Menos mal a noite, sim... Mas na cama dos pais!

Ontem quando a  minha filha acordou às 21h45m, depois de meia hora de sono temi o pior! Até porque tinha-lhe dado o Atarax para o nariz ranhoso e que, segundo o pediatra, ia ajudar a dormir melhor. Tentei não panicar, deitámos os manos, e o pai conseguiu adormecê-la. Eu antes das 23h estava na cama para aproveitar que ela dormia. E dormiu até à 1 da manhã. Tentei que ela adormecesse, dei-lhe um pouco de chá de camomila que tinha feito, e metia-a na cama. Começou logo a estrebuchar e eu para não lhe dar a espertina da véspera enfiei-a na nossa cama. Não se queria enroscar, palrava, mas eu lá a agarrei a mim e adormeceu... até às 6h. Hora em que acordou para vida. E começou o meu dia. 

Mas pelo menos sem passar a noite em claro. Com ela a dormir na nossa cama, que é coisa que eu não gosto, acho um péssimo hábito, acho perigoso... acho que estamos a fazer tudo mal, mas é para ver se nos aguentamos até conseguirmos uma consulta com uma terapeuta do sono, só para o mês que vem...

Comentários

  1. Ainda bem que descansaram! Eu também não gosto de a por na minha cama porque tenho receio de a magoar!

    ResponderEliminar
  2. Não tem mal nenhum dormir na vossa cama. Não é fazer tudo mal...
    As crianças não são iguais, por isso os métodos podem ser diferentes.
    Se o que está a causar a perturbação do sono foi o fim da amamentação quer dizer que ela neste momento está "perdida emocionalmente" quando chega a hora de dormir porque o bom hábito que tinha já não tem. Se adormecer ou mesmo dormir partes da noite na vossa cama durante uns tempos fizer com que ela "se encontre" novamente, qual o mal? Descansa ela, descansa a mãe, descansa a família. E quanto ao ser perigoso... nem ela é recém nascida nem os pais são de tal forma grandes que não caibam na cama confortavelmente sem haver perigo...

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!