2 de março de 2016

Se eu aprendi a desfrutar em pleno ao segundo filho, o terceiro é a cereja no topo do bolo!

A notícia de que estava grávida do primeiro filho foi a loucura completa! Era tão, mas tão desejado e tudo o que nós queríamos era ser pais. Fizemos os cursos de preparação para o parto, comprámos os livros, preparámos o enxoval e chegou o nosso filho querido e eu soube o que era amar em toda a plenitude. Mas não foi tudo fácil. Muito pelo contrário. Ele era um bebé que chorava muito até aos 3 meses - hoje estou absolutamente convencida que ele passou fome ao ser amamentado em exclusivo, faltava-lhe sempre aquele bocadinho que permitia ficar bem cheio e dormir tranquilamente -  e nem tudo era como eu tinha sonhado a maternidade. Mas foi maravilhoso e fui aprendendo a ser mãe, aquilo que eu desejava desde que me conhecia como gente. 3 anos depois, chegou o nosso segundo filho e eu consegui desfrutar de um recém nascido sem estar sempre com dúvidas. Ainda para mais, era um bebé tranquilo e dominhoco. Mamava e dormia. E eu vivia a maternidade em pleno com os meus dois rapazes, e ver a relação dos irmãos era e é, para mim, o apogeu da maternidade. Com mais certezas e mais tranquilidade vivi em exclusivo a maternidade durante um ano e foi maravilhoso. E costumo dizer a quem quer e pode que os segundos filhos são açucarados, porque nós estamos mais confiantes, menos stressadas e sabemos aproveitar os momentos sem estar sempre à espera da fase seguinte, sem a ansiedade da novidade... 2,5 anos depois chegou a princesa da casa e eu acho que se o primeiro filho é magia, o segundo é açucarado o terceiro é a cereja no topo do bolo! O meu à vontade é ainda maior e é tudo muito natural, então nesta fase de recém nascido é puro amor e deleite... Mama quando pede e tem fome, dou biberon quando acho que ela precisa, dou colo sempre que nos apetece, vai para todo o lado sem dramas, é beijocada dia e noite ora por mim, pelo pai e pelos irmãos... E é  a peça que faltava para o nosso puzzle estar mesmo completo. E não se torna mais fácil por ser tudo igual chapa cinco, nada disso e quem me lê sabe que tem sido tudo diferente e que já apanhámos alguns sustos com esta bebé, mas porque nós temos um à vontade diferente, outra calma, outra idade, outra maturidade, outra confiança em nós... É totalmente diferente ter um primeiro filho a chorar e nós sem saber o que fazer ou um terceiro, em que só pelo facto de não ficarmos nervosas é logo meio caminho andado para conseguirmos resolver o choro... E depois há a calma de sabermos que os bebés passam por determinadas fases mais difíceis, mas que passam naturalmente. Custa não dormir a noite de seguida? Pois custa. Mas daqui a uns meses já vai ser melhor. E pior vai ser quando não conseguirmos dormir porque eles andam na noite e nas discotecas. Aí é que vão ser noites em claro, mas também isso faz parte do crescimento e nós temos de ir vivendo e aprendendo com todas as fases dos nossos filhos. E, acima de tudo, aproveitar bem cada dia, cada fase porque não se repetem... 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!