5 de janeiro de 2016

Como é que eu ainda me surpreendo???

Hoje uma senhora ia-me batendo na loja do cidadão porque eu estava a passar-lhe à frente!! Passo a explicar: tive de ir tratar de um assunto inadiável à loja do cidadão. Tentei tirar senha prioritária e não deu, mas não estava com a cruz que significa que já não há mais senhas. Fui até aos balcões e aguardei calmamente que terminassem de atender. Quando um dia senhores ficou livre perguntei se podia fazer uma pergunta. Ele disse que sim e eu perguntei se já não havia senhas prioritárias. Ele disse que não precisava de tirar senha que eles iam atendendo os prioritários. Pediu que me sentasse, com uma amibilidade e simpatia e eu assim o fiz. E eis que sinto uma pancada nas costas e uma mulherzinha, que não lhe posso chamar senhora, começa aos gritos comigo porque eu não tinha senha e lhe tinha passado à frente. Eu respondi que era prioritária... Não fosse a minha barriga de 9 meses passar despercebida e voltei-me para o senhor e continuámos a resolver o meu assunto, ignorando-a. A funcionária do lado ainda olha para mim como quem diz: haja paciência. E a mulher continuou a praguejar. 2 minutos depois vim-me embora com o assunto resolvido e a pensar que de facto é muito triste a falta de educação, de respeito e de civismo... E que a forma como se vivem as filas prioritárias e os lugares reservados a deficientes, grávidas e pessoas com bebés de colo reflectem bem o povo e o país que somos. E estou tão farta de ser ignorada e olhada de lado quando peço licença para passar numa fila prioritária. Ao início ainda me acanhava, mas na terceira gravidez uso as prioridades a que tenho direito mesmo correndo o sério risco de ser insultada! É triste, não é? Uma vez uma empregada do IKEA disse-me que o pior pesadelo deles é quando calham nas caixas prioritárias! Há sempre confusão. Sempre.

1 comentário:

  1. a minha irmã também trabalha muito numa caixa prioritária e diz o mesmo!!!

    ResponderEliminar

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!