20 de outubro de 2015

A importância de uma boa educadora de infância

Eu adoro a educadora do meu filho mais velho, desde sempre, desde o primeiro dia, há já 5 anos, que gostei imenso dela, da calma dela, da maneira como lida com os miúdos, do cuidado com que fazem os trabalhos, da maneira como fala com eles, como não levanta a voz e impõe respeito, da maneira como os miúdos a adoram. Para mim, ela personifica tudo o que uma educadora deve ter e ser. Em Julho esta querida educadora teve de ir de baixa por causa da sua gravidez, em Outubro nasceu uma bela princesa e, entretanto, a escola contratou uma educadora, de fora da instituição, para vir substituir a educadora na licença de maternidade. A coisa foi tranquila, os miúdos gostaram logo dela e parecia que ia correr tudo bem... É um ano difícil, de transição para o primeiro ano, de organização da viagem de finalista, do fim da sesta... e eu estou com a sensação que a educadora não está a conseguir lidar com o grupo e com as "malandrices" da idade. Eles são crianças e o papel da educadora é levar o grupo a bem, e não afixar um quadro com bolas de comportamento... Ontem toda a sala teve bola vermelha! Eu, na reunião de início do ano, com as duas educadoras presentes, levantei as minhas questões em relação às bolas de comportamento, até porque acho que se deve educar pela positiva e não pela negativa... nunca lá na sala houve este tipo de coisas, mas o quadro manteve-se... com a garantia da educadora substituta que o ia utilizar pela positiva.Todos com bola vermelha? Algo está errado, não? Questionei-a sobre o que se tinha passado e ela disse que tinha "havido uma apresentação de fora e que eles estavam muito excitados"... E daí? Não consegui que me dissesse mais nada. E há ainda outra questão, que me deixou incomodada, e que foi saber que na mesma semana eles tinham visto 4 filmes, dois de cada vez... Não achei nada bem. Acho que podem ter uma ou outra sessão de cinema pontual, mas meter os miúdos a ver filmes... fiquei com a sensação "agora ficam aí quietos e calados..." Questionei-a e percebi que ela não tinha gostado. Mas eu tinha de dizer. Ela disse que foi pontual por causa do entusiasmo dos miúdos que depois de terem visto o primeiro filme começaram a trazer filmes para ver. E ela não soube gerir os filmes e toca de põr todos de seguida. Não é para isto que estão na escola. Sempre achei a escola deles uma mais valia, um espaço privilegiado de aprendizagem e estou muito decepcionada. Decepcionada e angustiada. E o meu filho chegou triste a dizer-me: tu e a mãe do XYZ foram dizer dos filmes e agora disseram que por causa disso não há mais filmes para ninguém!!! Dormi mal esta noite por causa disto. Sempre senti a educadora do meu filho (e do mais pequeno também, mas agora estou a falar sobre este problema específico) como um prolongamento da família, sempre agimos em cooperação, sempre participámos em actividades da sala e numa harmonia perfeita e não sei lidar com isto e isso angustia-me, a mim e a outras mães... Há todo um ano lectivo pela frente, a educadora só deve regressar em 5 meses e a única coisa que eu quero é que o meu filho continue feliz na escola, como sempre foi.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!