9 de outubro de 2016

Dia D na Gulbenkian

Fui de manhã com os miúdos preparada para um dia muito giro, mas nunca tinha ido a estas actividades. Estava uma manhã linda e lá fui com as crianças. E foi fantástico. Começámos com waffles ao pequeno almoço na nova cafeteira, depois de um belo passeio pelos jardins. O momento alto foi o teatro mais pequeno do mundo: Shakespear numa caravana!! Maravilhoso!! Fui com os três e a pequena Francisca assistiu pela primeira vez a Macbeth, adaptará na versão Três chapéus para um rei!! Maravilhoso! Depois assistimos a parte do concerto do grupo Macadame e foi lindíssimo!! A manhã passou a voar e o pai juntou-se a nós para almoçar, até porque ao contrário do pleneado íamos ficar mais um pouco da parte da tarde para vermos mais uma peça de teatro. E foi na confusão da cafeteria, enquanto eu fui para a fila o meu marido ficou na esplanada com a Francisca e os rapazes andavam po ali à volta correndo por ali, apanhando folhas... Mas depois quando eu saí não vimos o Alexandre. O meu marido achava que ele  estava comigo e eu achava que ele estava nas proximidades a brincar. Mas eu estive 15 minutos na fila... E não o víamos desde essa altura. O meu marido foi dar uma volta ali perto e nada... Foi mais longe. E eu com o carrinho de bebé, mais o casaco da mota mais o saco de padel do meu marido e mais o Afonso a querer comer o bolo de chocolate... E começa a secar-me a garganta. O meu marido dá a volta a tudo e nada... Dois pais na esplanada perceberam o que se estava a passar, largaram os seus almoços, pediram-me dicas da roupa e aspecto do meu filho e lá foram eles pelos jardins da Gulbenkian enquanto eu alertava os seguranças. Tudo à procura do meu filho, imensa gente a oferecer ajuda, pessoas a guardarem-me os casacos e sacos para eu estar mais liberta para o procurar, o segurança a dar códigos pelo rádio e eu a tentar não me passar, mas a estranhar imenso ele nunca mais aparecer... Passados uns 10 minutos aparece o segurança com ele, estava enfiado numa sala semi escura com uma instalação artística... Foi horrível. Um pânico. Nós gostamos de lhes dar certa liberdade e responsabilidade, mas já é o segundo susto que apanhamos...  Ele só dizia que tinha estado sempre ali... Que não se escondeu, que estava distraído a ver uma projecção. E nós voltamos a dizer que eles têm de estar sempre a ver-nos, dizer onde estão e ir aparecendo a cada minuto para não ficarmos preocupados. Depois de recuperados deste susto foram com o pai novamente para o teatro. E desta vez conheceram Ofélia!! Tirando este enorme susto foi um dia muito bem passado, num sítio lindo cheio de crianças e famílias a aproveitar este domingo de sol!



1 comentário:

  1. Que grande susto! Ainda bem que terminou tudo bem! Beijinhos

    ResponderEliminar

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!