19 de abril de 2016

E (quase) tudo a maternidade mudou...

Devo andar ainda com as hormonas pós parto aos saltos e ando para aqui com umas crises existênciais potenciadas pela privação do sono, apesar de a Francisca até ser uma bebé tranquila e que dorme sempre umas 5 horas seguidas de noite... Mas esta noite, enquanto lhe dava de mamar, dei por mim a pensar em quem eu era e quem sou hoje. As pessoas costumam dizer que a maternidade as muda para melhor, e muita coisa mudou em mim para melhor, mas mudou tanta coisa... E às vezes olho para o meu marido e também o vejo tão diferente do que era... Estamos os dois tão diferentes, tão novos... E só passaram 10 anos de vida em conjunto, nove deles casados. Ontem calhou ver fotografias do nosso casamento (Pessoas que já partiram, casais que deixaram de o ser....) e lua de mel e há uma grande parte de nós que desapareceu... que mudou... E dei por mim a enumerar as coisas que mudaram em mim...
  1. Eu adorava dormir. Dormia sempre muito e muito bem. (Sinto que hoje em dia tenho um défice de sono gigante)
  2. Adorava sair à noite, jantar fora, viajar, estar rodeada de amigos a bebermos uns copos, a dançar... (mal saímos à noite. Não apetece. É preciso arranjar quem fique com eles e o pior é pensar no depois, durante a noite há que ajudar a ir fazer xixi, é preciso dar de mamar, é preciso dar colo por causa dos pesadelos... E vamos fazer isto com um gin ou dois? Em vez de dormirmos as 5/6 horas que lá vamos conseguindo dormir nessa noite dormimos 2 ou 3? É que a alvorada dos miúdos nunca passa das 7h30... É demasiado doloroso só de pensar. Não vamos. As minhas amigas também deixaram de sair. Trocamos as noites de copos por pic nics no parque).
  3. Adorava ir ao cinema. (Foi há mais ou menos um ano que fomos ver um filme para M4. Não só temos de arranjar quem fique com eles como aposto que mal me sente numa cadeira às escuras adormeço para só acordar quando me expulsarem da sala. Falamos em ir, mas vamos adiando.)
  4. Os fins de semana eram momentos zen que incluíam boas manhãs na cama, brunchs sossegados a ler o jornal, ronha no sofá, zero obrigações e responsabilidades... (Hoje em dia fim de semana é sinónimo de cansaço extra. Começamos sempre muito entusiasmados, eu faço imensos planos com os miúdos, vamos aqui e ali, parque, jardins, teatros... Adoro! Os miúdos adoram. Mas entre as birras normais deles e o despertar sempre às 7h chego a domingo à noite com vontade de hibernar)
  5. Não fazia a cama de manhã. Ou só fazia se me apetecia. (Não tinha de dar o exemplo a ninguém. Vivia sozinha (e depois com o meu marido) e fazia o que queria e me apetecia.
  6. Vivia o momento. Trabalhava, namorava, estava com os amigos, viajava! A vida era leve. Não tinha ninguém dependente de mim. Era eu, depois passámos a ser nós os dois... (e agora a 5 sinto a responsabilidade de ter três filhos e quero dar o melhor exemplo, quero educá-los o melhor possível, exijo o melhor deles e obrigo-me a dar o exemplo.)
  7. Era desarrumada e caótica e vivia bem nesse caos! (Tive de me organizar e disciplinar para conseguir gerir a casa, os filhos, o trabalho... Até ementas semanais passei a fazer!! O meu marido brinca que quando começámos a namorar no frigorifico eu tinha duas coisas: Actimel e cerveja. E era isto.)
  8. Não cozinhava nem pensava em comidas. Tinha menos 13kg do que tenho hoje. Comia qualquer coisa à noite em frente à televisão quando vivia sozinha ou depois com o meu marido fazíamos uns jantares tranquilos, sem a obrigação de comer sopa e fruta porque faz bem à saúde. Jantávamos o que queríamos e onde queríamos. Ia de vez em quando ao supermercado. (Hoje em dia vivo praticamente entre o Pingo Doce, o Continente e o mercado de Benfica, as refeições são um momento de guerra e de tensão. Os meus filhos estão horas à mesa, não querem comer nada. Todos os dias há choro e lágrimas. E há discussões. São um momento difícil.)
  9. Fumava sem culpas. (Deixei de fumar. Quero ter saúde, muita saúde para ver os meus filhos crescerem e para os acompanhar. )
  10. Era mais mais aventureira! (Hoje em dia tenho medo que me aconteça alguma coisa e depois deixo cá três órfãos menores...)
  11. Era muito mais divertida! (Hoje em dia acho que me tornei numa chata: vai lavar os dentes, vai vestir o pijama, vamos para a mesa, não se batam, não gritem, vai aos miúdos, já tiraste a louça da máquina? Vem cá ajudar-me! Despachem-se!! )
Sempre sonhei ser mãe. Amo os meus filhos de paixão, adoro ter uma família numerosa, umas horas depois de estar longe dos meus filhos sinto saudades, gosto de andar sempre com eles atrás tipo mãe pata, mas gostava de recuperar alguma da leveza que tinha antes... Eu e o meu marido estamos a precisar de rir mais, de namorar mais e com gosto de estarmos juntos, os dois, tentando encontrar no outro aquele por quem nos apaixonámos... Hoje, no meio destas emoções todas mostrei os álbuns digitais do casamento e das nossas viagens aos nossos filhos e suspirámos os dois... Depois de deitar os miúdos e do marido sair para o padel fui experimentar o meu vestido de noiva, com o qual casei faz de hoje a um mês 9 anos e ia lá ficando presa... Não aperta!! Tenho de conseguir emagrecer e voltar ao meu corpo antigo. Sempre tive curvas, rabo e peito, mas estou com muito peso a mais... Ai, ai... Hoje falava com uma amiga e ela dizia-me: a minha vida está parada, exactamente na mesma há 10 anos: mesmo local de trabalho (se bem que com novas funções e um cargo de chefia), o mesmo namorado, a mesma casa. E eu disse-lhe: a minha é toda nova!! Mudou quase tudo!! E as hormonas são tramadas... E já cravei babysiiting e já marcámos uma ida ao cinema daqui a 3 semanas!! E vou recomeçar a correr para emagrecer. E mais cedo ou mais tarde terei de fechar a boca!! 10 anos e 3 filhos depois ainda quero voltar a caber no meu vestido de casamento!!! 

3 comentários:

  1. Aposto que não deves estar assim tão mal. É verdade, tanta coisa muda, mas vê a família linda que já tens...Mas sim, não te acomodes e sai com o marido, a sós, quando te for possível. Um beijinho e ânimo :) as hormonas tb. são tramadas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda hoje pensei no teu blog e que não ia lá há muito tempo. Vou agora. Beijinho

      Eliminar
  2. A vida passa a correr e nós envolvidos no passar dos dias e obrigações deixamos passar... Há que tentar aproveitar só máximo a vida que temos, que nunca mais volta ao que era. Eu nem penso em fim‑de‑semana fora sem filhos pois não dá para sobrecarregar outras pessoas... Vamos tentando 1 almoço, 1 cinema, uma tarde de compras seguida de lanche. Foi a vida que escolhemos e, se não a tivéssemos (infertilidade e afins) sentiriamo-nos infelizes... Força que as hormonais (e os kg a mais) não ajudam!! E termino por dizer: as saudades que tenho das férias do México a 2!!! Lolll

    ResponderEliminar

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!