13 de julho de 2016

O meu filhote mais velho...

... Está muito triste por o ano lectivo estar a terminar e ele se ir separar dos amigos que tem há 6 anos, desde que entrou para o berçário. Já chorámos os dois a ver vídeos e fotografias da festa de finalistas e já lhe disse que vai poder continuar a ver os amigos, até porque eu também fiquei com uma ligação de amizade a algumas mães que não queria perder. No outro dia tive um aperto ao vê-lo em lágrimas, a soluçar, a dizer que gostava tanto de ir para a escola para onde vão quase todos os colegas da escola. Senti-me mal por não ter escolhido essa escola do agrupamento como 1ª opção, sabendo que iam quase todos os amigos para lá. Emocionalmente teria escolhido essa escola, mas racionalmente tive de escolher a escola que nos é mais favorável: fica a 1 minuto a pé de casa, é no nosso bairro o que faz com que ele depois tenha os amigos aqui na rua e ruas à volta, é a mais moderna do agrupamento, é considerada muito boa em termos de ensino(tão boa ou melhor que a outra que os amiguinhos escolheram) e facilita a nossa logística do dia a dia. Foi uma opção. Mas não lhe contei toda a verdade: disse que os pais inscreviam nas escolas do agrupamento (área de residência), mas que depois não éramos nós que decidíamos onde os filhos entravam... É apenas meia verdade porque se eu tivesse escolhido a outra escola, ele entrava sem problemas visto ser de 4 de Janeiro. Custa-me saber que podia ter permitido que ele continuasse com os amigos, mas que eu e o pai decidimos em função de outros critérios... E eu sei que ele é top a fazer amizades. Ainda no outro dia fomos ao parque depois da escola, o parque é ao lado da escola nova, e estava um rapaz com uma bola. Os meus filhos quiseram jogar com ele e conversa puxa conversa e o rapaz anda lá na escola e vai para o 1º ano, podendo ficar da turma dele... Mas ele só fala dos seus amigos queridos. Pediu-me para fazer um "jantar de despedida" para os amigos e convidei 4 para cá virem jantar. Vai ser uma despedida triste, eu sei, e até calha bem irmos uns dias antes de férias para não ser a despedida do último dia... Ele está muito emocionado e triste e eu também sofro com ele, mas tenho a certeza que ele se vai adaptar bem à escola nova, vai fazer novos amigos, irá reencontrar os amigos de sempre mais tarde, no agrupamento, e em actividades de férias da junta de freguesia, que reúne os meninos das 3 escolas do 1º ciclo e eu tudo farei para que eles continuem a vir cá a casa, a combinar programas e a fazer parte da vida do meu filho e da nossa.. 

3 comentários:

  1. Por experiência própria : isto aconteceu-me com os meus três filhos cada um no seu momento . Sinceramente ? É bom. É bom porque os obriga a sair de determinada bolha e a terem confiança para fazerem novas amizades e verem que são capazes de socializar sem as pessoas "de sempre". Correu sempre bem . O meu filho do meio mudou de escola no terceiro ano e teve de fazer amigos novos . Quando foi para o sétimo ano escolheu uma língua estrangeira e os colegas outra, foi para uma turma com pessoas "novas". A minha filha mais nova mudou de escola quando foi para o sétimo ano ... Todas estas mudanças tem tido muito mais consequências positivas que negativas e tem-lhes dado ferramentas para enfrentarem coisas novas sem medos . No caso da minha filha mais nova , havia uma amiga no infantário que a "absorvia" muito e livrar-se dessa influência foi benéfico ... Beijinhos e vai correr tudo bem !!!! Sofia Costa

    ResponderEliminar
  2. Não deve ser fácil para ele mas acho que é mesmo importante que também seja prático para os pais! Ele vai -se habituar rápido!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo absolutamente, ter os filhos numa escola perto de casa facilita a logística toda e convenhamos que tenhamos um filho ou 10 filhos , há sempre logística implicada . Quanto mais simples seja para os pais , tanto melhor. As mudanças são necessárias e inevitáveis e os miúdos tem uma capacidade de ajuste fantástica !

      Eliminar

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!