5 de abril de 2014

"Eu não quero dormir na avó"

A minha mãe tinha combinado com o meu filho mais velho que hoje ele ia lá jantar e dormir para amanhã de manhã irem ao cinema. A minha mãe fez a canja que ele adora, as almôndegas e o puré e comprou olho os bilhetes para o cinema. Tinha tudo planeado com tempo e ao pormenor, como é seu hábito. 

Saímos da festa do filho de uns amigos - um lanche muito giro no estádio da Luz com direito a visitar o relvado, os balneários, a sala de imprensa e tirar fotografias com a águia Vitória - e fomos levá-lo a casa da minha mãe, logo ali ao lado. Quando ele percebeu o que ia acontecer, disse logo: liga à avó e desmarca. Eu não dei importância e lá fomos, mas quando lá chegámos começou o drama e ele chorava e gritava que queria ficar connosco e que não queria ficar com a avó. Estava mesmo aflito e a chorar, dizendo que queria ir para casa. E eu não insisti. Achei que não fazia sentido ele ficar lá contrariado. Quando é preciso ele dorme em casa da minha mãe, mas não somos nós a ir lá deixá-lo para ir embora com o mano. Quando ele dorme lá, é depois da minha mãe o ir buscar à escola. Seguem logo para casa da avó e não há dramas. Mas hoje ele estava mesmo inconsolável com a ideia de ser fim de semana e ele ir ficar na avó. E eu acho que quando tem de ser, não há discussão, mas hoje não tinha de ser... Mas a minha mãe ficou triste e super chateada. Acha que o devíamos ter deixado lá, mesmo contrariado, que passado pouco tempo lhe passava a birra. 

Mas agora que voltei em força ao trabalho e que tenho muito menos tempo para estar com os meus filhos, também achei que não fazia sentido obrigá-lo a passar a noite de sábado fora. Ainda tentámos que ele ficasse, tomasse banho e jantasse que depois o íamos buscar, mas ele não quis. Já no carro, a caminho de casa, diz ele: vocês não sabem, mas é uma grande seca ficar na casa da avó. Lá lhe explicámos que não pode dizer isso à avó, que o adora e vai ficar triste.

Mantivemos o programa do cinema amanhã com a avó, que o vem buscar logo de manhã. 

O que é que vocês teriam feito nesta situação? Tinham obrigado, porque quem manda são os pais e estava tudo combinado? Ou tinham feito como nós?

2 comentários:

  1. A minha filhota tem 4 anos e por vezes tambem fica nos avós, mas nunca a deixo numa situação de birra, só se fosse mesmo necessário. Tb foi habituada a avó a ir buscar nos dias em que depois vai lá ficar. Acho que se eles ficarem lá contra a sua vontade pode no futuro se tornar mais dificil e até problematico as dormidas nos avós, o que por vezes é mesmo necessário.
    Li

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela tua partilha e eu penso exactamente da mesma maneira.

      Eliminar

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!