17 de dezembro de 2014

Endometriose#9

Ainda há tanto desconhecimento em relação à endometriose. Felizmente e graças a alguns profissionais de saúde fantásticos e a pessoas como a Susana Fonseca, que criou a MulherEndo, já se começa a falar da doença e a diagnosticar com mais celeridade. É inconcebível que médicos continuem a dizer, a uma mulher que diz que não consegue sair da cama quando está com o período, que é normal, que faz parte. Não é normal. As dores menstruais existem, mas as dores de quem sofre de endometriose são de chorar, são de tal ordem que, no meu caso, me impediam de sair da cama, que me faziam vomitar, contorcer com dores e chorar de agonia. Isto não é normal.

Felizmente, tive a sorte de me ter sido diagnosticada endometriose pouco tempo depois de ter tido os primeiros sintomas - há cerca de 15 anos- e de eu própria ter percebido o que se passava quando em Abril passado deixei de tomar a pílula e recomeçaram as dores que me fizeram viajar no tempo. Os exames de diagnóstico confirmaram as minhas suspeitas e a ajuda da Susana levou-me à Doutora Fátima Faustino, de quem gostei e em quem confiei assim que a conheci. Sabia que estava em óptimas mãos. Apesar de ter endometriose profunda, com origem no ovário que já tinha sido o foco da endometriose há 15 anos, e desta já ter envolvido o intestino acreditei sempre que ia correr tudo bem. Ainda estou em recuperação, mas a cirurgia não podia ter corrido melhor, cirurgia essa feita pela Dra Fátima e pelo doutor César Resende para a parte da recessão intestinal e anastemose.

Nunca tive vergonha de ter endometriose e nunca deixei que esta doença me condicionasse a vida. A endometriose não tem cura e apesar de sermos operadas e retirarmos as "massas, quistos, fibroses" ela volta sempre. Pode demorar mais ou menos, mas volta. A endometriose é umas das principais causas de inferioridade. Felizmente tive dois filhos maravilhosos ( num total de 5 gravidezes e 3 abortos), mas nunca desisti do sonho de ser mãe e ainda tenho esperança que agora depois desta cirurgia ainda possa ter mais um filho. Saberei isso no dia 13, quando tiver consulta.

A pílula é a maior aliada das mulheres que sofrem de endometriose. Estou a fazer pílula em continuo desde Junho, altura em que tive confirmação da endometriose. 

O diagnóstico de endometriose pode ser assustador, mas há quem encarar com pragmatismo. Não há nada a fazer e há doenças e diagnósticos bem piores. O segredo é arranjar um bom médico, um ginecologista especialista nesta doença e ter força e acreditar no futuro e não desistir dos nossos sonhos, nomeadamente em relação à maternidade, pelo menos até um médico especialista nos dizer que não é possível.

Este post é uma reflexão minha, que não sou médica nem estou ligada à saúde. Sou apenas uma das muitas mulheres a quem esta doença foi diagnosticada.

1 comentário:

  1. estive a semana passada na alfredo da costa e tudo indica que tenho endometriose, tenho todos os sintomas, dia 9 saberei..as dores são horríveis. se se confirmar volto para ler todas as dicas. não tomo a pílula e se calhar devia..bjs, espero que o pós-operatório esteja a correr bem. e feliz natal!

    ResponderEliminar

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!