7 de março de 2018

É falador como a mãe...

O meu filho mais velho andava para me contar uma coisa. E lá contou: tinha tido bola vermelha a comportamento na segunda feira. Explicou que se tinha virado imensas vezes para trás, mas que depois tinha percebido que se colocasse o livro ao colo, entre ele e a mesa, já não se virava... Depois perguntou: vou ficar de castigo, não vou? E eu disse-lhe que todos erramos e o mais importante é que quando erramos podemos aprender algo, mudar o comportamento... e foi o que ele fez, que teve bola verde no dia seguinte. Tinha um recado da professora a explicar a razão da bola vermelha e eu respondi. Gosto muito da professora e do método dela, e o meu filho também gosta, apesar disto das bolas de cor poder ser discutível. Porque não dei castigo? Porque o castigo já ele tinha tido, a bola vermelha a destoar no caderno, e porque ele tinha arranjado, sozinho, um truque que o ajuda a ficar virado para a frente... Qual é a criança que aos 8 anos acabados de fazer não tem um dia, ainda por cima segunda feira, mais agitado? Se ele tivesse sido mal educado ou respondido torto, a conversa era outra... 

1 comentário:

  1. Concordo com a tua atitude! O que interessa é que ele percebeu e corrigiu. Principalmente quando estamos a falar de um comportamento relativamente inocente, característico de qualquer criança.

    ResponderEliminar

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!