8 de dezembro de 2014

Lar, doce lar!

Regressei a casa no sábado acompanhada pelo Maridão e pelos filhotes. E foi maravilhoso regressar a casa. Sinto-me bem, a recuperação está a correr como o previsto e tenho o mimo da família para ajudar. Como não posso fazer esforços a minha mãe veio cá para casa dar uma ajuda com as comidas e com os miúdos, para poupar um bocadinho o Maridão que se tem desdobrado para conseguir fazer tudo. O pequenino, que não percebeu nada da minha ausência, não me pode perder de vista, sempre com medo que eu volte a desaparecer. Quer andar de mão dada, a meio da noite chama, vou lá dar uma festinha e ele depois de se certificar que eu estou aqui, volta a adormecer. Os dias de sol têm dado para atravessar a rua e dar uma volta, andar um bocadinho faz parte da minha recuperação para os órgãos retomarem todos as suas funções. Continuo com a barriga super inchada, tipo 5 meses de gravidez, e como ainda não consegui ir buscar as minhas calças de grávida à arrecadação só tenho uma saia larga que me serve. 
Filho mais velho: oh, mãe, vais andar sempre assim vestida com essa saia?
Eu: é a única que não aperta os pontos da mãe na barriga. Não gostas?
Filho mais velho: não te preocupes, mãe. Continuo a gostar de ti mesmo quando tu és pirosa.
Nem imaginam o que eu me ri!!!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!