10 de março de 2016

A Francisca já tem cartão de cidadão e já está inscrita na creche

Já inscrevi a Francisca no berçário para entrar em Setembro. Adoro a instituição, onde andam os irmãos, e onde sei que ela será muito bem cuidada, mimada e feliz! Se ficava melhor em casa comigo até mais tarde? É claro que sim, mas vai com 8 meses como o irmão mais velho foi. A diferença é que eu do primeiro filho comecei a trabalhar quando ele tinha 4 meses e agora só vou voltar ao trabalho em Setembro. Foi horrível ter deixado o Alexandre tão pequenino, e apesar de ele ter ficado com a minha mãe o ideal era ter ficado comigo e não termos introduzido as papas e sopas tão cedo... Mas foi o possível, correu bem e também serviu para aprender alguma coisa... O Afonso ficou comigo até completar um ano, depois de ter ido uns meses à escola e a coisa ter corrido pior que mal com ele sempre a fazer infecções respiratórias. Desta vez, a trabalhar para uma empresa diferente decidi fazer as coisas de outra maneira e consegui negociar o meu regresso ao trabalho só para Setembro. Que lógica tinha começar em Junho e depois em Agosto a escola deles estar fechada? E o que fazia à Francisca de Junho a Setembro? E o que fazia com os três em Agosto? Entrava e metia um mês de férias? Ia começar um projecto e parar logo? Não me pareceu bem e expus isso ai meu chefe, que concordou comigo. Ia estar com a eterna culpa das mães. Estaria a trabalhar culpabilizada porque não estava com a minha filha e estaria com ela a pensar no que não tinha conseguido acabar no trabalho. Assim, asseguro os cuidados exclusivos da minha filha até Setembro ao mesmo tempo que também tenho mais tempo para os mais velhos. Até porque Setembro não é só marcado pela entrada da Francisca na escola, mas também pela mudança na vida do mais velho: vai entrar para o 1º ano do 1º ciclo! A escola está escolhida, assim como a segunda opção, brevemente faremos a matrícula, e em Setembro ele vai começar uma nova fase. Depois de um ano mais agitado com a chegada da mana temos um verão em pleno, comigo dedicada a eles a 100% e, em Setembro, vida nova! Eu e o meu marido ainda pensámos em mudar o Afonso para a nova escola do mano, iniciando lá o Jardim de Infância, mas ele está tão bem onde está, é uma escola mais pequena, mais acolhedora, mais personalizada e ele ainda lá pode ficar mais três anos, beneficiando do carinho, dos afectos e dos valores que esta escola transmite. É onde ele está melhor e é onde ficará. Porque não há nada que nos tranquilize mais que sabermos que os nossos filhos estão bem entregues. Assim, sim, conseguimos trabalhar em paz e conciliar os dois mundos! 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Gosto de saber o que as outras vidas têm a dizer sobre isto!