20 de dezembro de 2015

Na véspera das 35 semanas sinto claramente as hormonas da gravidez aospulos!

Estou desde ontem à noite à beira de um ataque de nervos. A única coisa que o meu marido ficou de tratar, há meses, foi do carrinho da Francisca: já falei com o meu irmão e o carrinho fica para nós! Está tudo tratado! E eu esqueci esse assunto para tratar de tudo o resto: o que era preciso recolher que estava emprestado, o que era para comprar, para lavar, para organizar... De vez em quando falava no carrinho e o meu marido sempre tranquilo: eu depois combino com o meu irmão. Mas nunca se lembrava. Havia sempre tempo. Ontem íamos estar todos juntos (tal como já tínhamos estado há 2 e 3 semanas) e eu pedi-lhe para combinar com o irmão eles levarem o carrinho, mas ele disse que falávamos com ele para depois lá ir buscar o carrinho. Estive a noite toda a ver quando é que ele falava no assunto. Claro que se esqueceu e eu apanhei-os já no elevador e perguntei à minha cunhada quando podíamos ir buscar o carrinho. Já não temos o carrinho! Há meses! Essas coisas não podem ser tratadas com o D., que ele está sempre a leste. Eu não fazia ideia de que vocês precisavam do carrinho... E desde aí estou num estado de nervos, a umas 3 semanas da Francisca nascer não tenho carrinho. E descompensei. Se calhar não é nada da mais, é só um carrinho, mas a mim veio mexer-me com os meus nervos. Está tudo a mudar à minha volta: já não é parto normal e é cesariana, já não é no privado é no público, já não é a minha médica é com o médico que for... E a mim só me apetece chorar!!! Eu ando sempre super bem disposta, feliz e contente a viver a gravidez cheia de alegria, mas hoje não me apetece ver ninguém e só me apetecia enfiar na cama e dormir o dia todo sem filhos nem marido a chatear... 

2 comentários:

  1. Há dias assim. Logo, logo passa.

    ResponderEliminar
  2. Calma! É respirar fundo e entregar nas mãos de Deus! Tudo se resolve. Aproveite os últimos dias, porque depois vai ter saudades...

    ResponderEliminar

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!