9 de novembro de 2014

Rastreio à Voz #2

Lá fomos ao rastreio de voz. Correu bem e o meu filho colaborou, principalemnte depois do terapeuta, que é músico, ter cantado algumas músicas das personagens da Disney a que já deu voz. O rastreio confirmou que o meu filho tem alguns nódulos nas cordas vocais, que lhe provocam a rouquidão. A terapia será basicamente para o ensinar a respirar correctamente para ele não forçar tanto a voz. Com dois meses de terapia ficará bom, mas nenhuma terapia funcionará se ele não parar de gritar e de esforçar a voz. Mas qual é a criança que não grita? Nós bem lhe dizemos para ele não gritar, mas basta juntarem-se dois e o volume vai por aí acima. Entrar no ginásio da escola onde eles estão ao final do dia a correr e a brincar é de endoidecer. E eles gritam que nem loucos. E aquilo faz eco. E eles gritam cada vez mais. Para já, vou tentar consciencializá-lo para a questão dos gritos e do esforço nas cordas vocais (adorou a ideia de ter cordas como as da guitarra) para depois então, no novo ano, iniciarmos a terapia. Para já, o caso dele não é grave, mas vai-se agravando e quanto mais cedo for corrigido mais rápida é a resolução. (E é mais uma despesa... E isto é sempre tudo a somar, a somar, a somar...)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!