetite... Não tem nada a ver com a gravidez do mais velho. Não andava gulosa, portei-me lindamente e a balança só acusou 8 quilos a mais... Desta, 6 quilos já lá vão... O facto de ter ficado de baixa em repouso 3 meses também não ajudou. Juízo daqui para a frente para ver se na análise do açúcar não temos más notícias.

1 de janeiro de 2013

Fogo de Artificio

Filho, mal acordou: mãe, quero mais fogo de "ertifício". Gostei muito e tenho saudades!

Fomos para casa de uns cunhados e o meu filho e os primos pintaram a manta. À meia noite vimos os fogos de artifício de toda a Lisboa e margem Sul devido à maravilhosa vista, quase panorâmica, que a casa deles tem. Eu comi as 12 passas e o meu filho e o meu marido comeram smarties! E como era dia de festa dei o gostinho ao paladar e consolei-me com um copo de um delicioso vinho tinto da Quinta do Couquinhos da região do Douro!