14 de abril de 2016

O meu amor do meio

Estava eu com a Francisca para arrotar (a noite de ontem não foi brilhante e ela acordou para bolsar várias vezes) quando ouço uns passitos... Lá vinha o Afonso arrastando a fralda de pano e dizendo que não encontrava a chucha. Dá um beijo à mana e eu deito-a no berço. Fui com ele e encontrei a chucha. Dei-lhe. Ele pega na chucha e regressa ao meu quarto. Então?, pergunto eu. Ele sobe para cima da cama e diz: Aqui é bom. Posso? E enrosca-se. E eu enrosquei-me a ele.

1 comentário:

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!