13 de dezembro de 2013

Orgulho do mais velho que aprendeu a esperar pela noite de Natal

Ontem tivemos a visita de uma querida vizinha da casa antiga. Uma senhora muito simpática que dedica a sua vida ao voluntariado e que se encantou quando eu fiquei grávida do mais velho, porque há mais de 40 anos que não havia lá no prédio uma criança. Acompanhou o crescimento do mais velho e assistiu à chegada do pequenino. Foi com tristeza que nos viu partir do prédio e ontem atravessou cidade e meia para vir dar um beijo aos meus filhos e desejar-nos um Feliz Natal. Fiquei comovida com o gesto dela. Sempre querida e atenciosa sem nunca ser chata. Quando estava em casa e nos ouvia a subir as escadas espreitava para dizer olá e em algumas vezes me ajudou com as birras do mais velho, que não é fácil subir 3 andares com um recém-nascido no sling e um de 3 anos a espernear.

Ontem foi dia de matar saudades e trouxe um presente para cada um dos meus filhos. Os primeiros da árvore de natal, que o resto está bem escondido pelos armários da casa que o Pai Natal só cá vem nas vésperas de Natal. Claro que o meu filho mais velho queria abrir logo o presente, mas lá o convenci a esperar. Contei-lhe a história de um menino, o Pedro, que decidiu abrir todos os presentes assim que o Pai Natal os deixou lá em casa e depois, na noite de Natal, ficou muito triste porque os pais, avós, tios, tias, primos e primas abriam felizes os presentes e ele não tinha nem um para desembrulhar... "Abro o do meu primo Miguel, ou do Manel ou..." Expliquei que não e que se ele abrisse ia ficar triste e deixar o Pai Natal e a mãe tristes. Lá pensou naquilo. "E dizes-me qual é o meu?" Lá lhe disse qual era e ele respondeu: "Obrigada. Assim na noite de natal já sei qual é que tenho de abrir!".

Confesso que fiz pouca fé no meu filho e enquanto andava a dar banho, jantar e a cuidar do Afonso achava que a curiosidade ia ser mais forte e ele ia abrir o presente. Mas não! Para ele, o assunto ficou resolvido e esclarecido. Será que aguenta até à noite de Natal? O tempo o dirá, mas ontem deu provas de ser um menino crescido.

1 comentário:

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!