A primeira reunião com a professora primária do mais velho

Pedimos uma reunião com a professora do filhote mais velho para conversar um bocadinho, saber como é que ele estava, como aprende, como se comporta... Ouvir a professora e reforçar-lhe que estamos atentos e disponíveis para o que for preciso. A reunião correu muito bem e não só ficámos descansados e contentes porque tudo o que nos foi dito, era o que já esperávamos ouvir, nós sabemos bem o filho que temos em casa e sabemos que tem tanto de inteligente e participativo, como de falador e portador da espécie "bicho carpinteiro". E não, não é hiperactivo, é enérgico e é uma criança que ainda está a adaptar-se ao estar sentado tanto tempo. Mas além da parte pessoal, gostámos novamente da professora, que tínhamos conhecido no início do ano e com quem falámos nas primeiras semanas de aulas, quando o levávamos à sala de aula, já que depois não é permitido. E gostámos de conversar com ela, da serenidade dela, gostámos de saber das visitas de estudo, do projecto da matemática e das ciências que é feito ao nível do agrupamento e que depois a professora desenvolve com exemplos, casos concretos do dia a dia. Gostei da motivação da professora, do que ela faz para os entusiasmar, para os ensinar com métodos mais perto da realidade multimédia dos miúdos. Gostei de saber que é uma boa turma, super participativa e com pais atentos e disponíveis. O meu filho está perfeitamente integrado, está feliz, está a aprender e a fazer amigos... Ah, um pormenor da reunião: o meu marido levantou a questão dos palavrões e disse à professora tudo o que o nosso filho já aprendeu nos intervalos com os mais velhos e alertou-a para todas as dúvidas e baralhações que vão naquela cabeça entre sexy, sexo e o calão... Nós vamos explicando em casa o que ele nos pergunta, mas achámos bom que a professora soubesse (e muitas das coisas eles já lhe tinham perguntado, olhando-a como figura maternal) que eles estão curiosos com o corpo, que estão em fase de descobertas e precisam de orientação e de quem lhes explique o que for para explicar. E ela sempre em sintonia com a conversa e dizendo que vai reforçar algumas ideias, alguns valores relacionados com o corpo humano, a reprodução... Nós escolhemos o que achamos melhor para os nossos filhos, mas não controlamos a professora que lhes calha, a turma, os colegas... e é bom quando tudo parece funcionar bem. E quando há boa comunicação casa/ escola tudo fica mais fácil. E quando temos tudo isto numa escola pública do outro lado da rua, é ouro sobre azul! E uma mãe fica descansada. Claro que podem surgir problemas, já houve uma chatice no início do ano com um coleguinha da sala, mas se estivermos atentos, se tivermos um professor que se preocupa, que nos ouve (aos pais), que cativa a confiança e a cumplicidade dos miúdos é tudo mais fácil. 

Comentários