16 de novembro de 2015

Parto induzido

À medida que as semanas de gravidez avançam é natural que comece a pensar mais no parto. Quando foi do mais velho a médica induziu o parto às 40 semanas, porque ele não estava nem aí para nascer. Ao início fiquei um bocadinho triste porque tinha feito o curso de preparação para o parto, e estava com vontade de ter um parto mais natural, mais humanizado... Mas correu lindamente! A minha médica era maravilhosa e a experiência não podia ter corrido melhor. Quando foi o segundo filho, a médica também optou por induzir o parto porque ele tinha os bacinetes dos rins um pouco aumentados e a opinião da obstectra e do médico das ecografias era que o parto fosse induzido por volta das 38 semanas. E foi. E eu não me importei nada. Tinha corrido lindamente com a primeira indução e eu estava cheia de vontade que ele nascesse, queria apressar a coisa. Além disso, era muito cómodo induzir o parto por uma questão de logística por causa do mais velho. Não haveria águas a rebentar a meio da noite nem esses stresses. Correu muito bem. Tudo muito planeado e organizado. De manhã, o meu marido foi colocar as  malas (minha e do bebé) no carro sem o filhote grande ver, fomos os dois levá-lo à escola, seguimos para a maternidade, o nosso filho nasceu, o meu marido foi buscar o mano mais velho para ir conhecer o irmão. Tudo perfeito. E agora? Ao terceiro? Como é que vai ser? Será que o parto vai novamente ser induzido? Eu confesso que não me importava que fosse para poder organizar tudo sem os imprevistos de ter de ir para a maternidade a meio da noite, mas até ao momento não há indicação clínica para induzir. Vamos ver como evoluem as coisas. Gostava muito que fosse parto normal, como foram os dos irmãos, mas se será induzido ou não, veremos... É importante é ter um plano para o caso de ser parto normal sem indução. E se a miúda decide nascer a meio da noite? Vou falar com a porteira do meu prédio, que é um amor, e que pode ficar de piquete quando se aproximar a data para subir e ficar com os miúdos enquanto a minha mãe ou uma das minhas cunhadas não chega... Não sei como será nem vale a pena fazer grandes planos. É ter as coisas organzidas e pedir a Deus que corra tudo bem! E que seja uma hora pequenina como diziam antigamente, e com uma boa epidural de preferência!!

2 comentários:

  1. Tive três partos induzidos e voltaria a fazer o mesmo.
    Sabia de antemão que iria estar com o meu obstetra, a confiança que isso me transmitia equivalia a uma paz e a uma sensação de tudo vai correr bem, impgáveis. Deixei tudo arranjadinho e pronto para que o pai e os mais velhos ficassem bem nos dias em que tive na maternidade (deixei sempre para 5 dias não fosse à última da hora ser cesariana).
    Se gostaria que fosse "normal" e não com indução? Não sei, aproveitei bem as vantagens de saber quando e a que horas tinha tudo marcado e por isso acho que olhando para trás foi mesmo a melhor escolha para a nossa família.
    Bjs e uma hora pequenina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É exactamente o que eu sinto. É uma sensação de controlar a situação muito tranquilizadora, não só para mim e para o parto, mas pensando também nos filhotes mais velhos e no pai. Beijinhos e obrigada

      Eliminar

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!