Avançar para o conteúdo principal

O nosso jogo das estrelas


Ao ler um post de uma mãe de 4, no blogue seismaisdois, revi-me completamente nas palavras da mãe quando ela dizia que o que mais lhe custava e mais a massacrava eram as bulhas e discussões dos filhos. E eu senti isso. Até há pouco tempo os meus filhos não se batiam, mas agora que cada vez brincam mais as bulhas e discussões estão mais frequentes. Geralmente começam a brincar, o entusiasmo e a excitação vai subindo, e depois, sem querer um magoa o outro e o outro reage, batendo. E está montado o circo. Por isso, quando vi este jogo no blog seismaisdois nem hesitei em adaptá-lo à nossa família. 


O Alexandre é o grande destinatário deste jogo, porque se ele estiver calmo e não disparatar o irmão também não o faz. Com este jogo queremos que o Alexandre se aperceba do comportamento dele e que faça o que esperamos dele.  

Recebe duas estrelas: Não fez birras, não bateu no irmão nem bulhou com ele e obedeceu.
Recebe uma estrela: começou uma birra mas controlou a tempo, vestiu-se sozinho
Não recebe estrela: Fez uma birra e bulhou  com o irmão e levantou-se da mesa duas vezes.
Perde uma estrela: Fez uma grande birra, grande bulha com o irmão, desobedeceu e levantou-se da mesa mais de 3 vezes.

No final da semana  se o Alexandre tiver 7 ou mais estrelas tira um cartão à sorte:



Existem 8 cartões com prémios especiais.
1-  Vale não comer a  sopa; 2- Vale escolher o jantar; 3- Vale deitar 30 minutos mais tarde; 4- Vale convidar um amigo para vir dormir cá a casa; 5- Vale jogar uma hora de Playstation; 6- Vale um programa sozinho com a mãe; 7- Vale um programa sozinho com o pai; 8 -Vale escolher o programa do dia em família.


O Afonso está no jogo só por brincadeira e para não se sentir excluído na hora de distribuir as estrelas. No final da semana, se tiver as 7 estrelas tem direito a escolher o livro da história da noite. Eu e o pai também entramos e recebemos uma estrela se não gritarmos. No final da semana, se tivermos as tais 7 estrelas, ou seja, se não tivermos gritado nenhum dia também temos direito a um cartão especial - um jantar a dois, uma ida ao cinema, não arruma a cozinha... Vamos ver como é que corre, mas acho que tem tudo para correr bem e, acima de tudo, para nos apercebermos dos nossos comportamentos.








Comentários

  1. Acho que vou copiar cá para casa. As desvenças / gritos entre eles tiram-me do sério.
    Bjs

    P: Uma decoração nova do blog muito bonita :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!

Mensagens populares deste blogue

Aos senhores do bebegel

Deviam vender embalagens com Bebegel... Ou sem bebegel... Só mesmo as embalagens vazias. Escusava de ter de deitar o produto fora. Falo por mim, mas acredito que muitas mães e pais deste país iriam comprar!!

Oftalmologista Pediátrico

A vermelhão no olho do meu filho estava pior e parecia estar a começar a afectar a pupila. Eu sou uma mãe descontraída, mas uma vez o pediatra ralhou-me quando o arranhei na vista e não o levei a ser visto por um especialista. Desta feita, depois de uns dias a soro sem resultar lá fomos a um oftalmologista pediátrico e foi um encanto (principalmente porque estava tudo bem). Um médico fantástico, que começou logo a brincar e a ganhar a confiança do meu filho e começaram logo aos fives. (E não pensem que o médico é novo, pois tinha idade para ser avô do meu pequenote). Examinou-o lindamente, incluindo com líquido de contraste e o  meu filho foi um campeão... Palavras do médico que diz que aquelas gotas doem para caraças! Parece que é só uma inflamação, vamos aplicar umas gotas e voltar lá dentro de 10 dias para nova observação. Como se portou tão bem dissemos-lhe que ele tinha direito a gelado e ele convidou logo o seu novo amigo para vir connosco… É um sociável bem disposto, este m

Vou desativar este blog esta semana...

Podem ler-me aqui: https://palavrasdamafalda.blogspot.com/ e continuar a acompanhar as minhas palavras, num registo menos baby e mais meu, de mulher, de mãe que equilibra a casa, o trabalho como freelancer e os três filhos, tentando encontrar espaço para si, para namorar, sem se deixar engolir pelos dias...  Até já!