17 de maio de 2014

Vida profissional e a maternidade

Sexta-feira, 17 h e cai uma notícia na nossa sala que implica reunião de emergência e alterações ao projecto. E eu a ter de sair sem falta às 17h30 para conseguir ir buscar os meus filhos à escola que fecha às 18h. Comprometi-me logo em fazer a minha parte durante o fim de semana, mas senti, mais uma vez, que sou sempre a primeira a sair ( nunca prejudiquei nenhum colega nem deixei de fazer o meu trabalho, mesmo que pela noite dentro). E nestes dias já mais longos dá a sensação de que quem sai às 17h30 sai assim a meio da tarde. Quando aceitei este projecto falei logo com a minha coordenadora desta questão dos horários, e ela garantiu-me que não havia stress e que eu poderia gerir as minhas horas, mas sei que à vezes dava jeito que conseguisse ficar até mais tarde. Quando é programado eu consigo organizar-me com a minha mãe ou com o meu marido (já me organizei para estar fora 2 noites e 3 dias em trabalho, no fim deste mês), mas em cima da hora é difícil. 

1 comentário:

  1. Conheço bem a sensação.
    Infelizmente nem em todos os sítios compreendem essa necessidade de sair MESMO.
    Enfim...
    vidademulheraos40.blogspot.com.

    ResponderEliminar

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!