24 de junho de 2016

E como é que ficou o Afonso sem o mano?

Perguntou duas ou três vezes se não íamos buscar o mano, do género: não se estão a esquecer que há mais um?!! Lá lhe explicámos novamente que ele ia dormir com os amigos e ele não perguntou mais e aproveitou o mimo quase em exclusivo que teve primeiro de mim ( fomos ao parque e estreou-se num corneto de morango) e depois com o pai enquanto eu fui para os ensaios da festa da escola. Mas o mais engraçado foi que se portou como um anjo. Um menino de coro feliz, bem disposto, bem comportado!!!  Não houve dramas, não houve birras, jantou sem asneiras, esteve sempre feliz e contente. O pai contou-lhe duas histórias  ao deitar e ele adormeceu sem dramas, super calmo. Aproveitou bem ter os pais só para ele e para a Francisca, o que significa quase só para ele visto que às 20h a Francisca foi para a cama e ele ficou o rei da casa! E a nós também nos soube bem um bocadinho de paz, que confesso que as guerras, bulhas e discussões deles têm sido muito cansativas e têm tido um efeito negativo no ambiente familiar. E espero que estes dois dias afastados os faça ter muitas saudades um do outro para ver se dão umas tréguas... É que eles vão do amor ao empurrão muito depressa!! Diz que faz parte, mas é cansativo. 

1 comentário:

  1. Não querendo ser desmancha prazeres mas os meus são adolescentes e ainda hoje são assim . Claro que agora como cada um se mete no seu quarto já não é frequente , mas ainda há muitos atritos na hora da refeição ou na hora de sair de casa por exemplo ... Quando eram assim pequenos também me sabia bem estar só com um deles de vez em quando. Nunca consegui compreender o motivo mas parece que entram num estado de competição e provocação absurdas ... Boa sorte para o regresso ! Beijinhos

    ResponderEliminar

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!