11 de julho de 2016

Fui a única portuguesa que não viu o golo da vitória...

... Mas ouvi-o, e bem! Passo a explicar: Estávamos em casa de uns cunhados, o meu filho mais velho louco de alegria com os primos, tudo a querer o golo que teimava em não chegar. O jogo chegou ao fim dos 90 minutos e eu tinha um Afonso perdido de sono depois de um fim de semana inteiro de piscina e brincadeira e uma Francisca a ficar ranhosa e chorona. Agarrei neles e vim para casa, enquanto o pai e o filhote grande ficavam para continuar a ver o jogo, dizendo sempre: vamos ganhar! Mal entrámos no carro, diz o Afonso: Mãe, posso dormir? E dormiu. Trouxe-o ao colo a empurrar o carrinho, e quando o estou a despir para o meter na cama a casa estremece! É golo! Fico feliz e sorrio. Beijo o meu filho e deito-o na cama. A gritaria era imensa, mas o Afonso dormia. Fui dar de mamar à Francisca e vestir-lhe o babygrow. E a gritaria explode. As buzinas começam. E eu percebi. Portugal ganhou. Segredo ao ouvido da Francisca: somos Campeões! Deito-a no berço e fui para a sala ver tudo na televisão e esperar pelo meu marido e filho grande, que demoraram porque ainda festejaram, os primos jogaram à bola no jardim, assaram mais uma picanha... Mas chegaram a casa felizes: oh, mãe! É um dia especial! Somos campeões da Europa. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!