4 de maio de 2014

Eu, Mãe, me confesso!

É no papel de mãe que me sinto mais realizada. E comecei a noite do dia Dia da Mãe a dar o biberão de leite ao mais pequenino, enquanto o beijocava e o sentia ali no meu colo e a levar o mais velho da minha cama, onde adormecera, para a dele. Beijoquei-o. Desejei a ambos bons sonhos e um feliz dia da mãe. E agora vou ali enroscar-me com o homem que fez de mim a mãe dos filhos mais maravilhosos do mundo. E que eu esteja sempre à altura da palavra mãe e que eu os ame, guie, oriente, eduque e prepare para a vida, para que cresçam com responsabilidade e valores, para que encontrem os seus caminhos e sejam felizes. E temos a sorte de ter um homem maravilhoso, que é também um pai fantástico, nas nossas vidas e nesta missão de sermos pais. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!