2 de abril de 2017

Obrigada, filhos queridos!

Ouvi a Francisca palrar. Vi as horas. Eram 7h48m. Depois ouvi as vozes dos manos a falar com ela. Ela ria. Depois percebi que a tinham tirado da cama. Fiquei atenta, falavam baixo para não fazer barulho. Presumi que a tinham levado para a sala. Fiquei ali no limbo, meio a dormir meio acordada, a tentar perceber a situação. O Afonso veio-me dizer que tinham a mana, que estavam a tomar conta dela. Não ouvi choros, nem gritos... Um silêncio. Adormeci. Acordei perto das 9 com a Francisca a entrar no meu quarto a gatinhar... Peguei-lhe, saímos para a sala, onde dois rapazinhos, muito orgulhosos, disseram que tinham tomado muito bem conta da mana. Diz o mais velho: vocês estão cansados, tenho pena que nunca possam dormir muito por isso trouxemos a mana. Comovi-me. E depois acrescentou: Desculpa, só não lhe mudei a fralda! Oh, meus amores. Tão queridos. Fiquei mesmo comovida com o amor deles. 

1 comentário:

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!