22 de maio de 2015

Quero uma festa de crescidos!

Adoro crianças. Os meus, os dos outros... Gosto do rebuliço e da algazarra que uma casa cheia de crianças tem. Gosto de os ouvir a rir ( e às vezes a chorar) e gosto que os meus filhos adorem festas e ter sempre a casa cheia e que os outros (sobrinhos, emprestados e afins) estejam sempre desejosos de vir cá a casa. 
Mas este ano tomei uma resolução e disse ao meu marido: Não quero crianças (a não ser as nossas) no meu jantar de anos. Ao que ele respondeu. Nem pareces tu. Como é que é que vais fazer? E eu disse: Vou fazer um jantar diferente (ainda por cima é a meio da semana) e não vou convidar as crianças. O meu marido olhava cada vez mais admirado para mim.
Mas sabem? Apetece-me um jantar de adultos! Com conversas de adultos e sem estarmos sempre todos de roda das criancinhas!
Sabes que há quem não possa vir? disse-me ele.
Eu sei. Eu nem ia fazer jantar nenhum. Ia com os meus, a minha mãe e a minha avó à minha pizzaria preferida. Mas a minha irmã consegue vir a Portugal nesses dias para festejar e já não me faz sentido irmos fora. E aproveito e convido meia dúzia de amigos, alguns deles comuns, e festejamos. (Depois no fim de semana vamos em família alargada passar o fim de semana e comemorar com um dos meus cunhados que faz anos no mesmo dia que eu).
Mas vou fazer 37 anos e quero ter um jantar de crescidos!
E para evitar que algumas amigas especiais possam ficar tristes por não puderem vir vou fazer um fim de tarde no parque infantil com a turma das mamãs e das criancinhas! Levamos um bolo de morangos do Fruta Almeidas, cantamos os parabéns, lambuzamo-nos todos, eles brincam e depois eu tenho um jantar relativamente em paz. É diferente ter os meus dois filhos ou ter 20 crianças. E no meu aniversário quero o exclusivo das minhas crianças!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!