13 de outubro de 2015

Uma imagem vale mais que mil palavras

Sofri três abortos espontâneos, dois deles logo nos primeiros dias em que soube que estava grávida, mesmo antes de ter uma eco a confirmar a gravidez, e um outro no qual o médico não encontrou batimento. Foram todos muito ao início, todos no primeiro trimestre. A dor, está lá, claro. Custa sempre. Custa muito. E quando começamos a ser repetentes, ainda dói mais. 

Mas se eu faria esta fotografia

Acho-a linda e muito emocionante, mas no meu coração, dentro de mim, não materializei os meus abortos em filhos que não nasceram, mas mais em estrelinhas no céu... 

Mas acho a imagem muito forte, muito bonita, até porque é interessante ver que cada vez mais deixa de ser tabu falar sobre os abortos, as perdas, a dor que sentimos quando uma gravidez é interrompida abruptamente... Estas perdas são parte de nós, ficam gravadas dentro de nós e a mim sempre me ajudou falar abertamente sobre isso, sem vergonha...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!