16 de janeiro de 2016

Quando as coisas não correm como esperamos...

... Este coração de mãe fica em sobressalto. E com as hormonas pós parto à mistura mais difícil fica. A Francisca começou a ficar muito amarela, com icterícia, e teve de ir para a Neonatologia para fazer as luzes, mas o mais complicado nem é a icterícia, mas o facto da minha princesa ter perdido mais peso do que é suposto. E a fototerapia ainda aumentou mais a desidratação dela. Está desde as duas da tarde longe de mim, há mais de 8 horas, na neonatologia, e aguardamos que termine as radiações, é um ciclo de 8 horas, para fazer novos exames.... Os manos tiveram um programa especial (obrigada madrinha Bia) e depois vieram ao hospital e foram-se embora em lágrimas. O mais velho porque queria ver a mana e o mais pequeno porque queria que eu fosse embora com eles... E eu já tenho saudades dos meus amores grandes, apesar das visitas diárias. 

E enquanto escrevia este post... A enfermeira da neonatologia bateu-me à porta com a Francisca. Terminou o ciclo de fototerapia e as análises estão melhores, sendo que necessita apenas de fazer suplemento depois de mamar. Eu não gostei que lhe tivessem introduzido o suplemento ao leite materno, mas foi ordem da pediatra que disse que não podíamos correr o risco dela desidratar mais e entrar num estado crítico além de que não podia estar sempre a interromper os ciclos de fitoterapia a cada hora para mamar. Se é o melhor para ela neste momento, é o que fazemos, esperando que seja algo transitório. O que eu sei é que já lhe dei de mamar, o pai deu o biberão e ela já dorme aqui ao meu lado... É horrível estar num quarto da maternidade sem o bebé... Não é suposto e a mim estava a consumir-me a alma... Amanhã de manhã será vista pelo pediatra, fará novos exames e análises e logo ficamos a saber se mantemos a alta, como estava previsto, ou se ficamos mais algum tempo internadas até os valores da Francisca ficarem normais e estabilizados.

Um dia de fortes emoções com muitas lágrimas à mistura. 

4 comentários:

  1. Vai tudo correr bem. Vou torcer por vós.

    ResponderEliminar
  2. Ohhh querida isso do biberão é p menos importante, o que interessa é que ela esteja bem para poderem vir para casa! Num hospital público ninguém lhe daria biberão senão fosse mesmo necessário. Não fiques agarrada a essa ideia, agora é assim depois logo se vê. Muita força, vai dando notícias! Bjos grandes

    ResponderEliminar
  3. Um pequeno contratempo mas tudo se resolve! Muita força. Beijinhos grandes

    ResponderEliminar
  4. Fui mãe pela 2ª vez há 7 meses e o inicio da amamentação foi muito difícil. Completamente o oposto da 1ª vez, coisa que não estava a espera. Um bebe preguiçoso para mamar, adormecia e não tinha qualquer interesse. Teria sido mais fácil dar um biberão, tal como a pediatra queria, mas fui persistente. Duas semanas, depois tinha um bebe a mamar bem. Hoje o Vasco tem 7 meses, pesa 9 kg e ninguém diz que nasceu de 35 semanas.
    Não sou fundamentalista, mas se quer amamentar, siga o seu instinto de mãe.
    Francisca Alves

    ResponderEliminar

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!