10 de setembro de 2014

Sensiblidade aos 4 anos e meio



Ontem a minha mãe foi ter à creche na hora de saída para dar nos dar um beijo. Depois seguiu para casa dela e nós para a nossa.
Filho mais velho: dá-me pena que a avó agora vá sozinha para sua casa.
(Eu fiquei logo embascada com esta frase, mas começo a já estar habituada à forma eloquente com que o meu piolho grande fala, mas acima de tudo com a sensibilidade dele. Já quando o meu avô morreu, tinha ele acabado de fazer 3 anos nesse mês, a grande questão dele era a bivó à noite sozinha em casa. Acho uma ternura esta preocupação)
Eu: Tenho uma boa notícia. A avó vai viver com a bivó e assim deixam de estar sozinhas. É bom não é?
Filho mais velho: Sim. É giro. Duas avós juntas.
Eu: uma mãe e uma filha juntas.
Aí é que ele se desconcertou. Não há meio de perceber que a avó é filha da bivó!

1 comentário:

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!