5 de dezembro de 2012

Filho malandro

E esta foi a primeira conversa de maminhas do meu filho. Os dois juntos no carro a caminho de casa. Só me apetecia rir, mas tentei controlar-me e ensinar-lhe o respeito pelo corpo do outro. Foi assim: 
Filho: (a rir) hoje mexi nas maminhas da Cátia (educadora).
Eu: (a conter o riso não só pelo que ele dizia, mas pelo ar de malandro) oh, filho, mas isso não se faz.
Filho: mas foi com roupa!
Aqui é que me ia desmanchando a rir.
Eu: mas isso não se faz. Não podes mexer nas maminhas da Cátia.
Filho: as maminhas da Cátia sao giras e eu gosto delas!
E ri-se, malandro! E eu lá lhe falei da importância e do respeito pelo corpo dos outros, que não podemos tocar só porque nos apetece...
Eu: em vez de mexeres nas maminhas da Cátia dá-lhe um abraço ou um beijinho na cara.
Filho: não. Gosto mais das maminhas...

Só de pensar ainda me dá vontade de rir. No primeiro semáforo peguei numa caneta e num papel e apontei logo este diálogo. Foi o primeiro diálogo de maminhas, apesar de no outro dia a ver os "entrelaçados" tenha comentado comigo que a Rapunzel tinha maminhas... E só faz 3 anos para o mês que vem! 

4 comentários:

  1. O que eu me ri com este post

    ResponderEliminar
  2. Vem aí um mulherengo, está visto! Imagino que o pai deve ter ficado orgulhoso ;)

    ResponderEliminar
  3. Que malandreco! :)
    Nem mais, aposto que o pai rebenta de orgulho!

    ResponderEliminar

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!