19 de outubro de 2013

O retrocesso da chucha

Duas semanas e uma noite depois de ter cortado a chucha à tesourada voltou a pedir a chucha. Estava inconsolável para dormir a sesta com o dedo indicador enfiado na boca. Chorava sem parar a pedir a chucha e eu e o pai decidimos dar-lhe uma chucha que tinha sobrado. Não sei se fizemos bem ou mal, mas angústia dele era tal que resolvemos dar-lhe a chucha. E foi imediato. Acalmou, meteu-se na cama e adormeceu profundamente. Custou-nos tomar esta decisão, ele tinha sido tão corajoso nas últimas semanas... Vamos ver o que acontece logo à noite. 

1 comentário:

  1. Há alturas em que tem que ser. Bem ou mal não interessa porque está feito, agora é só esperar para ver. Vai-se resolver. Também não podia continuar a passar assim as noites.

    ResponderEliminar

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!