11 de outubro de 2017

A má alimentação nas escolas públicas

Nos últimos dias muito se tem escrito na comunicação social sobre a falta de qualidade da maioria das cantinas escolares. Podem ler aqui, aqui e aqui. Felizmente, quer na escolinha dos mais pequenos, uma IPSS com vertente de berçário, quer na escola pública do 1º ciclo que o mais velho frequenta a comida é muito boa, variada e em doses apropriadas. Em ambos os casos a comida é confeccionada nas escolas, por cozinheiras, e não vem de fora. Na escola do mais velho há uns não era assim e era a maior guerra do agrupamento, com 3 escolas básicas, porque a comida era nojenta e servida por uma empresa de catering. Mas os pais não se calaram, mexeram-se e fizeram-se ouvir! E a Junta de Freguesia assumiu também essa parte nas escolas, contratou cozinheiras, nutricionistas e engenheiros alimentares e passou a gerir as refeições, os refeitórios e os lanches. Por isso, é preciso apontar o dedo, refilar, falar com as crianças, perceber o que se passa e mudar o que for preciso, para que os miúdos recebam alimentação condigna, bem confeccionada, com bons ingredientes e nutrientes.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!