4 de fevereiro de 2015

Dia mundial da luta contra o cancro!

Não podemos ficar indiferentes nem fingir que não existe. Já convivi muito de perto com a doença e foi também o maldito cancro que levou para longe pessoas muito queridas. Mas também já vi o cancro ser derrotado e não levar a melhor. Felizmente há cada vez mais esperança. Eu tenho muito medo de ter cancro. A minha avó paterna morreu de cancro, a minha avó materna teve cancro da mama (há 45 anos e ainda está cá hoje cheia de força e de saúde), o meu pai teve cancro (não morreu do cancro e depois da cirurgia que fez para o remover ficou bem)... Já me perguntaram se eu não gostaria de fazer os exames genéticos para avaliar a predisposição para ter cancro, mas eu não quero... Não é uma resposta simples, mas acho que é aquela com que me sinto mais confortável. Eu conheço-me e ia viver atormentada se o resultado dissesse que a probabilidade de ter determinado cancro era enorme. É que há órgãos que se podem retirar, mas há outros que não...  Faço todos os exames, sou vigiada de perto por causa da endometriose (as massas de endometriose não degeneram em cancro, mas há um determinado cancro dos ovários e útero que é mais frequente em mulheres que têm endometriose) e deixei de fumar. Acho que foi o melhor que fiz pela minha saúde. Ao contrário do que se pensa, o tabaco não aumenta só a probabilidade do cancro dos pulmões, mas de todos os cancros.Deixo-vos aqui com o link para o Site da Liga Portuguesa Contra o Cancro.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!