15 de outubro de 2013

Mãe à beira de um ataque de nervos

A manhã de segunda feira de loucos. Tudo pronto para sair, já atrasados para a escola. Porta da rua aberta. Afonso no hall do prédio. E onde estão as chaves de casa? Jurava que as tinha usado para entrar em casa no sábado ( mas depois veio a constatar-se que não tinha e que estavam dentro o carro). Volta a entrar com as crianças. Mano mais velho a melgar o pequeno e a baixar-lhe a capota do carrinho e uma mãe a correr pela casa. Mexo e remexo em tudo. Ligo ao maridão que me diz que há umas chaves extra para o elevador e garagem. Lá vamos já com 30m de atraso. Mais novo no carro. Mais velho encontra chupa colado na cadeira, ainda restos da festa de baptizado do mano. Quer o chupa. Grita. Começa uma birra. Vou meter o carrinho do Afonso no carro, mas o meu marido encostou tanto que não consigo abrir a mala. Praguejo! Chego o carro à frente. Filho mais velho continua aos gritos por causa do chupa. Meto o carrinho na mala. Meto-me dentro do carro. As luzes da garagem apagam, mas eu não quero saber e meto prego a fundo. O meu filho mais velho grita cada vez mais. Eu só quero sair dali e vou em frente e não faço a curva. Esmurrei o lado direito quase todo do carro. E o meu filho mais velho parou de chorar e só queria ver a amolgadela. Chegamos finalmente à creche comigo com uma cara de sei lá o quê, mas parecia que tinha corrido 10 maratonas... e o meu filho diz logo: "Eu queria o meu chupa, a mãe não sabia das chaves e até batemos com o carro e tudo!"... O dia passou... Ao chegarmos a casa: "Oh, mãe! Boa! Desta vez não bateste com carro!" E é isto... E em vez de comprar o Iphone que tanto desejo e cuja compra tenho adiado porque é muito dinheiro, vou arranjar o carro!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!