7 de abril de 2019

Confissão de mãe...

Ao domingo à noite tudo o que eu quero é que eles vão para a cama e que 2ª de manhã chegue, para eu os acordar com beijos e panquecas (sobrou massa de hoje) e os deixar na escola. E voltar para casa para trabalhar. E ter sossego, muito sossego, não ouvir nada a não ser o som do teclado, da chaleira... Os filhos são mesmo o melhor do mundo, mas depois de um fim de semana intenso... preciso de um descanso... é que eles consomem-nos mesmo toda a energia. Claro que podia assobiar para o lado e não os mandar fazer a cama - era mais rápido ser eu a fazê-a, podia assobiar para o lado e não os mandar a colocar a roupa suja no cesto, podia assobiar para o lado e não os mandar levantar o prato e a raspar, podia assobiar para o lado e não os mandar pôr a mesa, podia assobiar para o lado e não os mandar arrumar os brinquedos, podia assobiar para o lado e não os mandar tomar banho, podia assobiar para o lado e não exigir que comessem verduras, sopas e salada, podia assobiar para o lado e não os mandar para cama, deixando-os adormecer no sofá em frente à televisão... Podia, de certeza que tinha menos birras e discussões durante o fim de semana, mas não era a mesma coisa... e não estava a fazer o meu trabalho de mãe, como eu acho que deve ser feito. O texto está em nome da mãe, mas aqui é mãe e pai e exigimos o mesmo, pedimos o mesmo, atribuímos as mesmas tarefas e responsabilidades aos nossos filhos. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!