27 de fevereiro de 2016

A autonomia dos filhos

Hoje aplaudimos o filho Afonso porque à noite foi sozinho à casa de banho, sem chamar, e fez tudo direitinho! O mais velho queixou-se que não o aplaudimos. Fi-lo ver que não é verdade e que sempre que ele conquista alguma coisa festejamos com ele: como fazer bem a cama, arranjar-se sozinho, a evolução no piano... Mas também lhe chamei a atenção para ele gostar muito que façamos as coisas por ele, como hoje na natação que demorou horas a despir-se e a vestir-se. Hoje consegui deixar a Francisca e fui levá-lo à natação e ele diz-me: achava que ia com a avó. Gostei da surpresa, mas quando é a avó ela veste-me e despe-me e faz tudo... Por mais que eu diga à minha mãe que tem de os deixar fazer as coisas sozinhos, que eles têm que ganhar autonomia, ela faz tudo por eles. Quer ajudar, quer ganhar tempo, quer que fique tudo bem feito mas não é o melhor para eles, apesar da intenção dela ser a melhor. Por isso, agora tenho que me conseguir organizar para ser eu a levá-lo à natação para trabalhar com ele o despir e vestir. Ele sabe e consegue vestir-se depressa, se quiser, mas perde-se a olhar para tudo, distrai-se... E é preciso que ele consiga vestir-se a tempo de em 10 minutos estar pronto para entrar na natação. 

1 comentário:

  1. Passo o mesmo, mas com os filhos dos outros! Sou educadora de infância e tento sempre que, pelo menos a partir dos 4 anos se vistam sozinhos! Uma das Auxiliares de educação: que coitatadinhos, são pequeninos...é um guerra!A outra: vamos, rápido não tenho o dia todo, mesmo com os mais pequeninos!!!!pelo meio lá arranjamos o meio termo claro!
    Ps: As meias são o mais complicado! :)

    ResponderEliminar

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!