31 de agosto de 2018

"Ter filhos não merece castigo"

Gostei muito deste artigo do Expresso intitulado "Ter filhos não merece castigo", mas é incrível como em Portugal, um país tão envelhecido, a gravidez e a parentalidade ainda sejam vistas de lado... Eu já sofri na pele, por duas vezes, em duas empresas distintas. No primeiro caso, não me renovaram contrato, como já estava assegurado verbalmente, quando fiquei de baixa por gravidez de alto risco do meu segundo filho, depois de ter tido dois abortos seguidos, um deles a seguir a um dia de trabalho de quase 20 horas... Um amigo meu, que é advogado, disse que eu não me podia calar, tinha de os processar. Ele ajudava-me. Eu não queria chatices, só queria levar a minha gravidez em paz até ao fim, não queria perder mais um bebé... mas lá aceitei. Não nos podemos calar! Fui a tribunal e admitiram que tinham agido mal e pagaram-me uma indemnização. Mas foram 2 anos de irritação até ao dia do julgamento, que não chegou a existir porque eles quiseram chegar a acordo minutos antes! Foi tudo muito chato. O segundo caso não chegou a vias de facto, digamos assim, mas um chefe meu admitiu que para ele é menos "pesado" ter pessoas que não são mães de 3 filhos nos projectos, porque se alguma coisa corre mal, se o projeto cai e é preciso dispensar pessoas, é sempre mais chato dispensar uma mãe que tem 3 filhos a quem dar de comer! Já ouvi tanta coisa nesta vida!!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!