10 de março de 2017

O que eu odeio motas!!

Lembram-se do post em que vos contei do acidente do meu marido? Pois bem, já passou mais de um mês e ainda está muito longe de estar bem! Já retirou gesso e agora vai começar a fisioterapia... mas o fisiatra não foi nada animador. Além de 4 ou 5 meses de fisioterapia, inicialmente diária, há a possibilidade de nunca recuperar totalmente a extensão do braço e o movimento do cotovelo, que saiu do sítio com o acidente e que provocou a lesão e rompimento de todos os tendões e afins... Uma merda! E eu nem sou de dizer palavrões! Acredito que com muito suor e lágrimas o meu amor vai recuperar, mas vão ser meses de grande trabalho para conseguir recuperar ao máximo e ir ganhando alguma autonomia, porque é muito chato estar dependente... Ontem, ele dizia ao médico, que era chato estar assim, com três filhos pequenos em casa, sem poder mexer o braço, sem poder ajudar a mulher, sem conseguir ser autónomo e a precisar de ajuda para tudo. E o médico riu-se e disse: pior era se fosse solteiro e vivesse sozinho! Quem (eu) toma conta de 3 toma de 4!!!  A mota, essa, vai directa para o OLX... Odeio motas, sempre odiei, foi uma guerra minha durante anos até que aceitei os argumentos da poupança de tempo, que tanta falta nos faz... E os meus filhos que nunca me peçam motas!!! Porque ou estou senil ou nunca darei um cêntimo para comprarem uma!! Claro que foi um acidente, que os acidentes acontecem, que ele nem teve culpa... Mas não quero saber. No meu marido não mando e houve uma altura em que ele comprou a mota, mas com os filhos a conversa é outra. E quem manda sou eu!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!