30 de julho de 2015

Lanchinho de despedida

Na reunião de final de ano do Afonso, na passada segunda feira, houve um pai que sugeriu que se fizesse um lanche de final de ano na salinha. A ideia foi logo bem recebida, marcou-se o dia e cada mãe/pai disse o que é que levava para o lanche. Além das comidinhas, um pai que é professor de capoeira ofereceu-se para levar os instrumentos musicais e fazer uma brincadeira com os pequeninos. E foi hoje. Os manos mais velhos e mais novos juntaram-se à festa, muito felizes e a sentirem-se especiais, e houve comida e música em jeito de despedida das férias. Uma verdadeira festa! A educadora segue com eles até ao último ano do jardim de infância, mas as duas auxiliares mudam. Até há dois anos as auxiliares estavam com eles na creche e mudavam na transição para o jardim-de-infância, mas depois as regras mudaram por entenderem que era benéfico os miúdos terem contacto com mais pessoas. E eles não estranham porque é uma escola pequena (uma sala por cada ano, seis salas no total do berçário ao último ano do jardim de infância) e muito familiar onde todos se conhecem pelo nome e os nossos filhos são recebidos com beijos. E este esquema permite que mantenham a educadora, uma figura permanece, e vão interagindo e beneficiando da possibilidade de terem auxiliares diferentes, o que significa diferentes registos, diferentes personalidades e diferentes maneiras de ser que acabam por ser benéficas para eles, pela diversidade. E os miúdos não entranham nada. Este ano, a exceção vai para a sala do meu filho mais velho. A educadora dele vai ter uma bebé em Outubro e como já vai haver uma mudança de educadora, que vem fazer a substituição na licença, mantêm a auxiliar para haver uma continuidade. E é bom saber que as regras existem, mas que se adaptam às circunstâncias, ao interesse das crianças e que o bom senso prevalece! 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!